sábado, 27 de junho de 2009

Isto faz-se?

Av.ª 25 de Abril, Cacilhas (27-06-09, 07:45)
Julgava eu que, em democracia, se respeitavam os adversários políticos e não era com actos de puro vandalismo que se combatiam ideias. Pelos visto há, em Almada, quem assim não pense e prefira agir, a coberto da noite e do anonimato (cobardemente, portanto), desta forma criminosa.
É já a 2.ª vez que isto acontece. Na véspera das eleições europeias, o anterior cartaz colocado neste local, e quase todos os outros distribuídos pelo concelho, foram também vandalizados.
Quem o fez, deve sentir-se orgulhoso do feito, presumo. Deve estar a pensar que é um herói (ou uma heroína)... Por isso, fê-lo uma primeira vez e voltou a insistir. Que tristeza! E que desilusão! Ao que isto chegou...
A propósito deste episódio, não posso deixar de recordar a "teoria do inimigo do povo" que, infelizmente, ainda é seguida por muitos dos que andam nestas andanças da política, e para quem tudo é legítimo desde que sirva para combater o tal "inimigo do povo"... E se no passado defendiam a luta armada, hoje, apesar de terem moderado um pouco o discurso bélico, continuam, ainda, a apostar em formas de actuação que, na minha opinião, são demasiado agressivas.
Os motivos que estarão por detrás de quem anda a vandalizar os cartazes de Paulo Pedroso até podem não ser políticos (o que duvido). Mas em período eleitoral será sempre essa a conotação que lhes será atribuída. E se pretendem colher dividendos acabam, antes, por provocar aversão.
Falo por mim que, sendo militante do BE, não posso deixar de condenar estas atitudes, sem temer que (ao contrário de muitos) me venham dizer que, por esse motivo, estou "ao lado do PS". Estou e estarei sempre, digo-o aqui frontal e publicamente, contra quem utiliza este tipo de meios para, supostamente, atingir os fins pretendidos: denegrir a imagem de um candidato e fragilizar, politicamente, o respectivo partido.
Se isso me coloca ao lado seja de quem for que condena, também, comportamentos destes, então sim! seremos ambos solidários na defesa da prática da política séria, democrática, com respeito pelos nossos opositores...

45 comentários:

Observador disse...

A vandalização dos cartazes foi feita pelos simpatizantes camaradas do partido no poder local.
Dos tais que não dão a cara mas que até serão pagos para fazer o que fazem.
É uma vergonha.
Isto não se faz.
Sejam de quem fôr, a democracia estabelece os mesmos direitos e deveres para todos.
Mas o PCP está longe de respeitar. Colocou-se a muitas milhas da democracia.
Infelizmente tenho que generalizar. Com pena minha porque há comunistas sérios. Conheço bastantes que serão, não duvido, contra estas atitudes.

Anónimo disse...

Obrigado, Ermelinda, pelas suas palavras.
Já começamos a ficar habituados a estes mimos!
Mas como você diz, pode ser que o povo perceba a pequenez de alma dos energumenos que tais actos praticam.
Mas isso não nos fará esmorecer, disso podem estar certos.

Anónimo disse...

Eu não me espanto com estes actos já que piores situações se passam dentro da cãmara de almada.
Quando á distribuição de informação desde que não seja do PCP ou STAL, nunca está afixado nos sectores mais de 5 minutos já que JANEIROS e outros cobardes têm por missão e ordens do partido e das chefias desta cãmara fazerem desaparecer tudo.
Já agora fazer lembrar que ontem foi feito o jantar de apoio á candidatura da MES, até aqui tudo bem porque qualquer partido t~em estas iniciativas, já não acho normal foi a distribuição de convites e com o apelo (ordem)de não poderem faltar ao jantar as chefias da câmara.

E.H-Funcionário Municipal

Anónimo disse...

Os comunistas nunca foram democratas.
Um comunista não é um democrata.
Quem disser que um comunista ou uma comunista é um ou uma democrata
está a tentar enganar alguém ou a esconder alguma fraqueza sua.

Na Rússia não havia democracia, tal como não há nos países onde impera o comunismo.
Não podemos continuar a enganarmo-nos ou a deixarmo-nos enganar.
Na Câmara de Almada não há democracia.
Na gestão autárquica deste concelho não há democracia.
Contudo há alguns democratas mais fracos, que por interesse pessoal colaboram com a Câmara (comunista) de Almada porque lhes interessa os subsídios, o dinheiro que de lá vem ou então querem estar nas boas graças destes não democratas.

A democracia não deve contemplar nem pactuar com estas situações.

Se queremos e desejamos a democracia temos de ser frontais e não pactuar nem com os comunistas (porque não são democratas), nem com seus actos ou acções.
Alguns deles mascaram-se de democratas para ao minimo descuido fazerem o assalto ao poder e instalar um regime autoritário, ditatorial, social-fascista.

