quarta-feira, 14 de março de 2012

Profissionalmente pós-graduados?! Ou os cursos à medida dos SMAS de Almada!?


E o escândalo continua…
Desta vez, no episódio n.º 3 da série «É verdade ou mentira?», o tal conjunto de crónicas sobre a «incompetência subserviente dos deputados municipais em Almada», vamos dar nota de mais um procedimento habitual nos SMAS de Almada que configura a prática continuada de um ato ilícito.
Trata-se da valoração indevida de um simples curso técnico de formação profissional, lecionado pelo ISLA de Santarém, mas que nos SMAS de Almada tem sido considerado pelos júris dos procedimentos concursais para dirigentes de direção intermédia (1.º, 2.º, 3.º e 4.º grau) como de pós-graduação.
E, desse modo expedito, se tem permitido a determinados trabalhadores obter uma classificação superior à merecida no parâmetro “habilitação académica” da avaliação curricular. A regularidade com que esta prática é assumida evidencia que há conivência dos SMAS e dos injustamente beneficiados com este esquema fraudulento pois são os próprios que indicam nos seus currículos que possuem uma pós-graduação que o júri aceita sem contestar (apesar de os certificados dizerem o contrário) e, assim, justificam que estas pessoas passem à frente de outros candidatos nos concursos para dirigentes.
Aliás, é bastante estranha a incidência de trabalhadores dos SMAS de Almada que frequentaram este curso (do ISLA de Santarém, é bom não esquecer) em Gestão da Qualidade e Ambiente… como se houvesse um “compromisso” entre ambas as entidades (estabelecimento de ensino e município de Almada) tipo acordo de formação para um fim específico... (a propósito, quem suportará os custos destas acções de formação?)
Aqui ficam alguns exemplos de titulares desta formação profissional, convenientemente mascarada de pós-graduação:
Mas há mais casos, muitos mais. Todavia estes exemplos já chegam para ilustrar a nossa denúncia. E importa referir ainda que, embora a especialização que o ISLA de Santarém apresenta como sendo a de «Gestão da Qualidade e Ambiente» (classificado como CET – curso de especialização tecnológica) diga que tem 1.020 horas em sala e 600 horas de estágio, estes certificados, pelo menos aquele a que tivemos acesso, indica uma duração total de apenas umas "míseras" 240 horas.
O caso foi descoberto a partir da análise dos documentos do procedimento concursal para dirigente de 3.º grau que Hugo Mestre venceu e que é o tal processo que a comissão eventual da Assembleia Municipal de Almada considerou não ter quaisquer irregularidade.
Embora o documento passado pelo ISLA de Santarém não deixe margem para dúvidas pois refere, logo no cabeçalho, que se trata de um «certificado de formação profissional» e até indique a legislação ao abrigo do qual é emitido: Decreto-Lei n.º 95/92, de 23 de maio, Decreto-Lei n.º 68/94, de 16 de novembro e Decreto-Lei n.º 35/2002, de 23 de abril.
Ou seja, aqui há marosca!
Por isso, como a Plataforma de Cidadania do Concelho de Almada não brinca em serviço (ao contrário dos deputados municipais do PS, PSD e BE que andaram muito distraídos lá pela comissão eventual que nada conseguiu ver – como convinha à CDU), apresentámos ontem mesmo mais uma denúncia ao Ministério Público durante a audição (como testemunhas) no âmbito do processo de averiguações que está a decorrer no Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada contra a CM/SMAS de Almada na sequência da queixa que fizéramos em Outubro de 2010.

22 comentários:

Anónimo disse...

Este comentário, vindo de alguém que fez uma suposta pós-graduação na Independente (a escola do Sócrates, para os distraídos), e uma coisa que ela chama parte curricular do mestrado, com equivalência a pós-graduação, e coloca isso no CV, é ridículo.

Sobre o número de horas para ser pós-graduação, a Sra. está muito mal informada.
Pergunte antes se o tal curso teve módulos com avaliação, se o corpo docente era habilitado, se existia controlo de acesso (a tal questao de ser ou nao licenciado, como costumam comentar por aqui!) e as questoes que de facto importam como critério. Talvez aí encontre questoes reais, não estas parvoíces.

Mas volto ao principio, para a Ermelinda, é preciso ter muita falta de vergonha para vir criticar tão levianamente o que provavelmente não conhece.

Antunes Vidal disse...

