sábado, 23 de julho de 2011

Não se fala na Islândia...

Pois é, nós sabemos que na Comunicação Social temos espuma atrás de espuma. Mas será só por isso o silêncio sobre a Islândia?
Só vou dar alguns tópicos fundamentais. E sem preocupações de boa escrita. Importante acima de tudo é o conteúdo.
Em 2007 a Islândia entrou em bancarrota devido ao grande endividamento e à falência do seu maior banco. Tal qual como outros países, viveu acima das suas possibilidades e todos sabemos porquê, mas acima de tudo era um país de grande corrupção. Atrapalhado, o Partido Progressista instalado no poder foi a correr pedir ajuda ao FMI. E seguiram-se os capítulos cujas características, todos conhecemos. Andariam cerca de 30 anos a pagar a dívida se por aí fora fossem.
Pois é. Todavia país pequenino, em território, com pouco mais de 300.000 habitantes, é grande de outra maneira. O Governo foi obrigado a um referendo, uma maioria de 93% da população disse não aos custos da má gestão bancária e a não pactuar com as imposições do FMI. O Governo caiu.
Caiu, mas houve a garantia de que a velha camarilha corrupta se fosse toda embora. O novo Governo, saído dos movimentos cívicos que foram um alfobre de cidadania, veio a negociar com o FMI um empréstimo, é certo, mas foram os islandeses que disseram como se fazia, e querem entrar no Euro, mas dizem que é como querem ou não há nada para ninguém. A troika lá do sítio andou com o rabinho entre as pernas, uma mulher de 66 anos chefia o Governo, os islandeses acreditam no futuro.
Não há jogadas nas costas dos cidadãos. O Governo vem cumprindo à risca as suas promessas.
Eu vou emigrar para a Islândia. Não quero só sonhar com os geysers.


Almerinda Teixeira
Cacilhas, 20 de Julho de 2011

18 comentários:

Churchill disse...

Por acaso entre a espuma da comunicação social também já apareceu que havia portugueses a trabalhar na Islândia e que tiveram de vir embora, mais miseráveis do que foram (não é só o BE que despede os funcionários!).

Agora a ideia que um micro país vai impor condições ao FMI e ao BCE é hilariante, especialmente quando vai pedir dinheiro emprestado para comer (sim, que eles não são nem perto de auto-suficientes).

Antes de fazer as malas espere pelo próximo inverno, pode ser que venha a mudar de ideias.

bye

Anónimo disse...

Não gosto como escreve nem o cedu, nem o (chuchi ) com estes de dois, assim vai Portugal e Almada na miséria. Merda de gente. O problema é do povo, só há que os ver conduzir.

Anónimo disse...

Almada é o reflexo dos seus governantes, deserta, falida e rematada. A única livraria que tínhamos fechou. Isso sim estamos na cidade da cultura. Com um relógio na Câmara que nem dá as horas.

Anónimo disse...

EU também quero emigrar para a Islândia!!

Descobri lá que os consumidores de Água pagam unicamente só a agua que consomem, de uma forma justa e transparente, como a agua, naturalmente, sem taxas, sem alugueres de contadores, sem taxas de drenagens, sem estimativas, e o mais importante de tudo: Distribuem o consumo pelos diversos escalões.

Aqui em ALMADA, quem gastar 16 metros cúbicos de agua é taxado a
0.83€ cada M3:
1º Escalão 0 - 5 m3 0,51 €

2º Escalão 0 - 15 m3 0,69 €
3º Escalão 0 - 25 m3 0,83 €
4º Escalão 0 - 50 m3 1,24 €
5º Escalão mais de 50 m3 2,04 €

Eu quero ir para a Islândia!! Eu quero voltar para a Ilha…pois estes comunistas são uns G****** do C*****

E o que mais me admiro, é que a
Oposição anda a dormir ou então também mama!

E essa plataforma que anda aqui, também move montanhas, para tentar lá chegar…pena será senão conseguir lá chegar, ou se lá tiver chegado, não se sinta tentada a fazer o mesmo que é esmagar o contribuinte.

Porque não proporem na Assembleia Municipal a distribuição da água consumida pelos escalões?

Aí poderiam contar com muitos mais votos na eleição futura.

