sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Adivinham onde fica?

É, supostamente, uma escultura... arte pública moderna, ou coisa que o valha, cujo autor desconheço.
Fica numa freguesia do concelho de Almada. Dão-se alvíssaras a quem adivinhar o local...

28 comentários:

Anónimo disse...

D. Ermelinda (isto é um insulto, mesmo!) você é absolutamente ignorante! E o pior é que faz gaudio da sua ignorância.

O que você aqui retrata (aliás, procura retratar, porque ao escolher um pormenor está, objectivamente, a distorcer a realidade) não é "supostamente" uma escultura. É, efectivamente, uma escultura! E se você não percebe isso, o problema é seu - as quesões estéticas não são discutíveis. Agora que pretenda denegrir utilizando a sua ignorância, isso é que é muito triste.

A escultura é na Charneca de Caparica, o autor não o revelo. Por decoro, porque se revelasse, D. Ermelinda - aliás toda sapiente relativamente a quase tudo, ao ponto de insultar o próprio Presidente da Assembleia Municipal, de que faz parte, como se detentora da verdade absoluta ...) - coraria de vergonha por aquilo que aqui escreve. E eu não a quero ver corada. Ficava demasiado vermelha ... e ela é negra! Muito, muito negra!!!

Anónimo disse...

Isto foi escrito ontem, como digestão (mal feita, evidentemente) durante a Assembleia Municipal... Assim, é fácil descobrir quem foi, porque poucos têm computador com acesso à NET naquele espaço.
Eu sou capaz de dar um palpite!

Minda disse...

Caro/a Anónimo/a (18-12, 21:23):

Disse, e repito, que aquela era uma, suposta, escultura. Que eu saiba ainda não estou inibida de formular uma opinião. E para fazê-lo não preciso de ser especialista em arte, cujo conceito tem muito que se lhe diga já que o equilíbrio entre a liberdade criativa e a estética é algo que cai no foro do subjectivo e, portanto, difícil de catalogar.

Não gosto daquele “monumento”, “escultura”, “amontoado de tubos”, chame-lhe o que quiser. Você aprecia? Eu não! Falta-me sensibilidade para apreciar estas formas de “arte moderna”? Se calhar sim!
Não sabia era que para expressar um gosto pessoal precisava de ser entendida na matéria e que sendo esta uma apreciação negativa da obra, essa opinião, só por si, fazia de mim uma ignorante.
Sorte sua que é, presumo, a sabedoria em pessoa, por comparação àqueles que classifica como néscios apenas porque têm gostos diferentes dos seus.

E por falar em decoro esse deveria tê-lo o/a senhor/a já que fala assim a coberto do anonimato. Uma atitude que reputo de cobarde quando serve para ofender os outros.

E para encerrar este assunto, se calhar é muito mais chocante observar que há quem aprecie a arte através dos interesses partidários…

Apesar de eu não entender o que é que tem o Presidente da AM a ver com este artigo, deixe que lhe pergunte: quando e em que situação é que eu ofendi o Sr. José Manuel Maia?

Não sei porquê mas esta sua frase faz-me lembrar aqueloutra época em que era habitual certas pessoas pensarem que “quem não está comigo é porque é contra mim”, ou “quem não me tece elogios é porque me critica, logo é meu inimigo”.

Corados de vergonha deveriam andar outros que não eu, pode crer! E o/a senhor/a se calhar está nesse rol… por isso nem se atreve a identificar-se!

Tenha um bom fim-de-semana. Dê um passeio, vá apanhar sol, espairecer… pode ser que volte menos amargo/a.

Minda disse...

Anónimo (19-12, 11:41):

Não sei se o comentário anterior foi ou não escrito durante a AM. As horas não batem certo, mas...
Só merecem que diga: coitado/a!

Tanto azedume só faz mal ao fígado, por isso deve ser alguém bastante doente. E o pior é que nem sabe!

Artista disse...

