quarta-feira, 12 de maio de 2010

ECALMA, sim ou não, eis a questão!

Jornal da Região - Almada, 07-05-2010


A propósito da notícia acima, hoje vou escrever sobre a ECALMA. E aviso, desde já, que esta é a minha opinião pessoal e não a do Bloco de Esquerda. Como cidadã decerto terei direito a expressar o que sinto sem que isso vincule o meu partido, embora ultimamente apareçam uns comentadores de “meia tigela” (adjectivo bastante suave para classificar o que penso dessa gente) a achar que uma e outra coisa se confundem, apenas para provocar e tentar evidenciar supostas contradições.

Mesmo correndo o risco de ser apelidada “anti-almadense” na cabecinha destes seres obcecados e intolerantes que por aí andam a infestar a blogosfera (e não se chateiem que o barrete só serve a quem o enfiar), começo por dizer que não faço parte desse grupo de cidadãos que julga ver a solução para os seus problemas no fim daquela empresa municipal e na reabertura do eixo central da cidade ao trânsito rodoviário.

Repartem as pessoas em dois grupos, sem hipótese de meio-termo: queres acabar com a ECALMA? Então, és dos nossos e defendes o interesse da população. Não queres o fim da ECALMA? Então, és contra os cidadãos almadenses – se não és a meu favor és contra mim… lembram-se?

Já aqui muito escrevi sobre a ECALMA e o estacionamento em Almada. Não me vou repetir.

Gostaria apenas de realçar que partilho algumas das preocupações deste movimento de cidadãos, entre elas a acusação de haver falta de formação técnica dos agentes (ou, se a têm, acrescento eu, existe um fraco nível de aplicação dos conhecimentos adquiridos).

Atitudes parciais de alguns agentes e aplicação de multas de forma selectiva (ou seja, para infracção idêntica, multam uns e outros não) é uma das queixas mais apontadas e que partilho igualmente, assim como a da intolerância de muitos daqueles trabalhadores, apesar de haver excepções (que, lamentavelmente, apenas servem para confirmar a regra).

Afirmar que não se está contra a CMA mas sim a favor da extinção da ECALMA, sendo aquela uma empresa municipal cujo conselho de administração é presidido por um vereador do executivo camarário, não me parece fazer qualquer sentido.

Assim como o motivo evocado, de que a ECALMA “não garante segurança nem sabe gerir o estacionamento”, embora possa concordar que tem algum fundamento, não me parece ser suficiente para sustentar a extinção da empresa até porque o que está mal não são os seus estatutos mas, pelos vistos, a forma como é administrada. Nesse caso, peça-se que mudem os gestores e exija-se melhoria da qualidade do serviço prestado, a começar pela melhor qualificação dos agentes, cuja actuação deve ser monitorizada a fim de se evitar actos de favorecimento.

Acabar com a ECALMA? Para quê? Para que os carros voltem para cima dos passeios? Para que se estacione à porta de casa mesmo que obstruindo a saída dos edifícios e impedindo a mobilidade dos peões?

Actualmente a ECALMA não cumpre a sua função e anda numa evidente “caça à multa”? Denuncie-se a situação. Há agentes que são corruptos? Identifiquem-nos. Há fundamentos que justifiquem uma reclamação? Façam-no por escrito e não se limitem às “conversas de café”.

Sejam cidadãos exigentes. Defendam os vossos direitos mas não se esqueçam que também têm deveres.

42 comentários:

Beatriz disse...

Compreendo a sua preocupação com o estacionamento indevido.
Todos nós somos peões, antes de sermos automobilista e é complicado andar em cidades que não sabem o que fazer aos carros.
A verdade é que a Ecalma foi um organismo criado como solução para o problema do trânsito. O que defende este grupo de cidadãos é que o problema não está na gestão do estacionamento, mas na falta deste. A Ecalma faz sentido se tivessem sido criadas alternativas. Porque não criar uma polícia municipal, como existe em Braga ou em Cascais? Assim, multavam, mas podiam também garantir a segurança. Sempre eram mais úteis.

Minda disse...

Beatriz:

E não é que até concordo consigo?

Só com um pequeno esclarecimento: a ECALMA foi criada para gerir o estacionamento e não para solucionar o problema do trânsito.

Embora não me tenha debruçado com profundidade sobre o assunto, sou favorável à ideia da Polícia Municipal.

