quarta-feira, 20 de maio de 2009

A CIDADE INCLUSIVA - Convite

A Sociedade está virada para o Activo Bem Empregado (ABE) e grande consumidor.
Desde o carro e o seguro, passando pelas férias, o apartamento/loft ou vivenda, sem esquecer o perfume e os sofás de cabedal…
E também para o Jovem/Adolescente filho do ABE.

A publicidade condiciona o modo de vida ao definir o estilo de consumo.
Se não te portares como um destes consumidores, a Sociedade convence-te que és um infeliz e que deves, rapidamente, recorrer ao Prozac.

Deste “paraíso” são excluídos os carenciados:
Desempregados
Idosos de fracas reformas
Adolescentes/Jovens não filhos dos ABE que estudam sem perspectivas
Precários
Crianças não filhos dos ABE
Imigrantes
Filhos de imigrantes
Etc...

As antigas centralidades contemplavam os lugares de comércio, cultura e cidadania que se tinham desenvolvido com a população: pequeno comércio, cinemas, livrarias, praças, ruas, jardins, cafés, colectividades, etc…

As novas centralidades (Centros Comerciais) criaram um novo comércio homogéneo: em qualquer Centro Comercial as lojas são iguais, da mesma cadeia, as livrarias são as mesmas, os cinemas são os mesmos…Já não há espaço para a cidadania, o espaço é privado, já não é público.


Aqui fica o convite para que apareçam. São todos bem-vindos!

19 comentários:

Observador disse...

Agradeço o convite mas não, não vou.

E logo hoje que até estou bem disposto, logo indisponível para grandes teorias...
:)
**

Curioso ... disse...

Respondo aqui, sei que não devia, mas como já passou tanta água pelo moinho, se o fizesse no local indicado ninguém daria por isso.

Além disso, aproveito o facto do Observador ser o primeiro a comentar aqui, porque ele é o principal "protagonista" (involuntário) deste meu comentário.

Então duas ou três coisitas menores: o Observador picou-se comigo. Que pena. Ele diz que conhece o meu estilo; eu já não posso dizer o mesmo dele. E ameaça: agora vai passar a ser diferente. Que medo ... Mas tire lá o cavalinho da chuva, caro Observador. Pode pretender interferir no que quiser; naquilo que eu digo e escrevo, garanto-lhe que não interfere. Isso garanto-lhe!

A D. Ermelinda diz que ando a deixar pistas. E questiona-se se vale a pena segui-las. Reflexão profunda, sem dúvida. Questão maior do mundo da blogosfera (assim chamada): seguir as "pistas" que o curioso aqui anda a deixar!

Então cá vai uma pista nova: é pena, D. Ermelinda, que você que é eleita na AF de Cacilhas, você que até lançou, aqui e na sua Assembleia de Freguesia, quase um auto de fé contra a CM Almada pelo facto desta "pretender" demolir três prédios na rua Elias Garcia, não ter estado hoje na reunião da Câmara. Pena, muita pena! E que tal esta "pista", hein?

Finalmente, comer nas vossas mão, Observador? A que propósito? Provavelmente quem irá comer na mão de alguém será você, a curto prazo. Eu nas vossas? Deve estar a querer dar-me a conhecer o seu lado bonacheirão ...

Agora venha lá a diferença que anunciou. Estou borrado de medo!

Observador disse...

Curioso

Definitamente você é um mentecapto.
Não tem classe e por isso tem o emprego que merece.
Eu não o ameaço, senhor. Você é que se auto ameaça com as atitudes provocatórias e de baixo nível que faz questão em exibir.

Já viu que se preocupa tanto comigo que vem aqui, hoje e agora, para me elogiar?
Não deu por isso? Senilidade meu caro.

E como vê, devagar devagarinho você está a vir "comer" às nossas mãos.
Não percebe porquê? Senilidade, meu caro.

Vou citar uma frase sua, se me permite.
Ei-la:

"Respondo aqui, sei que não devia, mas como já passou tanta água pelo moinho, se o fizesse no local indicado ninguém daria por isso."