Apo monte de esterco que se esconde por detrás do anónimo só tenho que dizer uma coisa. Conheço muitos artistas plásticos dos bons, nao sou académico, mas concordo com a Minda esta escultura para mim é um atentado aos artistas verdadeiros. è uma bosta. Estes ferros torcidos e a escultura? no centro sul até eu com 15 anos era capaz de faze-las.
A arte em Almada é uma verdadeira bosta. Já agora o José Maia percebe tanto de arte como eu percebo de bostas. é um fulano que nunca trabalhou na vida. um autentico parasita

parasitas encapotados de comunistas disse...

li esta semana que o Francisco Sousa Tavares se virou aqui às uns anos para o Jerónimo de Sousa e chamou-lhe calao vá trabalhar porque nunca fez nada na vida. o josé maia é outro clone desta criatura. sao uns parasitas da sociedade

Observador disse...

Levantou-se um problema onde só existiu, no princípio, uma opinião.

Não li nada de ofensivo por parte da Minda.
Li, sim, uma opinião a que ela, como qualquer um de nós tem direito.

É arte, não é arte, é uma escultura, supostamente ou não.

Feio, mais feio que a também para mim, suposta escultura (gostos são gostos), é a atitude verbal de certas pessoas que em vez de usar do seu direito para opinar, borram a pintura ao descer a um nível absolutamente infame.

Quanto ao resto, é para mim (mais) um cenário tosco da sociedade política triste e sem valores.

Minda disse...

Artista:

Prezo muito todos os que passam por cá (mesmo os que não concordam comigo). Mas se há coisa que não pretendo é que façam deste blogue um caixote do lixo de palavras e acusações pouco próprias.

Para comentar este artigo e deixar a sua opinião não precisava de envolver terceiros e muito menos ainda utilizar linguagem ordinária e ofensiva do bom nome do Presidente da AM.

Às vezes é por estas e por outras que me apetece colocar moderação nos comentários, mas quero muito que este blogue continue a ser um espaço de liberdade. Mas com respeito uns pelos outros.

Por isso lhe peço, tenha moderação na escrita!

Minda disse...

Parasitas encapotados:

Serve-lhe, em resposta, o comentário anterior.

E abstenha-se de escrever assim, porque deixará de ser bem-vindo.

Minda disse...

Observador:

Vê lá tu no que deu o artigo de ontem. "Minha nossa!", esta gente anda toda louca.

Obrigada pela visita. E pelo apoio.

**

Anónimo disse...

Ao anonimo que deu origem a esta discusão é apenas a mostra da realidade de mentalidade que se pratica pelos comunistas dentro e fora desta cãmara-ou tens a mesma opinião e gostos que eu ou não prestas.
Deste tipo de pessoas já eu ando habituado á muito tempo, é por estas e outras que mentalidades assim não vão a lado nenhum.
Quanto á imagem, a minha opinião-não sendo eu especialista em arte- é mais uma das aberrações que esta cãmara t~em posto pelo nosso concelho.
Já agora Minda, passe pela rotunda da avenida do arsenal e tire uma foto para que alguem entendido em arte me possa explicar se aquilo é uma barco? um prato ? ou uma parabolica.
Á primeira vista parece um barco, mas se é para realçar o trabalho da população daquela freguesia, deixem-me rir, porque que eu saiba o feijo nunca foi terra de pescadores.
Um abraço.
E.H- Funcionário Municipal

Anónimo disse...

D. Ermelinda,

Já não é a primeira vez que aqui se refere a mim em tom insultuoso a propósito do anonimato.

Até já reagi antes a esse tom insultuoso que utiliza, porque ainda por cima é profundamente discriminatório. Todos (excepto a senhora) que por aqui andam são anónimos. Nunca a ouvi chamar a nenhum deles cobarde por esse facto.

Fá-lo relativamente a mim. Porquê, D. Ermelinda? Porque não concordo consigo? Porque você tem o direito à sua opinião (e tem, de facto, felizmente desde o 25 de Abril de 1974!!!!), mas eu não posso ter o meu próprio direito a uma opinião diferente?