Carlos Alberto disse...

A Ecalma e a proibição de circular no centro da cidade, são filhas da mesma mãe.
Mãe essa que já destruiu , sem retorno, o comércio de Almada.
A caça desenfreada ao cidadão comum que o único pecado é ter um carro comprado a prestações, é um facto.
Mas o que seria de esperar desta CMA?

Anónimo disse...

Minda fui um dos que le fez a pergunta sobre a ecalma,nunca a minha posição foi,ou estas comigo, ou contra mim,essa nunca foi a minha postura,é evidente que assim se tinha terminado cualquer dialugo entre nós,o que defendo sim são outras expriencias,que funcionam noutras cidades,mas este Pais e concretamente quem governa esta cidade,sempre penaliza os cidadãos por a sua propria incompetêcia,em relação á chamada zona pedonal nunca se pode pedonalizar a unica arteria que esta cidade,não estou contra a pedonalização de algumas ruas,mas á factores a ter em conta, tais como a segurança as urgências e os seviços ai sutuados,todos los lembramos do incendio em Lisboa e os famosos vasos da rua Garret,que não facilitaram a entrada dos bombeiros. Jorge D

Minda disse...

Carlos Alberto:

Em termos de paternidade o pai é o Plano de Mobilidade Almada XXI e a mãe é a CMA. A ECALMA, quando muito, poderá ser uma filha que nasceu com alguns defeitos e, por isso, precisa que lhe tratem da saúde.

Quanto ao comércio de Almada, sejamos claros.

A situação actual já se adivinhava há muitos anos, desde que foi programado o Centro Comercial Almada Fórum, por exemplo. E agravou-se com as obras do MST e, sobretudo, com a ausência de medidas preventivas assumidas a nível autárquico mas, também, perante a passividade da Associação de Comerciantes e, até, do comodismo da maioria dos empresários.

Culpas no cartório têm todos os envolvidos: autarquias (Câmara e Juntas de Freguesia), comerciantes (em termos colectivos e a título individual) e até a população residente que prefere ir fazer compras para outro lado e não apoia o comércio local.

Mas como é impossível voltar atrás no tempo e emendar as asneiras do passado, há que tentar resolver os problemas do presente. Parece-me contudo, que muitos estão a fechar os olhos à situação no que toca a juntar forças para a ultrapassar, preferindo ficar arreigados, teimosamente (quiçá por conveniências escusas que não entendo) ao conceito de que já nada é possível fazer… assim, pois claro, nada se conseguirá, de facto fazer. Não venham é, depois, achar que nada se fez por culpa dos outros.

Minda disse...

Jorge D:

No meu texto refiro, expressamente, que o barrete só servirá a quem o enfiar. Por isso se não é consigo, não se preocupe. Infelizmente, haverá muitos que o irão enfiar…

No seu comentário existem vários aspectos a considerar:

Primeiro – também considero que é importante analisar outras experiências, ver o que resultou, os problemas surgidos e como forma resolvidos, etc. Não sei se foi o caso do Plano de Mobilidade Almada XXI (tenho as minhas sérias dúvidas em alguns aspectos que me pareceram desenhados em gabinete sem uma verificação no terreno e posterior adaptação).

Segundo – A suposta zona pedonal de Almada não é assim tão restritiva pois continua a ser atravessada por muitos veículos automóveis e até transportes públicos rodoviários (algo que me parece um contra-senso: é mas não é, nem deixa de ser), logo não se compara com os exemplos referidos.

Terceiro – O eixo viário Av.ª D. Afonso Henriques / AV.ª D. Nuno Álvares Pereira, embora central, não é a única artéria da cidade de Almada e o trânsito nem sequer está proibido em toda a sua extensão mas apenas numa pequena parte a qual, mesmo assim, é possível de atravessar embora com muitos condicionalismos.

Anti-Tigelas disse...

Cara Minda,
Tem toda a razão para estar indignada com alguns comentadores de “meia-tigela”.
Sugeria-lhe que estabelecesse as seguintes “regras editoriais”:
Considerando que:
a. A autora do blog é militante e deputada municipal, pelo BE, mas este blog não é do BE;
b. Este blog é apenas para dar a conhecer as reflexões pessoais da autora;
c. Qualquer semelhança entre as suas reflexões e as posições políticas do BE, são pura coincidência;
d. As reflexões da autora pretendem, tão somente, ajudar as mentes mais obtusas;
e. A publicidade às reflexões da autora deve-se, tão só, ao seu altruísmo.

