sábado, 19 de dezembro de 2009

Até parece que foi praga que me rogaram!


Hoje, sinto-me assim.
Depois de ter apanhado um "frio danado" na reunião da Assembleia Municipal na passada 5.ª feira, a segunda reunião (na 6.ª feira), acabou comigo de vez.
Porque a coitada da Assembleia Municipal não tem instalações próprias, é "uma sem abrigo", e necessita de, para reunir o plenário,"mendigar " a cedência de um espaço para o efeito (os quais nem sempre são os mais adequados), fomos reunir para a sala do 1.º andar da Cooperativa Piedense... todos se queixavam da falta de condições... com um piso gelado (de tijoleira), fiquei com os pés frios toda a noite (apesar de ir de botas e meias de lã) e, por isso, entrei mais ou menos e acabei de sair com uma crise de rinite alérgica, rouca e com uma constipação à porta (que acabou por chegar hoje).
Espero que tudo melhore até 2.ª feira pois nesse dia vai haver a 3.ª e última reunião da AM e, depois, na 3.ª feira, segue-se a Assembleia de Freguesia. Preciso, pois, de estar totalmente recuperada (até parece que foi praga que me rogaram. Livra!)

53 comentários:

Anónimo disse...

Ora aí está você outra vez a ser maldosa. Não resiste mesmo, não é? Às tantas, terem estado praticamente zero graus na noite de sexta para sábado é uma responsabilidade da ... sabe-se lá de quem!!!

De qualquer forma, desejo-lhe as melhoras.

Minda disse...

Meu caro amigo anónimo:

Maldosa, eu?

Ainda bem que há gente tão séria e cheia de sentido de humor como o senhor!

Bem-haja por ser assim...

E, "de qualquer forma", agradeço-lhe os votos de melhores.

Anónimo disse...

Maldosa, sim D. Ermelinda! E não é humor, não senhor. É mesmo a sério.

O Movimento Associativo do Concelho de Almada, a Cooperativa Piedense em particular, não merece que uma senhora mal intencionada como você diga que uma das melhores salas de reunião do concelho de Almada não tem ... condições. Menos ainda merece que você diga que "toda a gente" disse isso. Maldosa? Claro, muito maldosa, mesmo!

Mesmo assim, reitero os votos de melhoras.

Luis disse...

Um «anónimo» e ainda por cima sem espírito de humor? Coisa rara no Natal, pelo que bem merece os parabéns. As melhoras e um bom Natal a todos.

Minda disse...

Anónimo:

Admito que me enganei. Dou-lhe razão...

Aquela é, de facto, uma excelente sala para, no Inverno, com o frio que estava, reunir durante várias horas noite dentro, a Assembleia Municipal.

Por isso se via no rosto de todos os presentes quão confortáveis estavam. Peço desculpa, eu é que fiz confusão.

==

E dizer que aquela sala não tem condições para reunir a AM nesta época do ano (sobretudo) não tem nada a ver com o resto do movimento associativo do concelho. Não misture as coisas.

Minda disse...

Luís:

Obrigada pela visita.

Infelizmete o mundo está cheio de gente assim. Mas temos de ser benevolentes.

Um abraço

Observador disse...

Lá estou eu (deve ser mania de perseguição) a descobrir uma mistura quase explosiva que, de todo, deriva de uma má vontade e, porque não, de algum desvio psíquico.

Conheço perfeitamente a sala em questão.
Dizer que a mesma é pouco acolhedora, principalmente nesta altura do ano (refiro-me ao frio), não é mais do que constatar uma verdade pura.

Tenho a certeza de que com esta constatação não se está a atacar qualquer movimento associativo em geral nem a Cooperativa Piedense em particular.
Pode-se, isso sim, dizer que nunca ninguém acarinhou aquele espaço como deveria ter sido acarinhado. Apesar das obras efectuadas e que melhoraram consideravelmente o espaço.
Mas o prolongamento desta conversa levar-nos-ia a outras situações e lá viria a ... política.
Não há necessidade.