Porque andar a dizer dos que estão no poleiro, para irem substitui-los, sem nada fazerem pelos Munincipes..é curto!

"Falam Falam, mas nãos os vejo a fazer nada pelos Munincipes!

O que fazem é desacreditar os já moribundos, para se aproveitarem, distraindo o pessaol com os problemas do "mobbing" para se fazerem de populares.

Tratem lá, a titulo de excepção, da distribuição da agua pelos escalões já criados.

JP

Anónimo disse...

JP anónimo
Presumo que esteja contra pagar os serviços que lhe prestam. Talvez mesmo exigir que os trabalhadores da CMA não recebam salário.

Então emigre, que palermas já Almada tem muitos.

Anónimo disse...

Ao Palhaço das 15.31 tenho a dizer o seguinte:

Eu quero pagar o que consumo, dentro da Lógica e da Moral, pois, por exemplo, quem gasta agua não deveria ter que pagar o contador, e quem gastar 16 m3 de agua, gastou primeiro 5 e depois 10 m3, ou não concorda?

Ou será que você, seu lambe botas da CDU, é um daqueles que mama à conta do erário público, e que faz parte das associações que vivem e gravitam em redor da CMA?

As pessoas devem pagar sempre o que consomem, mas tudo tem que ser transparente, e não arranjarem subterfúgios para enganar os Munincipes.

Diga lá se concorda com o pagamento das taxas de ocupação do subsolo? E se sim porque razão?

Se você tivesse algo de seu, iria perceber, que quando compra um terreno, compra também o “chão”, e eu pergunto-lhe se achava bem pagar para passar um tubo pelo seu terreno, ou se a CMA achasse que era de “utilidade pública” fazer aí um curral, pagarem-lhe o m2 ao preço da expropriação.

Achava bem, se lhe tivesse sido entregue, por herança, um terreno urbano, ter que estar a pagar, por via da actualização do valor venal, uma renda à CMA, pura e simplesmente, porque alguém disse que tinha que pagar?

è que se lhe tivessem deixado um terreno rural, sempre podia la ir pastar, e comer umas ervinhas..

Vá mas é pastar para a Herdade e comer a erva que lhe destinaram, porque Almada já tem ruminantes que cheguem.

Fique Bem.
JP

Anónimo disse...

Investiguem quantos Kamaradas em Almada, têm um "by-pass" ao contador da água. Muitos até forma os SMAS quem instalou...
Sugiro que comecem pelas (muitas) casas dos senhores vereadores, directores e chefes de divisão... ali prós lados da Aroeira

Anónimo disse...

Á os directores chefes de devisão com casas na aroeira. Também quero ser do PCP

Anónimo disse...

Oh anónimo das 18 ,48, Investiga a tua mulher que ela anda a pôr-te os cor…, e já agora vai mamar na quinta pata do cavalo

Anónimo disse...

Iluminado das 16:28

Essa coisa do contador é outra idiotice que algum burro imaginou e que foi reproduzida à exaustão.
Então explique lá como é que acha que as empresas (de agua, gás, electricidade, etc.) adquirem os contadores?, roubam-nos?, é que de outra forma isso tem custos, e se não forem os clientes a pagar quem será?
Percebeu a lógica?
A unica forma transparente era mesmo pelo aluguer, mas na assembleia tb vegetam uns cientistas brilhantes!

Pois para mim 16 é 5 mais 11, e não a sua conta. Mas o seu drama não faz sentido, o que importa é penalizar quem consome mais do que é fundamental, e 16000 litros por mês só se tem 20 pessoas lá em casa.

Em resumo, não gosta de pagar, mas isso resolve-se facilmente, vá lá para a Islândia, parece que é tudo de borla, o problema é que andaram a fazer vida de ricos com o dinheiro dos outros, e agora não querem pagar, e ainda se armam em mais sérios que os outros.

Anónimo disse...

http://viverseixal.blogspot.com/2011/07/peticao-peticao-pela-realizacao-de-uma.html

Anónimo disse...

Caro Retro -Iluminado das 23:32

Seguramente, já andou de táxi, para além da bandeirada (que inclui todas as despesas) e do preço por quilómetro que pagou, achava bem que se o Taxista tivesse um furo lhe pedisse um valor para comprar um pneu?