Este anónimo anterior é que é mesmo rídiculo.
A Ermelinda fez uma pós-graduação sim. Foi na Independente? Foi! Mas quer o senhor dizer com as suas palavras que todos os estudantes que lá andaram, de todos os cursos lá ministrados, são vigaristas e incompetentes?
Pois está muito enganado. Parece que na CM de Almada e nos SMAS é que estão concentrados os aldrabões... mesmo não tendo vindo da Independente conseguem ser mais vigaristas que o Sócrates em termos de habilitações fraudulentas, como aqui se prova e muito bem...
Não tem nada a dizer sobre o assunto? São estes certificados profissionais pós-graduações, é? Ah, não sabia...
E escusa de mentir para fundamentar a sua opinião: só pode mesmo ser comunista ou bloquista. Como não têm argumentos, mentem. Viu-se como reagiram na comissão da assembleia municipal. Mas provas? Nada!
Diga lá onde é que está escrito pela Ermelinda que ela diz que fez a parte curricular de um mestrado e afirma que tem uma pós-graduação. Tenha coragem, não seja cobarde, e diga onde viu isso escrito.
Por isso, parvoíces diz você e a corja de mentirosos e incompetentes que andam pela câmara. Vergonha na cara devia ter você... cobarde! que nem é capaz de mostrar a cara.
Ai as acusações são levianas, são? Pois, deve ser mais um dos tais...
Informe-se você e não minta que quem acaba mal são os vigaristas.
Força Ermelinda. Não desista. Continue a denunciar estes opotunistas.
Olhe que muita gente está consigo. Por isso, eles (CDU e os capachos do BE, mas também os inúteis do PS e do PSD: são todos coniventes) temem tanto o que a Plataforma de Cidadania faz.
Mas não desistam. Se fazem favor. Por ALmada! Estão no bom caminho.

Anónimo disse...

A camada de incompetentes que estão na CMA, se vê com um olhar sobre a cidade, esta, monumento da desidia, o mau fazer, a decadência e a fraude, todo realizado pela principal incompetente e cabeça da CMA, A EMILIA, família e a aldrabona e inexistente oposição.

Anónimo disse...

Antunes pá
Vá ao cantinho do blogue, e siga até ao currículo da tia Ermelinda, está lá tudo.
E depois vá lavar a boquinha com sabonete, seu palerma!

Realmente a Independente era uma escola magnifica, e fechou por causa do aquecimento global!
Mas tem razão, não foi só o Sócrates que lá passou, foi também o Vara, o Hermínio Loureiro, e mais alguns doutores e engenheiros que por aí circulam, dos bons!

Anónimo disse...

O vereador Carreiras tinha um desprezo por mestres e doutores e pelas Universidades que agora começo a perceber. Ele tinha alguma razão só acho excessivo valorizar o seu passado de metalúrgico como única academia que frequentou antes de ser gestor.
Ele lá sabia porquê para além das razões ideológicas que consideram a classe operária a líder da revolução.

Antunes Vidal disse...

Para o idiota das 17:19h

A Ermelinda o que escreve na sua nota biográfica é:
«Sou licenciada em Geografia e Planeamento Regional pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (da Universidade Nova de Lisboa), tendo concluído o respectivo curso em 1987 com a média final de 15 valores. Em 1993 frequentei o IV Curso de Mestrado em Planeamento Regional e Urbano, da Universidade Técnica de Lisboa, mas, por motivos de saúde, apenas fiz o 1.º semestre, tendo obtido a média de 13 valores em relação às disciplinas concluídas. Em 2005 conclui a pós-graduação em Gestão Autárquica Avançada (da Universidade Independente), com a qualificação de Muito Bom (equivalente a 18 valores).»

Portanto, não seja ordinário. Leia com atenção. Onde é que está ela a afirmar o que a sua mente deturpada diz?

E apresenta um certificado de frequência com as notas das disciplinas concluídas no 1.º semestre. Em lado nenhum está dito por ela que aquilo equivale a uma pós-graduação.

Portanto, quem é porco e precisa de lavar a boca é o senhor. Deve julgar que todos são desonestos como o senhor e os seus camaradas da CMA. Mas estão muito longe de chegar aos calcanhares da Ermelinda seu bando de incompetentes.

Anónimo disse...

Ermelinda então foste tirar a tua pós graduação na independente?!?!?! os leitores já entenderam tudo...não é preciso dizer mais nada

Anónimo disse...

Na independente tiraste o teu curso ?? isso é verdade... ???? agora caiste muitos pontos...

Anónimo disse...

para poder frequentar mestrado tem que se ter média de 14 na pós graduação ou licenciatura e tu tiveste 13 não foram problemas de saúde como tu dizes mentirosamente foi a tua falta de competências como se constata na gestão que fazes deste blog...mais tarde tiveste 18 na independente e na opinião popular a idependente é corrupta e isso não denuncias ...e toda a gente pecebe porquê...

