segunda-feira, 9 de Abril de 2012

Almada: Boletim Municipal é o Avante da Câmara?!


Depois de na última Assembleia Municipal, realizada no dia 23-02-2012, na sequência da apresentação de uma moção sobre «abertura e pluralismo nos órgãos de comunicação municipal», apresentada pelo PS, um deputado da bancada da CDU ter perguntado,

«se a Câmara der um espaço no Boletim Municipal ao Partido Socialista, o Partido Socialista dá um espaço à Câmara no Ação Socialista*?»

todos tivemos a confirmação daquilo que há muito tempo vinha sendo óbvio: que, para a CDU de Almada, o Boletim Municipal é, afinal, o Avante** da Câmara Municipal.



»«»«»«»«»«»«»

Não acredita?
Consulte AQUI a transcrição das intervenções
na Assembleia Municipal em causa.

9 comentários:

Anónimo disse...

Minda
De facto o rapaz da CDU é um distinto idiota, mas pelo menos sincero.
Mas se acha isso desse boletim, devia ter o prazer de ver uma coisa que chamam de Almada Tv, subsidiada pela CMA, e que tem meia dúzia de moços e moças a entrevistar a Emilia e os vereadores.
Depois num registo mais refinado, podia ver um boletim interno dos SMAS, a coisa é chamada de Informar, mas na prática é um panfleto produzido pelo já famoso Carlos Mendes, com editorial do presidente que faz a apologia constante à greve e à revolta, seguido de várias páginas em que se reportam coisas como uma moção em defesa da água publica (dizem eles que provada por unanimidade e aclamação), numa espécie de plenário em que na tribuna estava o presidente e havia para aí 30 pessoas.

Anónimo disse...

Tanta estupidez e tanto desnorte. Já cheira mal!

Transcrições do que se passa na Assembleia Municipal de Almada feitas pela srª Ermelinda Toscano? Para quê? Porquê? Será uma indomável necessidade de se colocar em bicos dos pés? Será necessidade de se autoafirmar (e autoconvencer) como pessoa de extraordinária competência e saber? Será, mais prosaicamente, narcisismo puro?

Seja o que for, não vale a pena tanto esforço, tanto suor, tanta dedicação “à causa”. Está tudo, absolutamente tudo, na acta oficial da Assembleia Municipal.

Quem quiser confirmar o que eu digo, basta seguir este link:
http://www.assembleialmada.org/content/index.php?action=detailfo&rec=1340&t=2009+-+2013+-+X+mandato e consultar a acta nº 4. Está lá rigorosamente tudo!

Para que é preciso então a srª Ermelinda esmifrar-se a fazer transcrições? Já agora, pergunto eu: como pode esta srª fazer estas transcrições tão fiéis no seu conteúdo? Tem memória de elefante? Para além de geógrafa e outras especializações que diz que tem, também se especializou em estenografia? Ou ... ou gravou sem autorização, por isso ilegalmente, o que foi dito na Assembleia Municipal? Ou … está a publicar a acta da Assembleia Municipal como se de uma transcrição sua se tratasse? Como não sei do que se trata na verdade, não termino qualquer juízo de valor ...

O certo é que não é preciso transcrições. O texto oficial é claro, transparente e está disponível a qualquer mortal.

Esta atitude da srª Ermelinda qualifico-a, sem quaisquer hesitações, como verdadeiramente vergonhosa e absolutamente inaceitável. Não passa de uma tentativa hipócrita de insinuar que os cidadãos precisam de fazer transcrições pessoais do que e dito na Assembleia Municipal de Almada para se saber o que se lá passa, o que é uma mentira retinta, uma atitude que qualifica esta personagem como alguém sem quaisquer escrúpulos e de muitíssimo baixo nível, reles para utilizar o termo adequado.

Quanto ao conteúdo concreto do que diz esta srª, só mesmo uma enorme e ruidosa gargalhada. Porque também só mesmo de quem está absolutamente baralhada, vivendo na confusão mais extrema, pode retirar das palavras do Deputado Municipal aquilo que a srª Ermelinda refere.

Anónimo disse...