Se sabe que não devia porque o fez?
Senilidade meu caro.
E se tinha alguma coisa séria - o que já duvido - a dizer, porque não o fez no local certo? Senilidade meu caro.

Não me piquei consigo. Não me pico com seres humanos. Pico-me numa rosa que ofereça a uma senhora. Por exemplo.
Você, Curioso, passa-me ao lado.

Não tenho por hábito, ao inverso do Curioso, de interferir o que outros dizem.
Apenas me limito, e tenho esse direito, a comentar.

De uma coisa estou certo. Por muito que tente irritar, desestabilizar, e outros fenómenos que em si se tornam irracionais, não consegue.

Disse é repito. Você perdeu a oportunidade de me conhecer o lado positivo.
E como a sua senilidade o obrigou a rejeitar essa possibilidade única, não tenho outro remédio senão o de me atirar ao seu palavreado manhoso.

Já que assim quer, assim será.

Eu não vou tirar o cavalinho da chuva. Vou, isso sim, tirar a besta (você) da minha agenda.
Até breve.

Ah, e já sabe que a sua patroa Maria Emília não vai ser mesmo candidata às eleições autárquicas?

Como será a sua vida então?
Ou já se encostou ao José Gonçalves?
Ou, quem sabe, ao José Maia? Ou mesmo ao António Matos.

Pensa meu caro pense.
Se a senilidade lhe permitir.

Delfim disse...

O senhor observador está desactualizado. A Sra. Presidente é candidata a mais um mandato de quatro anos

Observador disse...

Delfim

Já confirmei esse facto e tem parcialmente razão. Porque não é para todo o mandato. É para uns meses.
Mas atenção ao jogo dos bastidores que a MES vai fazer para destruir o José Gonçalves.

Observador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Observador disse...

E o que dizer da Amélia Pardal aparecer na elegível 4ª posição, surgindo o Nuno Vitorino no provável não elegível 6º lugar?

Delfim disse...

Depois de andar às voltas eis: será que o curioso foi um ex. vereador desta autarquia?.
Pistas: professor; vencimento perto de €3000. aceito propostas.

Francisco Santos disse...

A MES ganhou uma vez mais. Grande criatura. Conseguiu que os seus amigos mantivessem-se na lista. São todos da sua confiânça excepto o Gonçalves.
O pcp ficou satisfeito apenas por conseguir manter o Gonçalves.
No entanto a MES dá um chuto no gonçalves, como fez com a Antónia e Hernani, e sobe o Vitorino, ficando os jovenzitos deslumbrados. No final do próximo mandato dá um chuto no PCP

Curisoso ... disse...

Observador,

É esta a diferença que anunciou relativamente a mim? Diferente em quê?

Só se for o facto de ser um bocadinho mais mal educado.Mas mesmo assim, um bocadinho só! Sabe, é a tal questão de "estilo" que eu disse atrás que bem conhecia. O seu, é claro!

Minda disse...

Observador:

Não foste. Pois bem, estás no teu direito de não aceitar todo e qual convite que te apareça pela frente... mas escusavas de acrescentar o resto (um pouco deselegante, não achas? - e desculpa a sinceridade).

*

Minda disse...

Curioso:

Você deve, de facto, achar que é um ente iluminado com certeza. Gosta de variar entre a ofensa e a ironia, julga ter dotes de adivinho e acha-se o maior por apresentar alguns dotes de escrita. Mas, queira crer (se quiser, obviamente!) que não tem graça nenhuma.

E este comentário (o de dia 20 de Maio, às 22:51) foi uma boa oportunidade de “estar calado”, que é como quem diz, de fazer (escrever) asneira…

Acusa-me de não estar presente na reunião da CMA. Mas quem é V.ª Ex.ª para saber do meu tempo disponível?

Saberá, por acaso, se eu tinha algum impedimento maior para não estar presente? È que, não sei se sabe, mas eu não sou funcionária do partido, nem membro do executivo.