Anónimo disse...

Hoje quando me dirigia para o Pragal fiquei indignado com o que vi na rua um cartaz no centro sul e depois mais tarde no Laranjeiro do PS vandalizados que me deixou triste com os actos que foram ali praticados. Esta falta de civismos, urbanidade, e respeito pela democracia só mostra que Almada precisa de uma mudança. Vivemos numa cidade degradada, desorganizada, e pouco responsável. A democracia não pode ser exercida pelo regime comunista que hostiliza e ofende o bom nome das pessoas e dos Partidos. Temos de dar a volta a isto. Urgentemente uma Mudança para o Futuro.

Curioso ... disse...

Concordo com a Minda na denúncia da situação absolutamente inadmissível, e por isso também absolutamente condenável, que a vandalização de propaganda política, seja ela qual for, como a vandalização de qualquer outro bem, sem dúvida representa na sociedade democrática que pretendemos ser!

Não tenho a mínima dúvida, por isso, em condednar veementemente quem assim actua, promovendo actos como o aqui descrito pela Minda.

Mas daí ao que o Observador diz - e os outros que se lhe seguem - vai uma distância monstra!

Se o Observador tem provas do que diz, então deve apresentá-las publicamente e a quem de direito para que quem quer que tenha sido o autor daquele acto, repito, condenável, possa ser devidamente responsabilizado nos termos da leis da Democracia. Porque, caro Observador, a Democracia também tem leis, não se esqueça.

Afirmar o que você afirma, da forma como o faz, e sem qualquer prova objectiva que o suporte, é tão condenável e tão absolutamente inadmissível quanto o que os "vândalos" que destruiram a propaganda eleitoral do PS fizeram.

Sou comunista e sinto-me gratuitamente ofendido por si. Tenho a certeza absoluta que todos os comunistas se sentem ofendidos, também gratuitamente, por si.

E nem a demagogia barata que pessoas como você normalmente utilizam, e como você utiliza nesta sua prosa, sobre comunistas bons e comunistas maus, atenua a repulsa que sinto pela ofensa gratuita que aqui deixa. Lembro-lhe, Observador, uma coisa que já lhe disse mais do que uma vez, que sei você detesta, que se sente ofendiso (se calhar não tanto como eu neste momento), mas que parece precisar de ouvir com frequência: a sua atitude é exactamente igual à de Hitler quando mandou incendiar o Reichtag e acusou, precisamente, os comunistas desse acto. Sem tirar nem por, você assume uma postura e uma atitude exactamente igual à de Hitler!

Se a Democracia estabelece os mesmos direitos e deveres para todos, como você afirma, então você também está incluido - quer nos direitos quer nos deveres. E você falta absolutamente aos seus deveres ao escrever a barbaridade que aqui escreve.

Concluindo, de acordo, absolutamente, com a Minda na denúncia firme que faz da situação! Condenando, veementemente, os dois actos de barbárie: a destruição da propaganda política do PS, assim como a desenfreada "condenação sem julgamento" de muitos milhares de cidadãos que o Observador aqui faz de forma absolutamente, também ela, irresponsável.

Quanto aos que se seguem ao Observador, nem preciso referi-los. Incluo-os, naturalmente, nas palavras que deixo relativamente ao Observador.

Anónimo disse...

Ao CURIOSO, até lhe posso dar razão quanto ás acusações sem provas.
Mas, é muita coincidência só a propaganda eleitoral afecta ao ps ser vandalizada.
Não vejo mais ninguem com tanto medo de futuro vir a perder os poleiros que têm á mais de 35 anos sem ser os proprios comunas.
Não é por nada que ontem se comemorou o fim do comunismo nos paises europeus de leste.

E.H-Funcionário Municipal

Observador disse...

Caro Curioso

Duas coisa só.
Primeira: tenho provas de quem noutros locais tenha feito coisas iguais.
Logo, é fácil presumir.
O que eu disse mantenho sem retirar uma letra.
Mas você só lê o que lhe interessa.
Não vou pedir-lhe para rever o que deixei escrito porque isso agora não interessa nada.
Aliás, você não me diz nada.
São pessoas (?) como o Curioso que abandalham o sistema do diálogo construtivo.

A segunda coisa: quem lhe disse que eu sou democrata?
Está muito enganado a meu respeito. E ainda bem. Não faço questão que curiosos como você saibam o mínimo sobre mim.

Apenas mais um pequeno pormenor.
Eu, e passo a citar em "copy and paste", escrevi:
"...Infelizmente tenho que generalizar. Com pena minha porque há comunistas sérios.
Conheço bastantes que serão, não duvido, contra estas atitudes"...

Já de si só tenho a dizer mal. Muito mal.

Observador disse...