E, ainda, porque alguns comentadores não alcançam o elevado nível moral e intelectual das minhas reflexões, sou obrigada a impôr as seguintes regras:

1ª - Quem pretenda fazer comentários, deverá ser previamente certificado pela autora;
2ª – Apenas poderão ser certificados, como comentadores, as pessoas que:
- Assumam o compromisso de concordar, sempre, com as opiniões da autora;
- Assumam o compromisso de não discordar das posições políticas do BE;
- Reconheçam o relevante serviço prestado pela autora, em prol da cidadania, exercido com muito sacrifício e com enormes prejuízos para a sua vida privada.

Um Apoiante,

Carlos Alberto disse...

Estou de acordo quando diz que o Forum foi também um dos causadores, mas como foi dito pela Administração da autarquia, o objectivo era "mudar as centralidades" e lançaram um novo polo de centralidade no Pragal.
Portanto até acho que o que estão a fazer á cidade já há muito que estava anunciado.
O problema consiste no que os cidadãos deixaram fazer e agora como diz, a solução é fazer remendos.
Almada é um exemplo de como 2 boas soluções, zona pedonal e comboio urbano, se transformaram num pesadelo para comerciantes e população.

Forum disse...

Anti-Tigelas tem razão.
Proponho adicional Ermelinda vá já para adjunta da M. Emília e futuramente seja sua sucessora.

É o triunfo da nova esquerda esclarecida independente e mandante para Almada ccontinuar a deslizar para o poço.

VascoV disse...

Ainda bem que constato que a D. Minda reflecte no seu blogue apenas a sua opinião e não a do Bloco de Esquerda.
Pelo menos a julgar pela confissão que a senhora teve o cuidado de inserir no texto.
Podia este humilde cidadão munícipe escalpelizar o assunto mas ainda bem que surge com toda a oportunidade o Anti-Tigelas.
E olhe D. Minda que vale a pena seguir a perspectiva do referido bloguista.
Nada mais adianto para não repetir o que já foi escrito.
A bem da nação almadense,
EU

Anónimo disse...

Minda é muito pouco educado da sua parte dizer que um cidadão que poe uma questão no seu blog,enfie o barrete, foi você que se dispos em ir a eleições, como tal e da sua parte tem que ser o mais correcta e educada,nesta cidade parece muito normal responder mal aos cidadãos,já e senhora presidente tambem, quando não le enteresa acusa os cidadãos de falta de repeito,por favor não faça voçê o mesmo mesmo. Jorge D

Minda disse...

Anti-tigelas:

“Nem meias nem inteiras, tigelas nunca mais!”
“Pelas canecas, abaixo as tigelas já!”
“Contra as tigelas, marchar, marchar!”
“Canecas unidas venceremos, pelo fim das tigelas!"

Pode escolher um, ou todos. Não cobro direitos de autor.

Minda disse...

Carlos Alberto:


Criar novas centralidades é uma opção de planeamento urbano e não é, necessariamente, uma coisa má.
Só que, em Almada, ela não terá sido acompanhada por uma estratégia de revitalização do centro da cidade e isso acabou por levar à sua degradação.

Minda disse...

Fórum:

Sugiro que se junte ao movimento “pelas canecas contra as tigelas”.

Minda disse...

Sr. Vasco:

O movimento “pelas canecas contra as tigelas” vai ganhando adeptos. Qualquer dia seremos muitos e vamos dominar Almada, o distrito, o país, o mundo…

Minda disse...

Jorge:

Mea culpa. Mea culpa.
Tem toda a razão. Peço desculpa pelos palavrões utilizados, pelas ofensas proferidas, enfim, peço desculpa por ter opinião e a expressar.

Anónimo disse...

Minda não tem porque pedir desculpa,eu entendo que muitas vezes é dificil ser sereno,só que eu estive a trabalhar muitos anos fora,embora tenha vindo duas ou trez vezes ao ano,quando regresso a Almada á quatro anos começo a perguntar-me o que tinha passado nesta cidade,esta tinha vida propia,tambem era dinamica,e me encontro que tudo depende da CMA que o tempo não passou, que cada vez as pessoas são mais idosas,e que não ouve uma renovação geracinal,tudo aquilo que por parte do municipio,é simplesmente virtual,e é aqui que penso que está o papel da opusição,com uma opusição forte estes factos nunca tinham passado. um saudo. Jorge D

Forum disse...

