segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Que turismo é este?






Ontem, fomos visitar as ruínas romanas de Vilamoura: o Museu e Estação Arqueológica do Cerro da Vila, onde podemos encontrar um considerável espólio de peças (em exposição). Mas a atracção principal são mesmo os vestígios da antiga villa romana, uma casa nobre da época com balneários públicos, tanques de salga de peixe e zona portuária, além da necrópole.
No entanto, e apesar da evidente importância deste património, é de estranhar que nem uma única placa toponímica exista a sinalizar a sua existência. Quando este local poderia funcionar como um polo de atracção turística, a incluir nos roteiros nacionais e internacionais, Loulé prefere tê-lo escondido (durante a hora e meia que estivemos no recinto fomos os únicos visitantes) e apostar apenas num turismo de praia, com urbanizações completamente descaracterizadas e paisagens desumanizadas (Vilamoura é considerado o maior complexo turístico da Europa)... é este o "Allgarve" que se pretende mostrar que temos, sem passado, como se fosse um condomínio fechado onde só entram os ricos e endinheirados?

3 comentários:

Observador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

O do interesse económico, apenas.
A divulgação do património histórico pouco interessa. A "política do casino" é muito mais eficaz nos milhões que arrasca.

Minda disse...

Maria:

Tens razão. Mas essa do "arrasca" foi uma gralha divertida e que até veio a calhar: à rasca ficam os operadores turísticos, os autarcas da zona e todos os que estão ligados ao sector se não conseguem atrair os turistas... e como aquilo que vende é a praia, os SPA & C.ª, querem eles lá saber do património histórico. Se ali pudessem constrir mais um hotel é que era o ideal...

Related Posts with Thumbnails