Ó Anónimo das 16:22h,
Mas afinal qual é o seu problema?
A transcrição que a Ermelinda fez está errada?
E se as reuniões são públicas porque não se podem gravar?
Arranje lá argumentos de jeito para dizer mal da mulher que esses são mesmo uma parvoíce pegada.
O facto de as actas serem transcrições integrais das gravações e a Ermelinda também as fazer até é positivo: serve para comparar e verificar se há lapsos.
E quem cheira é a CDU com esta de se recusar a que a oposição participe no boletim municipal.

Anónimo disse...

Ao comunistóide das 16:22

Realmente é azar, ter na bancada palermas que se colocam a jeito de ser enxovalhados!
O tipo é tão imbecil que nem percebeu a monstruosidade que lhe saiu pela bocarra.
Se dúvidas houver, alguém com cérebro (terão de excluir fanáticos da democracia estalinista!) que leia o boletim, e logo vai tirar as óbvias conclusões.
É uma parte de actividade municipal, e uma outra de politiquice da mais rasca, como o que saiu do discurso da Sra Maria Emília no malfadado almoço do dia da mulher, de ignóbil e indecente pressão para obrigar as mulheres a fazerem greve. A sra. têm-se em tal conta que já acha que deve pensar pela cabeça dos outros.

Anónimo disse...

Agradeço vivamente os "esclarecimentos" que recebi. Pela clarividência das explicações e pela elevação do discurso. Saio daqui manifestamente mais informado.

Fico a saber, ficamos a saber, que alguém assume que a srª Ermelinda grava as sessões da Assembleia Municipal. Mais: alguém acha que nada de mais, nada de ilegal, há nisso. Mas é ilegal! Mesmo uma sessão pública como a da Assembleia Municipal não pode ser gravada sem autorização expressa para tal.

E a srª Ermelinda sabe isso muito bem. Tão bem que o faz de forma clandestina, tentando que ninguém perceba. Se não fosse ilegal, fazia-o às claras. Mas esconde-se, saberá porquê. Toda a gente sabe que ela faz isto. Mas a verdade, verdadinha, é que ninguém lhe liga nenhuma; ninguém se preocupa verdadeiramente com esta violação da lei. É assim como uma coitadinha sem importância, se é que me entendem. Porquê? Simples, porque a srª Ermelinda vale apenas aquilo que está presente neste esterco de blog que assina. E isso, convenhamos, é muito, muitíssimo pouco!

Mesmo assim, não posso deixar de sublinhar aqui a grosseira e inqualificável falta de respeito da atitude da srª Ermelinda. Afinal, a Assembleia Municipal tem um Presidente. Goste-se ou não se goste, a Democracia manda, e mandará sempre, que se respeite. Pelo menos isso, quanto mais não seja porque, ainda que felizmente por pouco tempo, a srª Ermelinda fez parte do Órgão do Poder Local Democrático Assembleia Municipal.

Fico a saber também (ficamos todos a saber) que o mesmo alguém pensa que a transcrição do que se passa na Assembleia Municipal por alguém que nada tem a ver com o órgão a não ser o facto de ser munícipe, é um “facto positivo” porque permite, imagine-se, a correcção de lapsos! Correcção de lapsos? Isso é competência dos Deputados Municipais, que votam a actas. Não é competência de quem não faz parte do órgão.

Mais uma vez este alguém está equivocado: a srª Ermelinda não tem qualquer legitimidade para reivindicar uma competência que ela própria rejeitou ao renunciar ao mandato de Deputada Municipal para o qual foi eleita. Corrigir eventuais lapsos de Deputados Municipais é responsabilidade exclusiva dos próprios Deputados Municipais.

Mas o que mais me surpreende em tudo isto é algo diferente. O que verdadeiramente me surpreende é alguém, como a srª Ermelinda e o seu séquito de “pandilhados” (lembram-se? Se calhar não se lembram da “Pandilha dos Cinco Sectários”. Eu retomo-a …), vir aqui defender uma iniciativa puramente partidária, neste caso do PS mas que podia ser de qualquer um dos outros (CDU incluída, infelizmente), que não tem valor nenhum senão o da chicana, quando se tem permanentemente um discurso que pretende ser “apartidário”, sendo de facto “antipartidário”.