Caríssimo
E.H-Funcionário Municipal

Permita-me que lhe diga que na CMA existe mais que um "JANEIRO".
Por isso, era bom dizer, e eu sei a quem se refere, o MOTORISTA JANEIRO.
Porque o arquitecto Janeiro não deve ser incluído nesta apreciação.

Cumprimentos

Observador disse...

Ainda para o Curioso

São pessoas como você que descredibilizam o PCP e a democracia.
Você é um lobo com pele de cordeiro.
A filosofia não lhe ensinou nada?

Curioso ... disse...

Caro Observador,

Então, apenas duas coisas também.

Tem provas, apresente-as! Denuncie estas situações com as provas que tem. É seu DEVER fazê-lo. Se o não fizer, é mentiroso! A presunção não é um instrumento democrático. As provas sim.

Que você não é democrata, já eu sabia há muito tempo. Não estou nada enganado a seu respeito ... Você aqui apenas confirmou o que eu já sei há muito tempo.

Agora não apenas não é democrata, como é profundamente hipócrita. Porque não sendo democrata, não se coibe de vir aqui falar em nome da democracia, e mais do que isso, reivindicar os direitos e deveres da democracia.

De facto, já tinha concluído isso há muito tempo: você não interessa a ninguém. Não presta. Você é um arruaceiro, que sabe usar as palavras para enganar incautos, mas não passa de arruaceiro. Quem descredibiliza a espécie humana, a inteligência humana, são pessoas como você. E para terminar, depois da sua reacção, não me resta outra possibilidade de conclusão: quem andou a destruir a propaganda política do PS e do seu candidato a Almada foi você, Observador. Não me restam dúvidas absolutamente nenhumas disso! Foi você quem destruiu a propaganda do PS, para poder vir aqui agora dizer que foram outros. É isso mesmo!

Curioso ... disse...

Ainda para o Observador,

Esqueci-me da sua citação "copy paste".

Foi exactamente o que eu disse: demagogia pura, consciência pesada. Você acusa e condena (sem provas!), mas depois fica com a consciência pesada. Vem com esse discurso balofo dos "bons comunistas" e "maus comunistas". Não adianta nada. O seu carácter é o que é, por isso por mais que minta, por mais que faça demagogia, nada o safa.

Porque o lobo com pele de cordeiro é você, caro Observador. Ou ainda não se deu conta disso? Acusa e condena os comunistas (sem provas) mas logo a seguir tenta passar a mão pelo pelo de alguns desses comunistas. É espantoso como continua a existir gente como você. De facto, Hitler deixou mesmo marcas muito profundas na mentalidade de alguns. Muito profundas, mesmo ...

Observador disse...

Você é um ordinário da pior espécie.
Perigoso e anti todos os que não comungam da sua opinião.
Oportunista, mentiroso, hipócrita, lavador de cérebros.
Era isto que queria ler? Aí está. Porque é realmente o que penso de si.

Estamos a "sujar" o espaço que pertence à D. Ermelinda.
Desafio-o a tornar público o seu blogue e aí estarei nele para o tratar (a si) como merece.
Como opção, vá ao meu.

Embora no meu blogue o lixo vá direitinho ao lixo.

Mas tente, seja corajoso e apareça.

Prepare-se para ter que provar o que disse sobre mim. E não é em blogues.

Anónimo disse...

eis a melhor resposta para o tal "curioso".
é um copy e past daqui, mas atenção não é de nenhum que lhe dá conversa como ele gosta.
Eu não lhe ligo patavina.Só agora perco tempo com esse entretainer comunista.
Os comunistas são exactamente isto e o "curioso" está incluído neste comentário.


"Anónimo disse...
Os comunistas nunca foram democratas.
Um comunista não é um democrata.
Quem disser que um comunista ou uma comunista é um ou uma democrata
está a tentar enganar alguém ou a esconder alguma fraqueza sua.

Na Rússia não havia democracia, tal como não há nos países onde impera o comunismo.
Não podemos continuar a enganarmo-nos ou a deixarmo-nos enganar.
Na Câmara de Almada não há democracia.
Na gestão autárquica deste concelho não há democracia.
Contudo há alguns democratas mais fracos, que por interesse pessoal colaboram com a Câmara (comunista) de Almada porque lhes interessa os subsídios, o dinheiro que de lá vem ou então querem estar nas boas graças destes não democratas.

A democracia não deve contemplar nem pactuar com estas situações.

Se queremos e desejamos a democracia temos de ser frontais e não pactuar nem com os comunistas (porque não são democratas), nem com seus actos ou acções.
Alguns deles mascaram-se de democratas para ao minimo descuido fazerem o assalto ao poder e instalar um regime autoritário, ditatorial, social-fascista.

Anónimo disse...
Os comunistas nunca foram democratas.
Um comunista não é um democrata.
Quem disser que um comunista ou uma comunista é um ou uma democrata
está a tentar enganar alguém ou a esconder alguma fraqueza sua.