Chamar-lhe ignorante é um insulto? Eu próprio disse que era mesmo um insulto. Mas você é de facto tão "feia", tão vaidosa e tão arrogante, que nem a ironia consegue perceber.

Sabe porque é que eu acho que você é ignorante?

Porque está no seu inteiro direito de não gostar do que quer que seja, e exprimir publicamente essa sua opinião. Direito inalienável.

Mas uma coisa bem diferente é o que você faz, e me levou a comentar aqui. É que não é uma mera opinião que você expressa. É maldade mesmo. Primeiro selecciona um elemento da escultura, isolando-o de uma leitura global. Aquilo que você mostra não é a obra de arte, é apenas um seu pormenor. A isto chama-se pura manipulação. E aí, você já não pode invocar qualquer direito a opinião, porque está a viciar a questão à partida.

Depois porque escrever "supostamente" e "coisa que o valha" foge, em muito, a uma mera opinião pessoal. Ainda por cima dá alvíssaras a quem adivinhar o local. Portanto você não gosta, mas não respeita nem o trabalho de quem produziu a obra, nem aqueles que eventualmente gostam. Não, a sua opinião é absoluta, você é quem sabe.

Não se esconda atrás do seu direito à opinião que sou o primeiro a reconhecer-lhe. Porque o que você fez, e tanto gosta de fazer noutras situações, nada tem a ver com isso. Tem a ver com a sua necessidade absoluta de se afirmar. Tem a ver com a sua vaidade e com a sua "fealdade". Nada mais.

Minda disse...

E. H.

Não sei se este curioso anónimo, ou anónimo curioso, é ou não comunista.

Seja de que partido for, espero que seja muito feliz.

Assim que tiver oportunidade vou passar por lá.

Retribuo o abraço

Minda disse...

Caro Anónimo:

Tom insultuoso? Ora vejam bem!

Por dizer que a sua atitude é de cobardia pois diz o que diz apenas porque julga que não sabemos quem é?

Será que esse é um comportamento de valentia? Bem, se calhar é! Deve ser pela frontalidade que utiliza nos seus discursos virtuais enquanto na realidade assume uma identidade que prefere manter escondida.

Sente-se discriminado? Ora essa! Afinal é mesmo muito pouco atento. Há mais quem se identifique, caro senhor. E a maioria dos que utilizam pseudónimos são meus amigos na vida real, sei quem são. Ao contrário de si que é uma "espécie de fantasma" que resolve ressuscitar de vez em quando.

E ainda bem que há gente "linda" como, presumivelmente, será V.ª Ex.ª... é que só quando comparada com as "feias" como eu podem brilhar.

Vaidade e "fealdade"... pena é que não tenha conseguido, ainda, assustá-lo a si de vez.

Ora Tóma! disse...

para o Anónimo de 18 de Dezembro de 2009 21:23

Ora então temos um “Curioso” “Anónimo” a vir destilar a sua indigestão devido ás verdades que ouviu na AMA, aqui para um blog decente, frequentado por gente decente.
Mas como se costuma dizer, não há regra sem excepção.
Você, já que é este o tratamento que utiliza com a dona do blog, o que mostra o seu nível civilizacional, representa o sofrimento de quem tem que defender em nome do partido e publicamente as borradas da Presidente da CMA.
Se conseguir cumprir essa tarefa, pode ser que o partido o recompense, e o vejamos com melhores digestões.
Quanto à “Escultura da Ferrugem” que invadiu os concelhos de Almada e Seixal, não sei se será arte ou se será um subsídio aos “Camaradas Artistas”, espero que seja arte, apesar de ter gostado mais do “Realismo Socialista”.
Por último, você pode não me conhecer, mas a dona do blog conhece-me.

Anónimo disse...

Fico a sabr que isto por aqui é um "clube de amigos", não é um blog.

Mesmo assim, não fazendo parte desse grupelho de "amigos", penso que continuarei a aparecer por aqui, expressando sempre que entenda a minha opinião.