Minda disse...

Para esclarecimento de algumas mentiras que têm surgido:

Em 1987 conclui a licenciatura em Geografia e Planeamento Regional na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa com a média final de 15 VALORES, qualificação de Bom.

Em 1992/93 frequentei o mestrado em Planeamento Regional e Urbano da Universidade Técnica de Lisboa após realização de um módulo preliminar obrigatório realizado no ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão (que teve a duração de três meses) e no qual fui a 4.ª classificada dos 23 selecionados entre mais de cinco dezenas de candidatos. Por motivos de doença, devidamente comprovada com internamento hospitalar, apenas consegui realizar o 1.º semestre tendo obtido a média de 13 VALORES nas disciplinas concluídas.

Em 2004, por indicação dos Serviços e no âmbito do programa FORAL (Formação para as Autarquias Locais, subsidiado pelo Fundo Social Europeu), conclui o curso de pós-graduação em Gestão Autárquica Avançada, lecionado na Universidade Independente em parceria com a ATAM – Associação dos Técnicos Administrativos Municipais. Nele obtive a classificação final de 18 VALORES, qualificação de Muito Bom.

Ao longo da minha experiência como técnica superior na Administração Pública, faz agora 25 anos em 15 de junho próximo, realizei muitas dezenas de cursos de formação profissional, sempre identificados como tal, em vários domínios de especialização mas, sobretudo, na área do Direito Administrativo e da Gestão Financeira e de Recursos Humanos, lecionados por entidades devidamente credenciadas para o efeito como seja o INA – Instituto Nacional de Administração (Lisboa), o CEFA – Centro de Estudos e Formação Autárquica (Coimbra) e a ATAM (Santarém).

Pelo meu desempenho na Assembleia Distrital de Lisboa, recebi duas menções de MÉRITO EXCEPCIONAL, devidamente fundamentadas e aprovadas (ambas por unanimidade) pelo plenário da Assembleia Distrital – que reúne todos os presidentes de Câmara e Assembleias Municipais do distrito de Lisboa e um presidente de Junta por cada concelho, em 02-01-1997 e 03-05-2000.

Quaisquer dúvidas sobre o acima descrito pode ser documentalmente provado a quem o solicitar à Assembleia Distrital de Lisboa, através de requerimento, nos termos da lei.

Anónimo disse...

Mentirosos comunas

Anónimo disse...

Ermelinda
O que é que essa lengalenga tem a ver com o facto de a Independente ser o que foi?
E que raio de justificação é essa de "estive internada" para não ter feito um curso? O facto é que não fez nada, e continua a colocar no currículo essa treta de "acabei umas cadeiras". Isso não é nada, um curso ou é terminado ou não, o resto são balelas e conversa de café.

Já ter feito dezenas de cursos em 25 anos é relevante, daquilo que se deve trabalhar na assembleia distrital!

Não gosta de adaptações da verdade, ou mentiras se assim preferir, então tenha mais cuidado com as suas fontes.
É um facto conhecido que quem diz o que quer ouve o que não quer.

Antunes Vidal disse...

Porra que estes gajos são mesmo estúpidos e bacocos.
Arre que falta a paciência para os aturar. Gentinha ignóbil.
Agora pergunto eu a esta besta das 11:53h: saberá por acaso se, quando por que motivo terá a Ermelinda estado internada para dizer que isso a não impediria de fazer o curso? saberá das razões e factos que a isso terão levado para vir aqui dizer tanta idiotice?
Dizer que fez umas disciplinas num semestre de um mestrado é crime? olhe que crime é o que os camaradas do pcp fazem de dizer que um curso de formação profissional é pós-graduação e só porque é do ISLA e não da Independente, porque são camaradas e portanto "honestíssimos", já merecem louvor?
Este deve ser mais um dos que tem um curso fabricado à medida: engenheiro ou jurista...

Anónimo disse...

Antunes pá
Está na hora do chá de camomila, ou então do Xanax, vá lá que eu espero.

Não percebeu a intervenção anterior, então eu explico melhor.
Uma pessoa inscrever-se num curso, sair passados 3 meses, seja lá porque razão for, não lhe dá direito a nenhum tipo de titulo.
Depois a sua madrinha saiu porque supostamente esteve doente, mas não consta que a escola tenha fechado (isso foi a outra onde ela andou depois naquela espécie de pós-graduação), então podia ter regressado para terminar o curso. Em todo o caso no meio desta conversa vir com o argumento da coitadinha que esteve internada não acrescenta nada de útil.