Os contadores que as empresas utilizam para contar os produtos fornecidos aos seus clientes, têm que ser encarados como um custo da actividade, assim como o custo das condutas, dos filtros, das bombas, e todo o material que está a montante do fornecimento de agua.

Para alem do facto, de ter visto na televisão, que algumas camaras, quando são roubados os contadores, imputam 60€ aos clientes,por esse roubo, quando depois têm que devolver o dinheiro, por o contador estar na rua, e não ser o Cliente o responsável por ele.

Eu não me importava que roubassem o meu, e depois colocassem um que não "conte" a mais.

Concordamos?

Quanto à questão do tratamento das águas residuais, achará seguramente, que toda a rede a jusante dos consumidores deverá ser mantida pelos Clientes, mas indago se acha alguma razão válida, para quem gastar mais água, pague essa drenagem a um preço superior, quando na realidade tudo é o mesmo?

Finalmente, a questão do consumo de água, devo dizer-lhe que eu gosto de ter uma piscina, que tenho um jardim com relva, e que tem que ser regado, para que não tenha um matagal em vez de jardim, mas isso não retira o cerne da questão:

Quem gasta mais deve pagar efectivamente mais, mas de uma forma transparente e sem refúgios, porque a água é um bem essencial a Vida.

Mas uma pessoa que gaste 16 metros cúbicos gastou primeiro 5 metros cúbicos e deveria pagar esses mesmos 5 metros cúbicos a esse preço, e depois pagar os outros 10 m3 ao preço dos 10 e assim sucessivamente.

Isto porque eu não tenho os bombeiros a irem buscar a água à borla aos SMAS e presumivelmente a cobrarem para eles, ou porque não tenho um contador com bypass como dizem que os dirigentes dos SMAS, eventualmente, têm.


JP

Anónimo disse...

Iluminado
Acho que já percebi a sua lógica, quer que o contador seja despesa (adicionada no preço da água) e não aluguer do contador. É uma hipótese.
Qual o problema?
É que se tiver uma casa de férias na Aroeira, não gastar água por ter um furo (ou outro esquema), não vai contribuir para os custos de manutenção do contador, e passados uns anos, quando for necessário mudar o dito, quem pagou para isso foi a vizinha velhota que só tem uma casa alugada e toda a água que usa passa pelo contador.
O que está em causa é um custo de oportunidade. Mesmo que você não esteja a consumir, só para ter agua disponível, a câmara gasta recursos.

A história da televisão é a mesma lógica. Se o custo do roubo for para dividir por todos, lá está a velhota do T1 alugado a pagar para o homem da moradia na Aroeira que só vai lá uma vez por mês.

De volta aos escalões.
Goste ou não, a lógica da progressividade é essa, veja o que se passa com o IRS, para 1000€ paga 5% e para 10000 paga 45%, e também é para a quantia toda.

Até logo

Anónimo disse...

Caro Retro-Iluminado das 10H21,

Começo a simpatizar consigo, especialmente porque arranja exemplos, que eu também gostaria de arranjar, e lembrei-me de por exemplo a gasolina ser também vendida por escalões…

Imagine-se a ir a bomba de gasolina, e ao atestar o carro, verificava que a gasolina era mais cara se o atestasse, do que metesse só 5 litros, e depois mais 10 litros…

Ou então, o sistema de via verde, classificar-lhe e debitar-lhe a portagem de acordo
com o seu IRS., achava bem?

Ou então poderíamos ser nós a comprar o contador, que ao ficar selado pela entidade SMAS, era garante que tudo estava em conformidade…

Ainda bem que falou na televisão,
e que me fez lembrar a Taxa de Audiovisual, que Todos pagam na conta da luz, independentemente de termos Zon ou MEo, naturalmente também concorda com ela?

Já agora para que será que serve os IMI que pagamos para as Câmaras, será para ela pagar as casas que faz para a “maralha” que nada paga e a quem tudo lhes dá, naturalmente a troco de Votos CDU.

Se calhar a isto tudo chamará “Distribuição equitativa da Riqueza”, mas eu não posso concordar.