Sou uma simples cidadã interessada nos assuntos locais (com alguma responsabilidade mercê do mandato que os eleitores me conferiram e que tenho tentado nunca defraudar), mas o meu primeiro dever (em termos de pontualidade e assiduidade nos dias úteis em tempo de serviço) é para com a entidade patronal que me paga o ordenado ao fim do mês.

Além disso, antes de apresentar a constatação, verídica sim mas de intenção duvidosa porque pecou pelo dolo da sua formulação, de que eu não fora à reunião da CMA (como, de facto, não fui), poderia ter perguntado porque assim fora (antes de dar a entender que essa ausência se devia a um possível desinteresse como se pode deduzir das suas palavras).

Pena? Claro que sim. Muito gostaria de ter assistido a essa reunião, porque (ao que parece) lá terão sido dadas informações de relevo. Terão mesmo? Diga-nos lá o senhor que por lá esteve (já deu para perceber) – não sei como mas ou o senhor se dedica a acompanhar todas as sessões da AMA e da CMA porque nada mais tem que fazer, ou a dúvida lançada neste blogue de que seria um membro da equipa acaba por ter razão de ser (pistas? Se calhar foi mais uma que lhe escorregou sem querer!) …

Como decerto já se apercebeu (isto é, se leu o meu artigo de ontem), e não tendo eu o dom da ubiquidade, nunca poderia estar na reunião da constituição das mesas de voto em Cacilhas (que durou das 18h às 23h) e, em simultâneo, a assistir à reunião do executivo municipal.

Por isso, caro “amigo”, veja se tem um pouco mais de cuidado naquilo que vem para aqui escrever e refreie esses instintos acusatórios que só acabam por o deixar ficar mal.

Passe bem!

Minda disse...

Observador:

Entre as tuas “conversas amigáveis” e o Curioso não me meto, vocês são livres de dialogar nesta minha casa. Mas, já agora, vejam se o discurso é um pouco mais suave…

Adiante…

Que poderei dizer acerca da 4.ª posição da Amélia Pardal nas listas da CDU à CMA? Que poderá ser um excelente membro da equipa. Até agora nunca ouvi um único comentário menos abonatório sobre o seu desempenho como dirigente na autarquia. Resta saber que pelouro lhe irão atribuir pois aí fará toda a diferença… E mais não acrescento. O resto, o que eu penso em termos da estratégia política da CDU, não é oportuno vir aqui dizê-lo agora (talvez mais tarde).

Minda disse...

Delfim:

Não sei quem é o Curioso (ou, por outra, tenho as minhas suspeitas, como é óbvio… aliás, cada vez se aproximam mais da certeza, mas ficam-se, ainda assim, pelo campo das hipótese prováveis) e “ponto final”. Não vou moer os meus neurónios com questões dessas quando tenho tantas outras bem mais importantes para resolver.

Minda disse...

Francisco Santos:

Bem-vindo.

Essa é, de facto, a teoria que consta por aí nas conversas de café (que valem o que valem mas é com quem diz “não há fumo sem fogo”), ou nos “bastidores” da cena política local (entenda-se o que se quiser que isto é pois não me apetece dizer mais… mas “para bom entendedor meia palavra basta”).

Mas eu já estou como o S. Tomé… “ver para crer”!

Observador disse...

Pronto!

Acabaram-se as minhas intervenções.

Escrever apenas para abanar as teclas, não obrigado.

Saio, naturalmente sem rancores.

Para todos, os meus cumprimentos.

Minda disse...

Observador:

Não percebo este teu comentário. Vais deixar de passar por cá? Não queres fazer mais comentários?

Tudo bem... (ou tudo mal!), mas lamento, sinceramente, que assim seja.

Observador disse...

Não vou deixar de passar por cá.
Apenas me limitarei a ler.

Minda disse...

Observador:

Mas que olhos, "minha nossa"... (que gato!)

Só lês? Pois, não posso reclamar. Ao fim e ao cabo é o que eu faço em relação ao teu "Reflexos".

Ou pensavas que eu, por não comentar, não passava por lá?

**

Related Posts with Thumbnails