Na Rússia não havia democracia, tal como não há nos países onde impera o comunismo.
Não podemos continuar a enganarmo-nos ou a deixarmo-nos enganar.
Na Câmara de Almada não há democracia.
Na gestão autárquica deste concelho não há democracia.
Contudo há alguns democratas mais fracos, que por interesse pessoal colaboram com a Câmara (comunista) de Almada porque lhes interessa os subsídios, o dinheiro que de lá vem ou então querem estar nas boas graças destes não democratas.

A democracia não deve contemplar nem pactuar com estas situações.

Se queremos e desejamos a democracia temos de ser frontais e não pactuar nem com os comunistas (porque não são democratas), nem com seus actos ou acções.
Alguns deles mascaram-se de democratas para ao minimo descuido fazerem o assalto ao poder e instalar um regime autoritário, ditatorial, social-fascista.

28 de Junho de 2009 0:16"

Curioso ... disse...

Observador,

Agora ameaça? Quem é você, que sim é um ordinário retinto - ordinário significa vulgar, normal, sem rasgos, banal, esse tipo de coisas -, para me ameaçar?

Preparo-me para provar o quê? Provar que você é um mentiroso? Não preciso, você próprio se encarrega disso.

E ainda por cima não é em blogs que vou ter que provar (não sei o quê, mas enfim ...). Então se não é em blogs, é onde?

Não me preocupa absolutamente nada o que você pensa de mim. Absolutamente nada. Já a si, pelos vistos, preocupa-o muito o que eu penso de si. São posturas, respeitáveis ...

Acusou aqui, indiscriminadamente - é você quem diz que generaliza, não é mais ninguém - os comunistas de atitudes que eu próprio condenei veementemente. Reagi ao que disse, dizendo-lhe exactamente o que penso de si em função, estrita, daquilo que você escreve. Porque se você tem direito a escrever o que pensa dos outros, eu também tenho direito a escrever o que penso de si, ou não? Sei que não é democrata, mas há um mínimo ...

Agora vem armar-se em vítima e ofendido. Posso muito bem com gente da sua laia, esteja descançado. Não me intimida rigorosamente nada.

Quanto a "sujar" o que quer que seja, sim, você suja e muito. Se os computadores tivessem cheiro, pode ter a certeza absoluta que não me teria a importuná-lo. Seria irrespirável. Impossível de suportar.

Curioso ... disse...

Ainda para o Observador,

Quanto a ir a seu blogue, pode crer que vou lá, sim senhor, e com ferequência. Só que lá, você é muito "mansinho", considerando o lixo que aqui deixa cada vez que entende comentar. Por isso, não tenho tido matéria para aceitar, lá no seu blogue, este seu "desafio".

Aliás, pergunto-me porque será que no seu blogue não aparecem estas suas ideias anti-comunistas primárias? Porque será? É uma boa questão ...

funcionária disse...

Janeiro é um bufo mascarado de comuna. Nunca trabalhou. è o que se pode chamar um Calão.

Observador disse...

Curioso, é a última vez que lhe dirijo a palavra de forma escrita.
Ordinário é você. Aqui e noutros blogues. Mesmo que com outros "nicks".
O seu problema não é ser comunista mas sim deficiente de espírito.
Há enormes diferenças entre nós.
Eu sou sério, você não. Nunca foi, não é agora que mudou.
Você é uma espécie de rapina que perturba alguns blogues com a sua postura paga para o efeito.
Não me desminta que eu sei como é.

No meu blogue você tem vergonha de participar. Diz você, e com toda a razão, que lá sou muito "mansinho". Sou o ser humano que escreve para quem me dá o privilégio de me visitar.
Quem o faz, quem passa por lá, não se apelida de Curioso.
Aqui, e tenho pena de violentar o espaço da D. Ermelinda, você é a tal besta retinta que diz mal de todos os que têm ideias diferentes das suas. O que chama a isso?
Se o Curioso fôr ao meu blogue sem os tiques que aqui tem mostrado será bem recebido.
Ameaço-o claramente. E digo-lhe mais. Tenha cuidado. e sobretudo juizo.

Recorde-se que não volto a responder-lhe.

Espero que durma mal. Muito mal.

Miguel disse...

Estar contra ou a favor de um acto destes não tem nada a ver com a posição política de cada um. Tem a ver com a cidadania, com o saber viver em sociedade, respeitando as diferenças de cada qual. Se não respeitarmos como podemos exigir que nos respeitem? Este acto particular, como outros - inúmeros - ao património público desta cidade em particular são puros actos de vandalismo que não deviam ficar impunes, mas a lei é branda nestes casos e prefere fechar os olhos.

Curioso ... disse...

Observador,

Quer apostar comigo que não foi a última vez que me dirigiu a palavra por escrito? Quer apostar?