Já a outra pós-graduação do ISLA, se calhar é melhor informar-se melhor para não andar aqui a repetir palermices. E isso leva-nos de volta ao principio da história. A sua madrinha, que tem telhados de vidro muito fino, gosta de atirar pedras, com base em meias historias que algum bufo dos recursos humanos lhe anda a passar cirurgicamente, mas de tão iludida nem percebe que está a ser instrumentalizada.

É de novo a questão dos tais que não tinham cursos, e que era tudo falso, e que a judiciaria isto e aquilo, e no final não era nada.

Antunes Vidal disse...

Ó seu ignorante (tu sim, o anónimo das 16:14h

Mas onde é que a Ermelinda afirma nalgum lado que frequentar um semestre do mestrado lhe deu direito a algum título? E se frequentou as disciplinas e foi avaliada, porque não indicar que o fez e as notas que teve? Saberá vossa inteligência que é possível frequentar disciplinar em cursos superiores, de forma autónoma, para adquirir conhecimentos e não títulos académicos? Pois, é bem capaz de não saber pois talvez nem a escolaridade mínima obrigatória tenha...

E coitadinho é você! seu ignorante. Referir o internamento é armar em coitadinha? Isso deve ser você para quem a doença lhe deve ter tirado o discernimento e, de facto, ficou mesmo coitadinho. Quanto às razões para não ter retomado o curso nada importam aqui para o caso. Não desvie a conversa que já se perdeu. regresse á terra e aproveite para ir beber o chá que me aconselha. A si está a fazer-lhe mais falta... é notório.

Ah pois a pós-graduação do ISLA... acontece que aquilo não são pós-graduações homem. Abra os olhos, são CET. Sabe o que são? Vá-se informar. Leia a legislação que a Ermelinda refere. Consulte a página do ISLA. Faça qualquer coisa mas vá mentir para outro lado.

Anónimo disse...

e os que foram ao CNO de Cacilhas-Tejo, essa instituição tão digna e tão prestativa na passagem de diplomas de reconhecimento de "competências". Ah, mas ela é tua amiga do facebook...

Anónimo disse...

os problemas de saúde da Tosca são de «carácter permanente»

Anónimo disse...

Antunes Vidal pá

Diga lá à Minda para ver melhor, que os cursos foram há alguns anos e não eram CET.
O site actual tem outra coisa, debilóide.

Do CV da Minda, diga-lhe que essas cadeiras avulsas não se colocam em habilitações académicas, mas sim em outras formações.
Não lhe faz mal nenhum aprender, só é pena que com dezenas de cursos ainda se deixe manipular nas mãos de artistas, que só querem desestabilizar.

Paulo Miguel disse...

Anónimo anterior:
Deve ser por ter sido frequentado à uns anos que um certificado que indica, claramente, no cabeçalho que é de um curso profissional e até enuncia a legislação aplicável, que nos SMAS passaram a considerá-lo como pós-graduação. Saberão ler?
Deixa-me rir!!! Não eram CET... ah pois não. Eram meros cursinhos de formação profissional tal qual a lei indica.
Informe lá os seus camaradas dos SMAS que esse tipo de formação se inclui na "formação profissional". Certo? E não dá direito a ganhar mais pontos na formação académica. Percebeu?
Vá, não se arrelie. Eu já percebi que a sua inteligência é, de facto, muito pouca. E até o desculpo.
Vá beber o cházinho que eu vou continuar a ver o jogo do meu Sporting que está a ganhar...

Anónimo disse...

Paulo Miguel pá

Tem a certeza que esse certificado é o único? não haverá outro?

Quer saber mais, pergunte lá ao bufo dos recursos humanos, talvez ele lhe explique a razão.

Vá lá ver o sporting, parece que o pai natal já chegou

Paulo Miguel disse...

Não me digam que, naqueles anos de 2005, 2006 e 2007 as pós-graduações se faziam pelo somatório de cursos de formação profissional. Será?
E não, não havia outro. Era só este e bastou para o senhor dirigente se considerar com uma pós-graduação e o júri o ter classificado com tal.
Mas há mais certificados deste tipo sim... mas de muitas outras pessoas. No artigo indicam-se seis. Mas o número é muito mais elevado...

Anónimo disse...

Paulo Miguel
Ligue para o ISLA, em vez de repetir palermices, e pergunte nos serviços académicos.
Nem uso é o que parece, nem todos são corruptos, como a Ermelinda e amigos querem fazer parecer.

Related Posts with Thumbnails