sexta-feira, 1 de maio de 2009

O 1.º de Maio e a hipocrisia da CDU em Almada

Comemora-se, hoje, o Dia do Trabalhador. Como todos vocês sabem. Por isso, não posso deixar de aqui vos dar a conhecer a moção que o Bloco de Esquerda apresentou no dia 28 de Abril na Assembleia Municipal de Almada, e que a CDU votou contra:

Nela está versado o que o Bloco de Esquerda pensa sobre o 1.º de Maio e a situação dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Almada, posição que subscrevo na íntegra, como devem calcular.


Então, o que me dizem desta posição da CDU? Votaram contra porquê? perguntarão vocês... Pois é: segundo a Exm.ª Sr.ª Presidente da Câmara, a CDU iria votar contra (vejam bem, quem indica o sentido de voto da bancada da CDU - do PCP, sejamos francos! - é a Maria Emília não vá o "diabo tecê-las" e algum deputado ter a veleidade de opinar em sentido contrário) porque:
O teor da moção era um insulto (???) aos trabalhadores da Câmara, em particular aos funcionários dos recursos humanos e aos seus juristas (???). - se o caso não fosse tão sério até parecia anedota!! Insulto aos trabalhadores? Francamente... essas palavras e os actos cometidos pela CMA é que são uma ofensa a todos os seus trabalhadores.
O município não segue uma política de trabalho precário. É falso que a CMA não respeite os direitos dos trabalhadores. A culpa é do Governo (a CMA não tem culpa de nada, coitada!!) que implementa reformas injustas e com normas legais complexas, por isso estão a apostar na formação do pessoal (SÓ AGORA???).
Além disso, todas as posições da CMA são fundamentadas em pareceres jurídicos (MOSTREM-SE, ENTÃO, ESSES DOCUMENTOS!!! por favor!!!), nomeadamente os que se referem à abertura dos concursos a termo. Mais uma vez a culpa é da legislação que não permite aos Serviços agir com a necessária rapidez. (???)
É que a urgência em abrir duas piscinas (Sobreda e Charneca) e uma biblioteca municipal (Feijó) é daqueles serviços que são tão urgentes, mas tão urgentes, que a população não pode esperar mais um mês ou dois pela sua abertura, percebem? Como tal, pode-se contornar a lei na contratação do pessoal necessário... como se estas inaugurações fossem uma premência social que não pode mesmo esperar nem mais um dia (???). E, em paralelo abrem-se, então, os concursos para os postos de trabalho com vínculo permanente... que estão já aí a sair...
Será que a CMA pensa o mesmo em termos de habitação social? Que considera assim tão importante realojar famílias que estão a viver em condições infra-humanas? Não!!! Aí a espera é longa mas necessária, porque assim deve ser... os formalismos são morosos e lentos e a política de habitação do Governo é a culpada, porque coloca na autarquia as responsabilidades que a Administração Central não quer assumir. Brinca-se com a vida das pessoas... é triste!
Mas se assim é, se a razão está do lado da CMA, o que impede a sua Presidente de responder aos três últimos requerimentos do Bloco de Esquerda sobre o assunto (desrespeitando todos os prazos legais para o efeito - um bom exemplo, não tenhamos dúvida!!)? Porque não se fornecem cópias, aos deputados municipais, desses benditos pareceres jurídicos para que todos conheçamos as justificações para os actos da autarquia ao nível da gestão de recursos humanos? Se tudo é tão claro e transparente, o que impede a CMA de esclarecer os assuntos? Porque não se apresentam as provas, porque se escondem informações?
E que fundamentos levaram a Presidente da CMA a impedir que se façam reposicionamentos remuneratórios em 2009? Se estavam à espera de ouvir algum desmentido ou explicações sobre essa matéria... bem: o silêncio foi o que se recebeu em troca. Assim como na questão das reclassificações... dizem que foram 74 mas publicitam no Diário da República 104 e, mesmo assim, esquecem-se dos técnicos superiores. Queriam saber porquê? Pois é... fiquem-se com a dúvida porque sobre isso a Sr.ª Presidente nada disse.


Finalmente, aqui fica a mesma moção, com algumas nuances, apresentada na Assembleia de Freguesia de Cacilhas dias antes (22-04-2009) e que acabou por ser aprovada por maioria devido ao facto de um dos membros da bancada da CDU a ter votado favoravelmente, muito embora tivesse ressalvado o facto de os considerandos o terem deixado indignado, pois achava que se a CMA assim tinha procedido lá teria as suas razões (???).
Termino por aqui. Porque indignada estou eu com este comportamento da CDU, assim como estarão, com toda a certeza, os trabalhadores afectados... Hipocrisia é a palavra mais branda para classificar este tipo de atitude vergonhosa num partido que se diz de esquerda e faz bandeira da luta pelo trabalho com direitos.
ASSIM SE VÊ A FORÇA DO PC!!