Desmenti-lo? Para quê? Para você parecer o que não é? Não, esteja descansado, não o desminto coisa nenhuma. Aliás, um homem (?) sério como você é, não é "desmentível" em circunstância alguma.

Cuidado? Tenho sim senhor. Mas não consigo. Nunca ouviu dizer que cão que ladra não morde? Você ladra tanto que não assusta sequer!

E está redondamente enganado. Não sou eu quem diz mal de todos. É você! Cristaliza em mim esse dizer mal, mas é você quem o faz. Eu até concordei com a Minda neste caso concreto, e você sabe muito bem quanto tenho discordado dela, e como as minhas ideias são diferentes dela. Portanto, caro Observador, se você fosse o homam (?) sério que diz ser, assumia com humildade que cometeu um excesso ao escrever o que escreveu no primeriro comentário a este post. Mas não, preferiu manter a arrogância, preferiu expelir todo o ódio que tem dentro de si, preferiu insistir na ignomínia da acusação e da condenação sem provas e sem razões, a "dar o braço a torcer". Depois arroga-se de sério!

Quer apostar, Observador? Quer?

Anónimo disse...

É com uma tristeza imensa que vejo mais de 30 anos após o 25 de Abril a falta de convivência com as opiniões contrárias.
Todos nós temos exemplos vividos de como o p"c"p se comporta, quer seja com os partidos à sua direita, quer com os partidos à sua esquerda. Feitios de quem não quer conviver...
O que se passou em Almada é triste e inenarrável.
Tenho ouvido da boca de alguns militantes do p"c"p (que não pensava descerem tão baixo) um chorrilho de asneiras sobre a candidatura do ps em Almada, que não julgava possivel.
No entanto esta é a sociedade que temos e na nossa cidade são estas as pessoas do p"c" que temos.
Quem anda por aí com o nome de curioso, é mesmo muito curioso, do ponto de vista de análise compotamental.

Anónimo disse...

A denúncia neste blogue espelha bem a indignação que centenas de almadenses têm ao ver a destruição de propaganda política. As pessoas têm as suas preferências mas não gostam de ver este tipo de atitudes.

Quanto aos autores destas atitudes, diria que são uns cobardes, porque o fazem na calada da noite. Mais, são organizados, porque o fazem de uma forma sequencial.

São do PCP? Aqui um comentador diz que não... e diz para os outros apresentarem provas de que foi o PCP! Mas olhe, as pessoas não são estúpidas e sabem avaliar. Podem estar muito contentes os senhores que fizeram aquilo, mas olhe que as pessoas se indignam, e que o feitiço é capaz de se virar contra o feiticeiro (neste caso, a feiticeira...).

Haja decoro e respeito pela Democracia.

Minda disse...

Observador:

Não sei quem cometeu este acto de vandalismo. Mas decerto o/a os/as denunciaria se tivesse sido testemunha de tal facto. Podemos até desconfiar, mas fazer acusações só com provas. E, às vezes, temos surpresas de que não estavamos à espera... infelizmente, muitos são os casos onde os traidores andam no meio de nós!´

Por isso, não podemos deixar que a indignação nos leve a cometer falhas de que nos venhamos a arrepender. Uma delas é generalizar...

Minda disse...

Anónimo, 27-6, 22:12

Não tem que me agradecer. Aliás, bem gostaria de o dizer sabendo a quem me estou a dirigir.
Tratei de, apenas, aqui expressar a minha indignação por um comportamento que considero abusivo e anti-democrático.

Minda disse...

E.H.:

Ao contrário de si, eu ainda me espanto com exemplos destes. Talvez por ser demasiado utópica...

Qunato ao que se passa dentro da CMA, obviamente que só sei o que me vão contando.

Ressalvando as devidas distâncias, considero que (pelo que me é dado observar noutras situações) o comportamento do PCP (em Almada, pelo menos) tem sido de prepotência extrema e, por isso, acredito que tenham atitudes como aquela que descreve.

Temos que conseguir denunciá-las e não ceder a quaisquer pressões e/ou chantagens (apesar disso ser bastante difícil, em particular para os trabalhadores da CMA).

Minda disse...

Anónimo 28-6, 00:16

Confesso que, para mim, sempre me custou acreditar que os defensores da "ditadura do proletariado" fossem democratas.

Uma ditadura é sempre uma ditadura... ou não?

Em Almada, na CMA, custa-me também a crer que o regime seja democrata... como tenho vindo aqui a denunciar, sobretudo no caso dos trabalhadores, mas não só, é fácil deduzir que estamos longe, muito longe, da democracia.

Minda disse...

Anónimo 28-6, 4:34

Almada precisa, de facto, de mudança... Factores sociais desfavoráveis, agudizados pela crise, têm levado ao radicalismo daí à violência é um passo bem pequeno.

Temos de mudar. Mas não basta dizê-lo. Há que fazer por isso...

Observador disse...

Tens toda a razão, Minda.

**

Curioso ... disse...