Isto é, na verdade, o que mais me surpreende. Como é que alguém que afirma com insistência que os partidos são todos uns crápulas (com uma única excepção, estratégica claro, chamada CDS-PP), que estão todos vendidos e são todos iguais, que o que é preciso é “plataformas” e “movimentos cívicos” como o que eles pretendem representar, vem aqui, exactamente no mesmo espaço em que fazem tais profissões de fé, defender com este entusiasmo uma iniciativa puramente partidária.

Traduzindo por miúdos: para esta pandilha, os partidos políticos, e os seus membros naturalmente, são todos maus, não prestam para nada. Mas isto é só quando lhes interessa. Porque quando um partido político qualquer (neste caso é o PS, mas já foi e ainda é o CDS-PP, já foi e continua aqui e ali a ser o PSD, enfim tudo quanto seja contra a CDU pode ser) assume uma posição, por muito hipócrita e idiota que seja, que sirva os objetivos e os interesses dos pandilhados, alto lá, vamos mas é aproveitar para cavalgar em cima para ver se algum dividendo nos calha também a nós (nós, eles naturalmente, os pandilhados).

Isto e que me espanta verdadeiramente! Ou nem por isso, na verdade. É que coerência e objectividade são virtudes que este grupelho nunca conseguiu demonstrar. Por isso ...

Anónimo disse...

Ao baralhado das 22:49

Ó homem, nós estamos a borrifar para os preceitos legais, aqui o que interessa é a substância da coisa, o uso indevido de dinheiro publico para fazer campanha partidária.

São os boletins, são os subsídios às associações, as impressoras e fotocopiadoras das juntas de freguesia, Camara e SMAS, os carros descaracterizados para a festa do Avante, a água nao facturada aos clubes dirigidos pelos camaradas, os cartões de despesas dos vereadores, os carros atribuídos a muita gente que nao trabalha na rua, e por aí fora.

Como vê, se é legal ou nao gravar a AM é o que menos me interessa, gostava era de ver estes chulos a serem corridos para longe.

Anónimo disse...

Uma sugestão ao anónimo das 16:22 e das 22:49 de ontem:
Diga lá na sua bancada para apresentarem uma moção a exigir que todos os cidadãos (público mas, também, autarcas) sejam revistados à entrada de cada reunião.
E proponham que, se alguém for apanhado com um gravador, telemóvel ou máquina fotográfica (jornalistas incluídos) vá logo directamente para o "chilindró" pois o crime de gravar (em audio ou imagem) sessões públicas da assembleia municipal é um crime muito grave e deve ser tratado como tal.
Podem até sugerir que os criminosos sejam enviados para a Sibéria no final de cumprirem a pena pois são indignos de viver num concelho tão democrático como Almada.

Anónimo disse...

Continuo a agradecer os "iluminados esclarecimentos que por aqui vão surgindo. Particularmente aqueles que assumem que cumprir leis para estes "pandilhados" é o que menos interessa.

Fico muito mais esclarecido. Muitíssimo mais!

Anónimo disse...

Comunistazinho às 23:02

Pela parte que me toca nao precisa de agradecer, é sempre um prazer ensinar alguma coisa.
Nao deveria contudo ser necessário para um comuna Almadense, pois cumprir as leis é uma questão irrelevante quando se trata se seguir os cânones do tio Staline. Ou há alguma lei que permita fechar as portas a cadeado nas greves? Há alguma lei que permita oferecer carros e funcionários para a festa do avante? Há alguma lei que permita gastar o orçamento da CMA para autocarros irem levar as pessoas para as greves e manifestações?
E já agora, que tal ter uma presidente que faz apelos públicos à rebelião, à desordem e à desobediência, isso é baseado em que lei?
Se quiser mais exemplos é só pedir.

Sobre a questão acessória dos Pandilhados, vindo de um comunista, é para rir a bandeiras despregadas. Homem, vocês nem um traque dão sem que o secretario geral dê ordem. Se há no pais grupos acéfalos, para exemplo maior será certamente o pessoal do reino de Deus e os membros do PCP.

Related Posts with Thumbnails