Agradeço a sugestão.
Gosto muito de canecas de cerveja estupidamente gelada para acompanhar boas gambas, tigres e lagosta, frutos do mar preferidos pelos PCs e esquerdistas progressistas, mas não destesto as tijelas, têm sua função social.

Minda disse...

Jorge D:

A oposição em Almada sempre foi fraca. Tem toda a razão.

Mas pela parte que me toca, tudo farei para que as coisas se invertam, embora a minha capacidade de intervenção seja limitada à Assembleia Municipal e à Assembleia de Freguesia de Cacilhas.

Mesmo assim, pode crer que já encetei lutas difícies e consegui vencer. São pequenos nadas, dirá, mas a seguir outros maiores virão. Uma coisa é certa: não sou de desistir.

Minda disse...

Fórum:

Pela parte que me toca, não aprecio cerveja nem sequer marisco, prefiro caracóis.

Quanto ao vasilhame, tudo depende do uso e da ocasião. Caneca ou tigela tanto faz. Tenho uma boa colecção de ambas.

Anónimo disse...

Fui um dos assinantes da petição....
Não sou fácilmente infuenciavel por "argumentário" de algibeira.
Num concelho em que nunca se cumpriram as regras de criação de espaços onde as pessoas possam viver (incluo nesses espaços os parques de estacionamento, para não falar de outros...), foi criada uma empresa municipal para gerir a CIRCULAÇÃO e o ESTACIONAMENTO. Moro na Cova da Piedade, ali foram colocados parquímetros e zonas de estacionamento para residentes que são de todo insuficientes, quando chego raramente tenho lugar para estacionar nas referidas zonas. A isso chama-se gestão?....
Nem quero abordar os erros de sinalização, em total desrespeito pelo Código da Estrada....
Assim sendo, para que serve então uma empresa que deveria servir e não serve?...
Por isso assinei a petição.

Luís Neto

VascoV disse...

Entretanto vão-se confirmando os tachos.
Não me diga que o seu Bloco está isento!

Anónimo disse...

Ana F.
Este movimento pretende causar impacto nas pessoas. É certo que a ECALMA faz todo o sentido quando criadas alternativas para moradores/comerciantes/visitantes.
Eu como moradora,não posso receber visitas em casa durante a semana à hora em que estes senhores trabalham.
Foi esta camara municipal que não pensou em quem lhes dá dinheiro. Foram eles que criaram esta empresa sem antes pensar no "povinho".
Como tal, este grupo pretende sim, que seja criadas alternativas (alternativas estas que deviam ter sido pensadas logo de inicio quando destruiram o estacionamento que existia)e depois a ECALMA pode entrar em acção.
Sou totalmente contra quem não respeita os outros, é certo que os passeios são para as pessoas andarem e não para carros abusarem.
Mas se pensar bem...irá reparar que em Almada com as construções do metro foram criados passeios onde cabem lado a lado dois elefantes. Também já deve ter tido oportunidade para reparar que há esplanadas licenciadas pela CMA, que ocupam o passeio inteiro e obrigam as pessoas a circularem na faixa de rodagem.
Como tal não entendo? Há dois pesos duas medidas?
Como é ECALMA foi criada então para que neste momento?
Desculpe, mas é pura e simples "caça à multa". Isto não zelar pelos os interesses de ninguém.
Almada é governada pela vereação do CDU há cerca de 36 anos com maioria absoluta.
Foi esta gestão que não garantiu ao longo dos anos, espaços públicos de estacionamento, que não permitiu a construção de prédios com garagens e que permitiu a construção desordenada e selvática de Almada.
Cumprimentos,
Ana F.A

Carlos Alberto disse...

Estou de acordo que a mudança de centralidades não é necessáriamente uma coisa má, mas o que aconteceu não foi isso.
Criaram uma nova centralidade, (e porquê no Pragal?)e deixaram o resto da cidade como um deserto...
Se calhar o ministro é que tinha razão, quando disse que ...era um deserto, e ele lá sabia porque foi militante do partido no poder há 36 anos em Almada.

Minda disse...