Pronto, a Minda lá veio aqui e deu a mão ao Observador.

Tudo está bem quando acaba bem, não é verdade?

Agora, essa da "ditadura do proletariado", Minda, não acha que está demasiado gasta? Não acha que está cheia de mofo?

Onde é que você vê hoje alguém ou algum partido político a defender a "ditadura do proletariado"?

Só se for mesmo o seu Bloco de Esquerda. Afinal, os dois principais partidos que lhe deram origem - a UDP e o PSR - são partidos que defenderam a "ditadura do proletariado". Será que transportaram isso para o BE, Minda?

Curioso=enfie saco na cabeça disse...

Ditadura é o que se passa na Câmara Municipal de Almada- Ditadura com 35 anos.As maiorias absolutas só retiram direitos aos trabalhadores, em Almada sempre existiu maiorias absolutas. Estas maiorias foram plantadas e mantidas com estas criaturas horríveis tipo curioso, que deve ser um bom falante e até escreve bem, mas quase sempre são pessoas sem qualquer tipo de interesse. É um egocêntrico da pior espécie. vou votar no PS.

Minda disse...

Caro Curioso:

Parece-me que esta é uma das poucas vezes que o seu discurso é consonante com o meu (no que respeita à condenação do acto de vandalismo aqui retratado neste artigo).

Atitudes como a que se vê na imagem aqui "postada" são, de facto, abomináveis. E, como tal, só podem ser condenadas.

Quanto à interpretação do teor do comentário inicial do meu amigo Observador, acho que está a exagerar. Não se trata de fazer acusações específicas mas de, antes, expor aquela que parece ser a sua intuição face a casos que conhecerá e o levam (julgo) a ter aquela posição. Exagerou nas respostas a partir daí e ele sabe-o. Não conseguiu conter-se perante as suas provocações. Deu-lhe troco a mais... e acabou dizendo o que não devia (em termos de linguagem).

E o senhor, portou-se melhor? parece-me que não! Por isso, ficam os dois avisados: diálogos de natureza idêntica aos que vocês trocaram aqui, nesta que é a minha casa, não são bem-vindos. Ouviram?

Mas, o senhor que tanto se indigna com esta generalização, já reparou que costuma fazer ainda pior? Lembra-se da farpa envenenada que aqui veio deixar dando a entender que, sendo eu funcionária pública só poderia ter ido ao seminário sobre assembleias municipais paga pelo Bloco de Esquerda ou a título particular? Esqueceu-se? Eu não! Errou e nunca o admitiu. E isso, para mim, é indesculpável. Demonstra que, afinal, a ética que apregoa serve apenas para criticar a falta dela nos outros e não para você cumprir.

E a precipitação com que resolveu ofender o escritor Fernando Barão (um dos mais conceituados autores da nossa terra e um associativista a quem muito devemos), apenas porque foi desatento na leitura do artigo que questionava se o PCP era de esquerda? Pensa que o ter escrito mais tarde que se penitenciava, branqueia a sua atitude? Eu acho que não! E, mais uma vez só demonstra a sua falta de carácter, por mais que diga o contrário.

Despeja fel e julga-se superior. Escreve como se fosse um professor de filosofia tecendo considerações morais e éticas aos seus alunos (será?) mas esquece-se de dar o exemplo. E além disso, este blogue não é a sua sala de aula particular.

A "ditadura do proletariado" cheira-lhe a mofo? Talvez o conceito sim! mas, infelizmente, ainda há quem se julgue herdeiro da tal classe iluminada. Mas onde é que eu afirmei que esse era um discurso actual? Eu só disse que nunca acreditei que quem defendia esse ideal fosse democrata. E mantenho! Não deturpe o que os outros dizem... não ganha nada com isso, muito pelo contrário.

Minda disse...

Anónimo de 28-06, 0:16

Livrai-nos de um dia termos o PCP no Governo... felizmente nunca lá chegarão!

Vê-se o exemplo que dão nas autarquias onde têm maioria absoluta (que não querem largar de forma nenhuma e, por isso, até se coligam com a direita para a não perder - para onde foram os princípios? Mário Soares colocou o "socialismo na gaveta", mas o PCP parece que retirou de lá o social-fascismo!), sendo que Almada é um caso evidente de totalitarismo.

Minda disse...

Funcionária:

Não sei sequer se existe na CMA um trabalhador com esse apelido. Mas exista ou não, vir aqui fazer acusações nominais não está correcto.

Minda disse...

Miguel:

Concordo inteiramente consigo.
Trata-se de um acto de vandalismo condenável por si só, independentemente de razões políticas.

Minda disse...

Anónimo de 29-06, 10:23

Também a mim me causa imensa tristeza a "lavagem de roupa suja" que aqui acabou por acontecer.

Tudo porque há quem não saiba, como diz e bem, conviver e respeitar as opiniões contrárias à sua.