A menos que, como já ameaçou antes, a "dona" do blog (esta de dona tem muito que se lhe diga em termos de mentalidades decentes, como o decente Toma lá - que decência, pode crer! - afirma) resolva introduzir a censura ...

Anónimo disse...

É Ora Toma, não é Toma lá. As minhas desculpas ao decente Ora Toma!

Minda disse...

Ora Toma!

Amigo, não se incomode com as palavras de gente como o "belo" curioso anónimo que de vez em quando por aqui aparece.

Ele é tão "lindo", "sério" e "justo" e, sobretudo, "valente", que qualquer deslize da sua parte é desculpável, como seja o de se esconder atrás do anonimato para dizer o que diz. Noutra pessoa qualwquer isso seria cobardia, mas nele é valentia e frontalidade.

Mas ele é, principalmente, uma pessoa tão "honesta", mas tão "honesta" mesmo!, que nem se incomoda de fazer recair sobre todos os membros da Assembleia Municipal a suspeita de que podem ser eles os autores das suas frases iluminadas.

Pois é. Deve pensar que lhes está a fazer um favor ao julgar que diz aquilo que todos pensam. Homem valente, sim senhora! Nem repara que esta é uma conduta condenável... assim o faria ele se a situação fosse inversa, mas como é ele que assume os actos, julga-se acima de qualquer julgamento.

Gosto de pessoas assim. Francas, destemidas, que não têm medo de assumir o que dizem. Que dão a cara pelas suas opiniões. Frontais e ousadas.

==

Quanto à "arte da ferrugem" e à coincidência da ligação dos artistas ao PCP, pensem o que quiserem... é a "arte da vida" e quem não souber mover-se nestas "artes" enquanto está no poder, bem pode ir para casa descansar.

Obrigada pelo seu apoio. Um dia destes havemos de ir beber um café no Samboinha e conversar sobre tudo isto.

Minda disse...

"Belo" Anónimo das 11:20

Mais uma sábia afirmação da sua parte. Obrigada, muito obrigada mesmo, por nos vir aqui explicar que um blogue deixa de o ser por nele comentarem os amigos da sua autora.

Agradeço-lhe, sinceramnete, o ter-nos esclarecido essa dúvida. O que seria de nós, os "feios", sem as suas "belas" intervenções?

E escusa de ser maldoso (não, maldoso não é coisa que se aplique a si sempre tão directo, sério e honesto) e de vez em quando dar a entender que vou censurar os seus comentários... alguma vez faria isso? E, depois, como é que nós, comuns mortais, poderiamos sobreviver sem as suas doutas palavras? Esteja descansado... você faz-nos muita falta! Num mundo tão "feio" nós precisamos da "beleza" que emana.

Peço-lhe, encarecidamente, que não nos abandone. Por favor!

Mesmo que este seja "um grupelho" e não um blogue, lembre-se que a sua presença é, para nós, essencial...

Um resto de bom domingo.

Observador disse...

Como membro do "grupelho"/"grupo de amigos" deste blogue, aqui estou.
Tenho o privilégio de ser amigo da "dona" do espaço.
Venho aqui com vou a outros blogues.
Comento ou não, dependendo do tema e da minha vontade de o fazer ou não.
Alguém resolve continuar no campo da esperteza saloia e ofender, não só a "dona" do blogue como os leitores/comentadores.
Por uma simples razão, presumo. A da arrogância pseudo intelectual e a vontade de dizer mal apenas porque sim, praticamente sem fundamentos.

Alguém falou de censura? Sim. Mas, quem o fez, estaria a pensar em hábitos comuns na sua área de "convívio".
Em termos de blogues não existe censura. Há uma coisa que se chama "moderação de comentários" que não é a mesma coisa.
Saberá disso, não duvido.
Mas opta pelo termo censura porque lhe é mais familiar.
E dá mais jeito, pelo impacto do termo.
Um insulto curioso...

Anónimo disse...