Luís Neto:

Se a sua convicção é essa, acho que fez muito bem em assinar a petição.
E até concordo com algumas das suas observações:
O estacionamento para residentes é insuficiente;
Os erros de sinalização são mais que muitos;
A ECALMA tem feito uma má gestão do estacionamento.
Todavia continuo a achar que a solução não será acabar com a empresa mas denunciar estes casos, exigir uma reformulação orgânica da empresa e que melhore a qualificação dos agentes.

Minda disse...

Sr. Vasco:

Claro, isento só mesmo o senhor.

Minda disse...

Ana F. A.:

O Plano de Mobilidade da CMA tem muitos defeitos. Um deles foi, de facto, aparecer a ECALMA antes de terem sido criados os parques de estacionamento suficientes.
Conheço algumas esplanadas licenciadas, mas não casos em que ocupem todo o passeio. Se isso acontece (e acredito em si) são casos a denunciar pois não é justo. Tem toda a razão na observação que faz.
Em termos de urbanismo, a CMA tem muitas falhas a apontar, sendo uma delas o facto de ter “congelado” a reabilitação no centro da cidade em troca da construção na periferia.

Minda disse...

Carlos Alberto:

Dado a ausência de uma estratégia de revitalização do centro da cidade, as novas centralidades, no Feijó e no Pragal , acabaram por contribuir para a a desertificação do centro da cidade.

Anónimo disse...

Minda a questão posta por o sr Luis Sanches,é muito pertinente,eu mesmo tenho posto esa quesão aos varios partidos da opusição,suponho que nada é imposivel,querer é poder,o que esta em causa, é a sobrevivência da nossa cidade, por cima dos intereses de qualquer partido,temos uma situação geografica que poucas cidades teêm,temos a capital ao lado, temos uma praia que é das melhores da peninsula Iberica,e por não ter sabido gerir bem o nosso patrimonio,somos lamentavelmente uma das zonas com mais desemprego deste Pais,quando podiamos ter sido uma das zonas mais ricas,e sem duvida com menos de semprego,suponho que isto são razões suficientes para começar a pensar que os partidos da opusição se ponham de acordo, Jorge D

VascoV disse...

Não sou o único.
Basta não alinhar em Blocos para ser isento...

Minda disse...

Jorge D:

Também considero que o Sr. Luís Sanches fez umas observações muito pertinentes.

A oposição tem muitas culpas no cartório pelo estado a que Almada chegou, de facto.

Os partidos trazem para o âmbito local (autárquico) as desavenças de nível nacional e, por isso, não se conseguem entender. Confundem a Assembleia Municipal com a Assembleia da República e deixam que as velhas lutas entre esquerda e direita dominem as discussões políticas.

A juntar a isto temos atritos do passado e questões de índole pessoal que, lamentavelmente, ninguém faz por ultrapassar.
Deste imbróglio ninguém sai isento: partidos políticos e cidadãos. Pois se uns são o que são, são-no porque os outros assim o permitem.

Há, de facto, razões mais do que suficientes para que, em Almada, os partidos da oposição se unam. Mas, lamentavelmente, custa-me a crer que se consiga esse obejctivo, pelo menos nos tempos mais próximos. Mesmo aqueles que acham ser essa a solução para os problemas do nosso concelho, acabam por criticar toda e qualquer aliança.

Minda disse...

Sr. Vasco:

Não é o único? E eu a julgar que sim…

VascoV disse...

Não vai conseguir levar-me onde quer.

Minda disse...

Sr. Vasco:

Mas quem lhe disse que eu o pretendia levar a algum lado?

O sr. é que pretende chegar a um determinado objectivo, como ficou esclarecido num outro comentário. Não precisa de se esforçar mais...

VascoV disse...

Realmente a senhora não merece muito.
Para não dizer nada.
Vá onde quiser e não venha encher o seu blogue com aleivosidades e petulância.

Minda disse...

Sr. Vasco:

Poderia responder-lhe à medida deste seu comentário. Mas isso era descer à sua cobarde falta de nível e, de todo, nunca o farei.

Felizmente, este é mais um assunto encerrado.

VascoV disse...

A D. Minda vai encerrando os assuntos nitidamente por falta de recursos mentais ou porque nada tem para dizer?

Anónimo disse...

Sra. Minda,

"Todavia continuo a achar que a solução não será acabar com a empresa mas denunciar estes casos, exigir uma reformulação orgânica da empresa e que melhore a qualificação dos agentes."