O que se me afigura importante, e nestes casos evitável, é que por causa de uma opinião, surjam formas básicas de agressão verbal.

Uma coisa é certa. A sala da Cooperativa Piedense (ainda gerida pela própria ou pela Pluricoop?) não tem condições.
E com isto não pretendo ofender nada nem ninguém.

Vêm como sou bom rapaz?
Até deixo uma "dica" para abordar a questão do associativismo.
Porque a Pluricoop nada tem a ver com este movimento...

Cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Observador,

Quer ver como eu tenho razão? E você não é tão (inocentemente) bom rapaz?

Responda-me só a uma pergunta: a D. Ermelinda é Deputada Municipal em Almada. Participou em duas reuniões da Sessão de Dezembro da Assembleia Municipal a que pertence. Certamente muitas coisas interessantes terão sido discutidas nessas duas reuniões. Coisas interessantes e importantes para o povo que ela (diz que) representa.

Muito bem. A única coisa que a D. Ermelinda, dessas duas reuniões, tem para dizer ao pessoal é que ... a sala onde a reunião se realizou não tem condições! É ou não maldade?

Mais do que isso. Por acaso sabe com quanto tempo de antecedência é marcada a sala para a reunião da Assembleia Municipal? Por acaso faz uma pequenina ideia do que representa, em termos administrativos, organizar uma sessão da Assembleia Municipal? Por acaso faz uma pequena ideia, sequer, de quantos são os membros da Assembleia Municipal? Por acaso imagina, por um bocadinho que seja, o que significa o facto das reuniões - todas! - da Assembleia Municipal serem públicas, e o que isso representa em termos de divulgação da hora, dia e local da reunião? Por acaso você imagina sequer o que é isto?

Finalmente, a sala da Cooperativa Piedense não tem condições para o frio que estava! Ora bolas, o Presidente da Assembleia Municipal de Almada é mesmo um anormal completo! Então vejam lá que não foi capaz de prever que na noite de realização da Assembleia Municipal iriam estar quase zero (zero, sim!) graus de temperatura. Uma temperatura, aliás, absolutamente banal no nosso território mesmo no inverno. Muito comum, mesmo. Grande anormal que me saiu este Presidente da Assembleia Municipal ...

Mas volto ao início: será que D. Ermelinda, sobre as duas reuniões em que participou, apenas nos tem para contar que a sala ... não tem condições? Ela que até tem um outro blog a que chama "diário" da sua participação na Assembleia Municipal (que de diário, de facto, nada tem ...).

Ora, Observador, você fazia cá falta, de facto, para defender a sua dama. Mas assim ...

Anónimo disse...

Quer que lhe diga mais, Observador? Vou deixar de lado os desvios psíquicos de que fala, mas vou falar-lhe de desvios ideológicos.

A D. Ermelinda é militante e eleita do Bloco de Esquerda. Presumo, por isso, que é também detentora de uma mentalidade de esquerda.

Mas olhe, com toda a franqueza, não o demonstra.

Ainda a propósito da sala sem condições - a da Cooperativa Piedense - seria bom que D. Ermelinda nos tivesse dito o que seria uma sala com condições para ela. Como não diz, a gente põe-se a adivinhar: certamente uma sala onde o conforto burguês do ar condicionado e climatizado a não fizesse tremer de frio. Pois é, mas o Movimento Associativo não tem salas dessas. E não deve ter, ao contrário do que você chega a pretender insinuar quando fala do "carinho" que esse Movimento Associativo não tem. Tem, caro Observador. Tem sim, e muito carinho. Você é que observa muito mal o que se passa à sua volta. Só que é um carinho que serve para outras coisas, não para luxos como D. Ermelinda parece querer exigir.

