domingo, 3 de janeiro de 2010

Num dia de chuva...

Hoje, domingo, ainda não parou de chover. E de manhã até parecia um dilúvio. Mesmo assim, depois de abrandar um pouco, eram 8h30m, lá fui fazer o meu passeio matinal a pé, de Cacilhas a Almada.
No caminho cruzei-me com um trabalhador da limpeza urbana da autarquia que, mesmo nestas péssima situação, cumpria a sua função. Esta é, de facto, uma tarefa difícil, sobretudo quando as condições atmosféricas são adversas. Por isso, é de admirar quem a executa com zelo e profissionalismo, como me pareceu ser o caso aqui retratado.
Lamentável é que quem ocupa esta categoria seja tão mal remunerado...

10 comentários:

Assim se vê a força do PC disse...

Minda
Já que estamos a falar de Almada e sendo trabalhador desta rica $$$ autarquia, só para alguns, tenho observado "muita", como afirma António João dos Ena pá 2000 coisa, que destroi qualquer valor de honestidade. Por exemplo coordenadores ou responsáveis da limpeza que andam de jeep, e afirmam à boca cheia, que raro é o mês que não ganham 2500 euros, muitos deles uns autênticos facínoras para os trabalhadores, assumindo-se comunistas, e que a único serviço que prestam é de andarem de jeep de um lado para o outro a fazer pela vidinha pessoal. Outro exemplo Chefes de Divisão à mais de duas décadas. Pergunto? onde está a rotatividade das chefias. São sempre os mesmos a mamarem (adoro esta última palavra porque reflecte textualmente aquilo que muitos senhores fazem mensalmente e nesta vida quotidiana na Câmara-
para finalizar o meu desabafo, fez mais pela comunidade este trabalhador, do que algumas chefias durante uma semana.

Anónimo disse...

queria como é evidente referir que fez mais hoje este trabalhador....

jorge disse...

o que pretende mostrar com a segunda foto ? a tristeza de cidade em que a emilinha tornou Almada com a sua diarreia mental conheçida como MTS ?

Observador disse...

É uma realidade o facto de alguns encarregados (limpeza pública e urbana) auferirem mensalmente uma importância muito superior ao "base" e aos seus colegas de trabalho.
Se é verdade que por serem encarregados devem ganhar mais - mas não muito mais - não é menos verdade que esses senhores são autênticos carrascos para ALGUNS dos seus subordinados.
Andarem de jeep ou de bicicleta seria irrelevante se fizessem a sua missão. Mas não fazem.
E trucidam quem lhes fizer frente.
Verdade Sr. Arsénio?

Observador disse...

Dois pormenores.
Na primeira foto, não é um trabalhador da CMA mas sim um daquelas firmas contratadas para o efeito.

Quanto à segunda foto, a Minda responderá mas, desde logo, se vê uma caixa partida, o que põe em risco a integridade física de quem por ali passe.

jorge disse...

caixa partida ? onde?

Observador disse...

Junto ao sumidouro que pode ver na imagem mais perto do seu ângulo visual.

Minda disse...

Assim se vê...:

Triste realidade essa que nos contas. Mas esse retrato só é possível porque há quem se cale e acomode mesmo que se sinta injustiçado.

Minda disse...

Jorge:

Não classifico o MST da mesma forma que o senhor. Muita coisa esteve mal no processo, é um facto, e outras há que estão por resolver e/ou precisam de ser reformuladas, não o nego, mas isso não transforma o MST numa coisa assim tão má como você dá a entender.

E a 2.ª imagem apareceu tão somente para ilustrar um dia de chuva e mais nada.

Minda disse...

Observador:

Pois é... há muito boa gente que nunca deveria ser chefe de coisa nenhuma. Mas as conveniências (nem sempre profissionais) coloca-os nesses lugares para outros fins que não os de gestão de pessoal. Entendes-me, não entendes?

Related Posts with Thumbnails