Caro Observador,

Deixe-se de eufemismos. "Moderação de comentários" significa tão simplesmente censura. Antes do 25 de Abril de 1974 o que existia era exactamente "moderação de comentários". A única diferença é que na altura era oficial, estava institucionalizada. Agora, aqui, é uma opção. Mas não deixa de ser censura por esse facto. Se for introduzida a "moderação de comentários" pela autora (não dona, abomino esse termo ...), estará a colocar nas susa mãos a decisão absoluta sobre se um comentário é ou não publicado. Era isso, precisamente, que os PIDES fascistas faziam. Não tenha dúvidas. E não vale a pena utilizar eufemismos ...

E até vou ajudá-lo. Se a moderação de comentários tivesse a ver com qualquer questão de linguagem menos conveniente, defesa de "bons custumes" ou coisas desse tipo, então D. Ermelinda deveria tomar medidas relativamente ao "decente" Ora Toma, que participa neste blog, é amigo da autora, se considera a si próprio um indivíduo "decente, mas que relativamente aos conservadores "bons custumes" vou ali já venho...

A hipocrisia é sempre uma coisa muito feia.

Anónimo disse...

Para se ser belo e grangear o respeito das pessoas não é preciso estar na casa dos trinta, ter 1,80m de altura e 85Kg de peso.

Ermelinda, prossiga com a sua intervenção política, com vista à melhoria do funcionamento da nossa democracia.

A verborreia com alguns mimos não vão acabar. A sua determinação também não a deixam desistir e como tal vai ter que introduzir a moderação nos comentários, sem que isso seja censura. É apenas exigência de civismo nos comentários.

Quem a quer ver desistir vai continuar na mesma senda a provocá-la.

Força e rápidas melhoras porque precisamos dos seus valiosos, competentes e esforçados contributos.

A sua competências em gestão autárquica "jamais" serão tolerados por quem aposta na igorância e precisa de defender todos os "sitiados no Castelo de Almada".

Observador disse...

Estimado anónimo de 20 de Dezembro de 2009 21:45

Sendo a hipocrisia uma coisa muito feia, e é, diga-me porque razão a utiliza de forma tão amiúde.
Não quero modificar a sua maneira de ser. Você nasceu assim.
Acontece.
Os problemas surgem depois.
Uns morrem, outros ficam assim.

Deixou-me perplexo ao dizer, e cito, "...Era isso, precisamente, que os PIDES fascistas faziam...".
Não me diga que existiam PIDES não fascistas!?!?
Desconhecia, de todo.
Sempre pensei que a PIDE era uma polícia sustentada pelo Estado Novo e pelos fascistas.
Estava enganado, já percebi.

Sobre o referido "Ora Toma", nada tenho a dizer.

Minda disse...

Observador:

“Arrogância pseudo-intelectual” e “vontade de dizer mal apenas porque sim, praticamente sem fundamentos”, descrevem muito bem o “nosso “ (salvo seja) curioso “belo” amigo Anónimo que por aqui tem vindo tentar desestabilizar as conversas, deturpando significados, acrescentando interpretações dúbias, tentando chegar a conclusões esquizofrénicas a propósito de tudo e de nada.

Minda disse...

“Belo” Anónimo (de 20—12, 21:45)

Ora aí está mais uma demonstração evidente da “esquizofrenia” doentia do seu discurso.

Quer por força levar-me a impedi-lo (e a outros como você que de vez em quando por cá aparecem) de entrar no “grupelho de amigos” que nem sequer chega a ser blogue (no seu entender), mas por onde não resiste a vir fazer os seus muito frequentes passeios virtuais (o eu não me parece seja coerente), e deseja tanto que eu elimine os seus comentários para me atacar acusando de mais um defeito, que não hesita em comparar o que não tem comparação.