E vou falar-lhe, ainda neste registo ideológico, de uma outra questão. D. Ermelinda "queixa-se" de que a Assembleia Municipal não tem uma casa própria, chegando ao desplante de afirmar que a Assembleia Municipal é uma "sem abrigo". Para uma pessoa que diz ter mentalidade de esquerda, estes desvios são, no mínimo, estranhos.

Primeiro porque é mentira. A Assembleia Municipal tem uma casa própria, e de há uns meses a esta parte até com muito melhores condições do que durante muitos e muitos anos.

Depois porque se D. Ermelinda acha que a Assembleia Municipal devia ter uma casa própria, onde reunisse com todas as condições em permanência, está, na verdade, a violar uma das principais bandeiras do seu partido: a da participação.

Não há muito tempo, de forma absolutamnte despropositada e demagógica, D. Ermelinda fez um escarcéu dos diabos porque, alegava ela, não lhe tinha sido dada oportunidade de participar na discussão de um grande projecto para o Concelho. Não vou aqui referir qual porque você lembra-se de certeza absoluta.

Pois bem, então em relação à Assembleia Municipal D. Ermelinda pensa de maneira diferente? Ou será que não entende que é uma mais valia - se calhar única em todas as Assembleias Municipais neste país - o facto da Assembleia Municipal reunir (e são os representantes do Povo que reunem!) em diferentes salas e pontos do Concelho, estimulando e permitindo por essa via uma maior, mais alargada e mais democrática participação dos cidadãos neste órgão que os representa?

É isso, D. Ermelinda não tem mentalidade de esquerda.D. Ermelinda é uma oportunista que se diz de esquerda, mas não sabe o que é, de facto, ser-se de esquerda.

Anónimo disse...

SR.ANONIMO 18.14, espectacular a D. Ermelinda estava a precisar de uma resposta com essa profundidade, por acaso pensava que a D. Ermelinda ia questionar se o frio vinha da Sibéria ou era americano, pois se não tivesse resposta com certeza que ia culpar a Administração da CMA das temperaturas negativas que andam por ai.POr acaso não tem nada de maldosa é uma santa, de qualquer dos modos era importante recompor-se rapido para a Assembleia Freguesia de Cacilhas.
V.P

Observador disse...

Estimado anónimo
Agradeço a sua atenção em dedicar uma enorme extensão de texto mas tenho que lhe dizer que se deve ter enganado.
Por acaso perguntei-lhe alguma coisa?
Fiz as minhas conjecturas e comentei de acordo com o que li.
Penso que não é proibido e, como tal, disse o que deveria dizer na circunstância.
Mas, repito, demonstre-me onde me referia a si.
Não me diga que tem a mania da perseguição!?

Já que aqui estamos e falando na Assembleia Municipal, é sabido que tem instalações próprias.
É conhecida a opção de se fazerem sessões em colectividades, um pouco por todo o Concelho.
De acordo com o que alguém responsável na Assembleia Municipal me disse em tempos, o facto de "andarem com a casa às costas" era mesmo uma opção, no sentido de se descentralizar.
O que considero correcto.
Mas, pelo que sei, nunca alguma sessão foi realizada num espaço com falta de condições.
É verdade que os senhores da Assembleia Municipal, não sendo meteorologistas e não conseguindo adivinhar as condições climatéricas dos dias em que as sessões se realizam, deverão ter a noção do que é o Inverno e as outras estações do ano.

Faz, o estimado anónimo, diversas conjecturas sobre várias questões.
Mas fá-lo como se estivesse a falar com/para a D. Ermelinda.
Se é a ela que pretende dirigir-se, diga-lhe directamente e não por interposta pessoa.

Creio não ser relevante continuar a bater na mesma tecla.
Considere-se cumprimentado e acredite que está mesmo muito frio.
Ainda bem que não vamos ter, por agora, qualquer sessão da AM.

Como terá percebido, estimado anónimo, agora sim, falei para si e de si.

Minda disse...