5 comentários:

Observador disse...

Não consigo abrir o primeiro texto.

Observador disse...

Mesmo sem conseguir abrir a primeira página mas por já conhecer o assunto que aqui é trazido, posso dar opinião.
Para quem eventualmente pense que a administração camarária tem um mínimo de democracia, compete-me afirmar que estão enganados.
Não são necessários grandes exercícios mentais para perceber, desde logo, o desprezo que esta "gentinha" nutre pelos seus iguais (ou não somos todos seres humanos?).
Mesmo os vereadores estão fartos da ditadora Maria Emília.
É evidente e só não vê quem não quer, que é essa senhora que baralha as cartas e dá o jogo.
Não sei o que hei-de chamar, politicamente, a estes senhores.
Se ditadores infiltrados no sistema que se pretende democrático, se falsos comunistas hoje e sempre à procura do tacho.
Procurem o que quiserem mas respeitem os outros.
Tenham consideração pelos trabalhadores. Pelo menos por esses.
Maria Emília ainda teve o descaramento de desfilar na marcha comemorativa do 1º de Maio. Teve. Mas foi sol de pouca dura.
Agora vai para o retiro e descansa.
O que fez correr Maria Emília, nascida em S. Bartolomeu de Messines, para se instalar com armas e bagagens nesta nossa terra - sim eu nasci cá - e destruír tudo o que lhe vai dando jeito?
De uma coisa pode ela estar certa. Quando largar o poleiro não mais terá vénias e saudações subservientes de quem hoje lhe estende a passadeira vermelha.
Vai ser a Maria Emília que todos, ou quase, vão desconhecer.
O mesmo acontecerá aos seus acompanhantes de luta (?).

Ninguém vai mostrar documentos nenhuns.
Eles têm pouca coisa para mostrar.

Pela mesma razão que não comemorei o 25 de Abril, não comemoro o 1º de Maio mas, para mostrar a essa gente que estou e estarei sempre ao lado de quem trabalha, independentemente da sua côr política, aqui estou excepcionalmente para gritar à Maria Emília e aos seus colegas de poiso que hoje não é o vosso dia.
Vocês não têm o direito de dizer "viva o 1º de Maio!"

Alonguei-me. Peço desculpa.

Minda disse...

Observador:

Não sabes o que chamar a estes senhores? Pois nem eu. Mas dificilmente direi que são democratas.

Um resto de bom fim-de-semana.

**

fernando tavares disse...

Lutei contra o Salazar e a Pide. Estas Emilias, Matos e comunas oportunistas carreiras, Maias etc. nunca ouvi falar nestes senhores. Por isso também eu costumava ir a todas as manifestações do 25 de Abril e do 1º de Maio deixei de ir enquanto estas criaturas estiverem à frente da Câmara de almada Mas esperem esta emilia não é parva. Está para breve a vinda da Nª Senhora de Fátima ao Cristo Rei e concerteza que esta senhora herege, de certeza que vai aproveitar para fazer mais um discurso populista de auto-promoção. Atenção emilia, jesus não dorme, pelo mal que provocaste a algumas pessoas.Lá estarei para gritar falsa comunista,vai-te embora.

Minda disse...

Fernando Tavares:

Bem-vindo. Mas que esta não seja a 1.ª e última vez que passa por cá.

Apesar de já estar quase nos 50 anos, era ainda jovem demais para ter um passado de luta contra o Salazar no 25 de Abril.

Nasci no tempo do fascismo mas cresci em Democracia. E prezo muito a Liberdade porque sei o quanto ela custou a conquistar a todos aqueles que por ela lutaram, alguns dando em troca a sua própria vida.

Esses, a quem tudo devemos, eram verdadeiros comunistas. Por esses sim, tenho eu uma sentida admiração e muito respeito.

Agora por estes comunistas de pacotilha que aparecem aí aos montes, que acham que a ditadura é boa desde que seja "do proletariado" (ou de uma determinada elite ou classe), que veneram o deus dinheiro e fazem da política um jogo de interesses escusos... a esses, só posso reservar o meu desprezo.

Related Posts with Thumbnails