Embora quase todos os meus amigos (os que aqui escrevem como aqueles que apenas lêem e comentam comigo pessoalmente) me aconselhem a introduzir a opção da moderação para evitar, não o achincalhamento que você tenta fazer comigo, pode estar descansado que nunca o farei…

Porque, ao contrário do que eles pensam, o que você e os iguais a si aqui escrevem, só deixa mal os autores dessas opiniões sectárias, doentias, perfeitamente loucas na análise distorcida dos factos.

O que eu escrevo, concorde-se ou não com as minhas afirmações, sejam elas irónicas ou mais sérias, também cá estão para serem submetidas ao julgamento dos leitores. E não temo que me identifiquem. Por isso não escondo a minha verdadeira identidade e assumo, de cara levantada, tudo o que digo.

Você, quer queira quer não queira, goste ou não goste ouvir o som à palavra, não tem coragem de o fazer. Pense o que quiser quanto à classificação dessa atitude, para mim tem apenas um nome: COBARDIA. Quer que repita? COBARDIA.

Minda disse...

Anónimo das 22:25, de dia 20-12

Concordo inteiramente consigo quando diz que para se ser “belo” não basta ter determinadas características físicas. A beleza de cada um de nós está naquilo que valem os seus actos porquanto são o espelho dos seus valores interiores.

E este “belo” e “jovem modelo”, porque se julga de aparência encantadora, deve pensar que a todos ofusca com a sua presença. Ter-lhe-ão incutido que é o mais bonito, o melhor, o maior, o mais inteligente, o mais justo, o mais isto e aquilo que acabaram por gerar um ser desprovido de sentido do real, incapaz de ver o mundo para lá da versão deturpada e sectária que lhe impuseram.

Acaba por ser um infeliz. Por isso reage assim.

Posso ter muitos defeitos, e tê-los-ei com toda a certeza. Mas a determinação é, de facto, uma das minhas maiores virtudes. Por isso, mesmo quando começo a ficar cansada da hipocrisia dos “belos” desta vida, posso momentaneamente sentir-me desiludida e com vontade de parar, poderei até abrandar o ritmo (a saúde assim o exige com mais frequência até), mas desistir nunca.

Obrigada pelo apoio que me dá. Senti-lo no meio de tantos ataques injustos é animador. Mais uma razão para continuar. E assim farei, pode crer.

Cometerei as minhas falhas. Não tenho a pretensão de tudo saber. Mas sempre disse que é com os erros e o tentar corrigi-los que aprendemos. E eu, porque já errei bastas vezes, consegui, também, aprender muito nas suas correcções.

Quanto à minha competência em gestão autárquica ela tem sido evidenciada em termos profissionais (e, curiosamente, por autarcas de todos os quadrantes políticos, pois a composição da Mesa da Assembleia Distrital onde trabalho tem integrado desde 1991, políticos do PS, do PSD e da CDU) e, sinceramente, essa é a minha maior satisfação. Esse reconhecimento (que já teve expressão em várias menções de mérito e em termos da avaliação do meu desempenho) tem colhido o aval dos autarcas do distrito de Lisboa e até de outros distritos do país, e enche-me de orgulho.

Se por estas bandas os autarcas almadenses da maioria no poder se sentem incomodados, o problema é deles. Posso ficar aborrecida, triste, desiludida, é um facto… mas não desisto.

Minda disse...

Observador:

A questão não será ter havido PIDES não fascistas, se calhar é, antes, haver pretensos democratas que utilizam métodos fascistas para, em nome de outras ditaduras, dizerem que defendem o povo.

Viva o PCP do 24 de Abril disse...

"Pourra" Minda já disse mais do que uma vez que sendo comunista, e conhecendo o PCP como eu conheço, encontrei alguns fulanos que aderiram ao PCP depois de Abril dois da lisnave foram bufos da pide e da legião, antes do 25 de Abril. Camaradas onde andava os maias, os carreiras, as emilias, os meendes antes do 25 de Abril. Mesmo esse totó que ataca a MInda, onde andava ele antes do 25 de Abril, e o Sérgio Taipas. É esta gente que está á frente do PCP em Almada. Volta Salazar estás perdoado.

Related Posts with Thumbnails