Minda disse...

Anónimo de 29-06, 12:33

Não sei se são ou não do PCP os responsáveis por aquele acto de vandalismo. Poderiam ser de qualquer partido, ou até sem partido nenhum... Vândalos, são-no com toda a certeza. E organizados, também concordo.

"Haja decoro e respeito pela Democracia." - a frase é sua, mas faço-a minha, também.

Curioso ... disse...

Cara D. Ermelinda,

Não me daria ao trabalho de lhe responder, caso não fosse esta sua necessidade de, depois de me ter ignorado deliberadamente no primeiro conjunto de respostas que deu, vir aqui "desancar-me" por eu ter dito que deu a mão ao Observador. Como acho curiosa esta sua atitude, respondo-lhe.

A troca de "mimos" entre mim e o Observador foi inaceitável? Porquê? Foi mal educada? Usámos palavrões? Palavras "interditas" para pessoas de bem? Não me parece. Chamámo-nos "ordinários" um ao outro, mas se for a qualquer dicionário de língua portuguesa poderá confirmar o que significa ordinário. Na tropa, ouve-se com muita frequência a expressão "ordinário, marche!".

Portanto, não compreendo porque é que você considera que este tipo de debate não é bem vindo ao seu blogue.

E avisa solenemente os dois (!!!) de que é assim que pensa. Mas só formalmente avisa os dois, porque no essencial você trata é de tentar justificar o que o Observador aqui fez, colocando-se incondicionalmente ao lado dele. Não é que isso me afecte minimamente, mas a honestidade intelectual de que aqui você pretende aparecer vestida, tem que ser mesmo honestidade intelectual.

Quanto a provocações, quer maior provocação do que afirmar "A vandalização dos cartazes foi feita pelos simpatizantes camaradas do partido no poder local."? Sabe quem escreveu isto? E isto é o quê? É a afirmação de uma convicção por "casos que conhecerá" e levam àquela afirmação, como você diz em defesa do ofendido Observador? Será mesmo? Ou é apenas a afirmação de uma convicção profundamente anti-comunista, que perante uma aparente facilidade face aos factos ocorridos que você relata, o Observador deixou sair violenta e agressiva como o fez? Lembra-se do caso Vital Moreira? Lembra-se da precipitação e do que isso deu? Não será a mesma coisa, D. Ermelinda? Não será a mesma atitude? Não será esta uma postura assumida de provocação?

Mas o Observador diz mais. Diz que o PCP está longe de respeitar os direitos e os deveres dos cidadãos em democracia. Diz isto, D. Ermelinda, e você pensa o mesmo. Porque aí num dos seus comentários diz, com todas as letras, "livrai-nos de um dia termos o PCP no Governo". Isto é o que você pensa, tal e qual o Observador.

Agora, depois disto, venha lá dizer que são provocações minhas, que eu não sei conviver com as opiniões dos outros, etc, etc, etc.

Sou comunista, por isso para além do mais tenho o dever, para com o meu partido e para com os meus camaradas, de os defender de ataques maliciosos, envenenados e mentirosos como o seu e o do Observador. Só que eu faço-o de forma civilizada, contestando os argumentos que vocês usam. Vocês fazem-no de forma despudoradamente agressiva, acusando e condenando com uma facilidade que me cheira a outra coisa.

Quanto ao que noutros espaços, noutros contextos, aqui já disse, apenas uma nota: é triste e feio o aproveitamento que você tenta fazer relativamente ao meu erro no caso do Escritor Fernando Barão. E é revelador, bem revelador mesmo, da sua falta de carácter. Cometi um lapso, é verdade, do qual publicamente me penitenciei, pedindo desculpas por esse facto.

Você não aceita. Tenta calcar em cima, aproveitando o lapso aliás desfeito quase de imediato para verberar um ataque desonesto. Quem assim procede é que não é democrata. Nem civilizada. Quem assim procede é que revela total incapacidade para lidar com as ideias e opiniões dos outros. Quem assim procede é que é intelectualmente desonesto. E profundamente desonesto.

Você é que passa a vida a tentar branquear, não sou eu! Eu assumo os erros que cometo, você chama a isso branquear. Paciência, revela apenas os seus limites.

Finalmente, está enganada: no seu caso com o seminário sobre Assembleias Municipais, não errei coisíssima nenhuma! Não tenho, por isso, o que reconhecer como erro. Se você não gostou que eu equacionasse essa questão, como pode exigir-me que eu aceite as afirmações gratuitas do Observador e das suas próprias, explique-me lá!

Anónimo disse...

Completamente de acordo sobre a observação "livrai-nos de um dia termos o pc no governo".
principalmente pela forma como eles se comportam quando estão em maioria, vidé caso de Almada.
Nem precisamos de ir respigar exemplos ás "coreias do norte" ou ao Irão, agora tão do agrado do orgão oficial do pcp

Observador disse...