Como falou em IRS, lembrei-me de uma situação, que tem a ver com a SNS, e que tem a ver com o facto, de eventualmente, irmos pagar taxas moderadoras, também de acordo com o IRS.

Pergunto-lhe, se o seu IRS implicasse uma taxa moderadora de uma consulta médica, de por exemplo 25€, pergunto-lhe se iria ao médico da caixa ou se iria a um particular?

Não tenho mais nada, por agora.
JP

Anónimo disse...

Iluminado
Não fale muito nisso da gasolina que o homem das finanças ainda o ouve. É que para um país dependente como nós de combustíveis isso faz sentido.
A via verde ainda vai servir para muita coisa, se a lógica do pagar mais quem pode continuar isso pode bem ser assim.
Mas volto a dizer, fale baixo, a sua imaginação é perigosa.

Agora do contador comprado tem razão, isso de facto devia ser uma opção, ou até para ser mais justo, a medição devia ser efectuada por uma terceira parte independente.

A taxa do audiovisual é para pagar a televisão publica. Venda-se aquilo como o Passos quer e deixamos de pagar. Eu apoio.

O IMI, deixe lá serem feitas as contas correctas (veja lá se não vai ter de esconder a piscina!), e talvez alguns até venham a pagar menos. Mas muita gente que quase não paga vai levar um golpe, e deviam ate pagar com rectroactivos, porque na pratica andam a viver à conta de outros.
Está enganado com o que acha que eu penso.
O IRS serve para muita coisa, e não é de agora, e tem sido sempre nesse sentido.

Anónimo disse...

Retro-Iluminado,

Eu quando costumo escrever, penso primeiro, e costumo fazer com que as ideias sejam devidamente expressas, de forma a fazer sentido.

Foi por isso que a ideia do preço da gasolina variar em função do consumo, não é nada mais do que a sua Câmara, faz com os Clientes com mais consumo.

Mas para que fique descansado, eu costumo pagar tudo o que consumo, mas não gosto é de ser “muito” enganado ou de uma forma mais grotesca, ou seja, se tiver que ser, que o seja com “pinta”.

Sobre a questão da fiscalização ser feita por outra entidade, só valeria a pena, se e só se, dela resultassem uma mais-valia para o Cliente, porque caso contrário mais vale estar com quem estamos, pois já lhe “conhecemos as manhas” , o que infelizmente, ambos sabemos que é sempre a piorar.

Mais uma vez, sobre a Taxa do audiovisual, pensa que ela é só para a televisão, mas não é, pois também se aplica ao “audio”, o que em tempos deu bronca, pois havia milhares de pessoas surdas que não ouviam rádio e tinham que pagar a dita, só porque um FP qualquer se lembrou, que assim é que era bom.

Mais lhe digo que se a RTP1 for alienada, ainda ficará a RTP2 como o “verdadeiro serviço publico”, e infelizmente também não nos livraremos da taxa.

Finalmente, conseguiu fazer-me rir, mas como tenho cieiro, fiquei logo com gretas nos lábios…por causa do IMI, então se e quando as casas forem todas reavaliadas, quem já paga um balúrdio por ano, alguma vez verá a sua contribuição reduzida? Só se fosse na Islândia porque em Portugal e em Almada, a Edil só quer encher o saco, para depois dar casas e subsídios a quem lhes dá votos.

Desculpe, mas começo mesmo a gostar de si.

JP

Anónimo disse...

Iluminado
Se a câmara fosse minha fechava metade das secções, como a do trânsito (ou então a Ecalma) e do urbanismo, que vão ficar inúteis. Mas creio que é tanto minha como sua.

Em todo o caso, agua por escalões há em todo o país, gasolina não.

O IMI pode ser regulado pela assembleia, mas a da republica. Mau foi deixarem espaço de manobra para as autarquias.

Anónimo disse...

No que diz respeito à Islândia ajuda muito terem reservas de petróleo superiores ao Mar do Norte (Inglaterra e Noruega).
Quer dizer, nos próximos anos a Islãndia será o maior exportador de petróleo da Europa.
Não será a solução...mas que ajuda muito...lá isso ajuda...
A Defesa de Almada

Related Posts with Thumbnails