Pois é, este país tem vivido de planeamentos de soluções, de projectos de soluções, de reformulações de soluções, etc. Por isso somos o país que somos, por isso temos o Governo que temos, por isso temos os representantes nos orgãos autárquicos que temos, por isso estamos como estamos... pensamos muito e agimos pouco. É sempre muito mais fácil ser politicamente correcto e não se fazer nada. No caso concreto da ECALMA, para que serve essa empresa? Ou será que o Bloco de "Esquerda", devido a ocupar um lugar de vereação, também já poderá nomear um administrador ou vice-presidente da ECALMA?.... há posições que não entendo, que cada vez mais se parecem com a teoria das rectas paralelas, "...por mais que se prolonguem nunca se encontram."...
Reafirmo Sra. D. Minda, se essa empresazeca não existisse, se a Polícia desempenhasse convenientemente as suas funções, o concelho só tinha a ganhar. É mais uma daquelas "coisas" que serve para engordar o "monstro" do despesismo injustificável.

Luís Neto

Anónimo disse...

O movimento "Queremos acabar com a Ecalma" a meu ver não só enfia o barrete, como pega o touro pelos c..., são já um "grupo de forcados amador" bem organizado e disposto a fazer a pega a qualquer touro das melhores ganadarias(ou comité). Coragem, é o que tenho a dizer sobre esse grupo de cidadãos que nos defende e ataca o problema com garra e dedicação. Se eles conseguirem, eu mando o meu chapéu para a arena, se não conseguirem...então o meu obrigado por tentarem. Portanto, o seu comentário a este movimento é no minímo estranho e desmotivador, tendo em conta que está sempre tão defensora dos interesses dos almadenses. Acho que o problema dos políticos deste concelho é não conseguirem movimentar tanta gente como eles fazem.

Minda disse...

Luís Neto:

Ter uma posição diferente da sua significa que se é corrupto? É isso que dá a entender apenas porque não defendo que se deve acabar com a ECALMA… Acha isso eticamente correcto? Eu não!

E apenas porque manifesto uma opinião pessoal que não é idêntica à sua, lança logo a suspeita de que o partido a que pertenço terá a mesma e que isso é sinónimo de interesses escusos… Acha isso eticamente correcto? Eu não!

Nem eticamente correcto. Nem democrático! Além de que demonstra um desconhecimento total sobre os órgãos sociais desta empresa municipal.

E somos o país que somos porque temos os cidadãos que temos, já que somos nós que fazemos o país, e se os políticos são o que são, são-no porque a sociedade assim o permite.

Se, se, se… Se a ECALMA não existisse, se a polícia cumprisse a sua função, se… Onde está a alternativa? Se, não chega!

Se os cidadãos em geral passassem a andar mais a pé em vez de levar o carro para todo o lado… se os cidadãos fossem mais cumpridores… se todos estivessem mais conscientes dos seus deveres (já que dos seus direitos parecem estar)… aí sim, Almada seria um concelho melhor.

E sobre o despesismo injustificável: inclui os postos de trabalho dos agentes nessa rubrica? Ou está a referir-se aos membros do conselho de administração? Sabe quantos são? Quanto ganham?

Pois eu acho muito mais inqualificável certas práticas de gestão como: a atribuição de milhares de subsídios sem critérios transparentes, a proliferação de certo tipo de equipamentos que depois ficam subaproveitados, a aquisição de certas obras de arte para decoração urbana, a adjudicação de projectos a equipas externas desaproveitando os técnicos da autarquia, e por aí adiante…

Minda disse...

Anónimo de dia 19, das 19:11

Reconheço que foi preciso ousadia para criar o movimento “queremos acabar com a ECALMA”. E até concordo com muitas das suas preocupações.

Mas daí a considerar que têm 100% de razão em tudo o que defendem vai uma grande distância.

Não assinar a petição é crime? É um direito deles manifestarem-se. Acho que o devem fazer. Se têm muitos adeptos, óptimo.

E só eles é que defendem os almadenses? Então não temos direito a ter opinião contrária? Ou quem a tem não pode ser almadense?

Estranho conceito de democracia este…

Almada sem (E)CALMA disse...

Novo site do Movimento "Almada sem (E)CALMA".

Novo grafismo,
o mesmo Link!

Agora com secção de Notícias e de Downloads!
Imprima o material de divulgação do Movimento!

http://almadasemecalma.co.cc/

Related Posts with Thumbnails