Minda

Pelo que me toca e porque reconheço os meus exageros, garanto que não voltará a acontecer.
Aproveito para endereçar o meu pedido de desculpas publicamente e a quem entender merecê-lo.

Au revoir.

Minda disse...

Caro Curioso:

Gosto, sinceramente, desta sua faceta de “moralista de serviço”. Alguém que se julga dotado superiormente e vem expor as suas teorias filosóficas sobre as condutas alheias mas, no entanto, se esquece de analisar o próprio comportamento ou quando, supostamente finge fazê-lo, é sempre brando como lhe convém. Gosto sim, porque me diverte!

Apenas algumas notas:

1.º) Não lhe respondi na primeira leva de respostas porque tenho mais que fazer e, atendendo ao elevado número de comentários, fui respondendo à medida das minhas disponibilidades. Algum problema?

2.º) A diferença entre si e o Observador é, para mim, abismal – a ele conheço-o pessoalmente e sou sua amiga, enquanto você é um ilustre desconhecido. Se alguém aqui merece a minha consideração, mesmo não concordando com o que diz ou faz, é o Observador. Você defende os seus camaradas e eu não posso defender os amigos? Essa é boa. Mas que raio de moral a sua, francamente!

3.º) Os diálogos que vocês trocaram, bem azedos e ofensivos (disso mesmo você lhe dá nota e os comentários aí estão para quem quiser ler e verificar o que digo) – mesmo não utilizando palavrões (já agora era o que faltava!) – nada acrescentaram à análise do tema em discussão. Para quem se mostrou tão ofendido, não deixa de ter piada o conteúdo deste seu comentário… Mas de si tudo é de esperar. Até piruetas, não de volta completa que isso significava regressar ao ponto de partida, mas de 180 graus… enfim! Pretender que eu considere a vossa troca de impressões algo construtivo é que é demais. E se estou na minha casa, tenho o direito de gostar (ou não) …

4.º) Fez asneira com as acusações precipitadas, irracionais e sem fundamento a Fernando Barão. Mas, depois das barbaridades que referiu, apenas escreveu uma curta linha (após outros antes de si se terem insurgido e, não de imediato como quer fazer crer) que transcrevo: «as minhas mais sinceras desculpas ao Fernando Barão pela confusão nos nomes, de que me penitencio». Acha suficiente? Eu não! Opiniões… será a sua melhor do que a minha? A que propósito?

5º) Insiste que tem razão quanto à calúnia que me dirige sobre a frequência do seminário das assembleias municipais, mesmo depois das explicações que forneci aos leitores deste blogue, na resposta que lhe dirigi a si. E acha, ainda, que a sua atitude é de louvar… A cegueira é tal que, de facto, o senhor é digno de pena! Felizmente o que escreveu está lá, assim como a minha resposta. Quem se der ao trabalho de as confrontar ajuizará da pertinência de cada uma das intervenções. Sinceramente! E depois fala de honestidade intelectual… Sim, sim, vê-se bem quem a não tem…

Minda disse...

Anónimo de 30-06, das 10:41

Concordo consigo. Não precisamos de ir buscar exemplos a lado nenhum. Eles estão bem perto... e só não vê quem não quer!

Minda disse...

Observador:

Desculpas aceites. E gostei deste teu gesto. Obrigada.

**

Observador disse...

Minda

Não fiz mais que a minha obrigação.

**

Anónimo disse...

O PS nunca ganhará a Câmara de Almada!!!
E não será com acusações que foi o PCP que destruiu os cartazes, que vão arranjar mais votos... Até podia ter sido eu! Pois acho nojento e uma afronta esse senhor!!!
Arranjariam mais votos SIM se colocassem um candidato digno da cidade de Almada...Não um dos piores sacanas deste país que se só se safou porque pertence à Máfia Portuguesa(Partido Socialista). Até na terra dele(Aveiro) é renegado!!! Péssima aposta do PS. É triste no que este país se tornou...É só corruptos!!!
Manuel Alegre por favor não deixes que eles "comam tudo".
Tenham calma calma que esta vitória é pequenina, porque tal como eu, a maioria da população de Almada vota CDU para a câmara e PS para o resto.
Humildade camaradas(NÃO SE SINTAM OFENDIDOS POR CHAMAR CAMARADAS, MAS FOI ASSIM QUE SEMPRE SE TRATARAM OS NOSSOS MAIS VALIOSOS COMPANHEIROS).
Na faltar de melhor vota-se no que há.
A ESQUERDA UNIDA SERIA MUITO MELHOR!!!

Minda disse...

Anónimo d6 05-07, das 3:09

Fala dessa forma (escreve, melhor dizendo), dirigindo-se ao candidato do PS em Almada em tom injurioso, porque se esconde atrás do anonimato... Quanto ao que diz, não merece sequer resposta.

Related Posts with Thumbnails