Observador:

“Mistura explosiva”, “má vontade” e “desvio psíquico”… Ora bem, julgo que está tudo dito.

Quanto ao resto (refiro-me às pistas, ou “dicas” sobre o movimento associativo) daria “pano para mangas”…

Minda disse...

“Belo” Anónimo (parte 1):

Mas quem é que disse ao senhor que eu nada mais tenho a dizer sobre as duas últimas sessões da Assembleia Municipal?

Por estar doente é que, neste momento, referi apenas esse facto. Mas a seu tempo irei noticiar não as duas mas as três sessões e o que nelas se passou.

Como a vergonhosa atitude da Presidente da CMA em se recusar a responder às perguntas da oposição sobre a actividade municipal (ai não!… oposição assim em termos genéricos não, claro que não: da oposição do PS, da oposição do PSD, da oposição do BE e da oposição do CDS/PP… está melhor? Assim já está correcto?) e que mereceu a condenação por parte de todos os partidos, à excepção, evidentemente, da CDU.

Só que não o fiz por estar doente. E, além disso, no fim-de-semana tive outras coisas em que pensar, como seja preparar a Assembleia de Freguesia de Cacilhas que é já na 3.ª feira, sendo que hoje ainda há reunião da AMA.

Mais ainda, tenho família e há que lhe dar atenção pois a política não se lhe sobrepõe.

É que, caro e “belo” anónimo, convinha que tivesse dito que se estava a referir a duas sessões que não aconteceram há umas semanas atrás mas nos dias 17 e 18 últimos, sendo que a de sexta-feira terminou era já dia 19. E ontem, quando escreveu o seu comentário “iluminado” era dia 20 (domingo).

Por isso, quer confundir quem?

E se você pretende informação “em cima da hora” (segundo a sua óptica e a seu bel-prazer) porque não faz um blogue e trata de colocar as notícias online logo em directo? Basta que leve um computador portátil com acesso à Internet e poderá utilizá-lo durante as reuniões para ir noticiando o que se passa… (esta última parte será desnecessária porque decerto já o faz, mas para outros fins… basta, então, criar o blogue).

Minda disse...

“Belo” Anónimo (parte 2):

Acerca do funcionamento da Assembleia Municipal de Almada, tenho umas quantas “coisinhas” a dizer-lhe:

Se calhar até saberei melhor do que você o quanto custa organizar, naquelas condições de itinerância, os plenários do órgão deliberativo almadense.

Assim como se calhar imaginarei muito melhor do que o senhor o que é toda a logística (administrativa e técnica) de suporte à realização das sessões da Assembleia Municipal de Almada.

Tal como, se calhar, melhor do que você poderei eu até saber dar valor ao trabalho dos funcionários daquela casa… Aliás até é estranho que a CDU, ao que consta, nunca tivesse proposto um elogio público ao empenho e dedicação de alguns destes trabalhadores, ou da equipa no seu conjunto (que bem merecido seria).

Quanto à falta de condições da sala… não brinque comigo! Se quer “gozar o pagode” vá fazê-lo com os seus camaradas.

Independentemente da temperatura que se viesse a fazer sentir naqueles dias, seria mais do que expectável que em qualquer dia deste mês, à noite, aquela sala com piso em tijoleira, tecto com placas de lusalite e uma área bastante considerável, sem qualquer sistema de aquecimento, fosse fria e desconfortável para reunir durante horas consecutivas… atendendo a que os deputados não andariam propriamente a bailar-se pela sala (podendo, nesse caso, com o exercício físico aquecer-se, já que os discursos por mais quentes que sejam não se transformam em energia térmica) mas estariam sempre sentados.

Minda disse...

“Belo” Anónimo (parte 3):


Ai, ai, que tristeza meu caro “belo”, jovem e de esquerda. Tão purista…

Então pretender que a Assembleia Municipal de Almada reúna numa sala com o mínimo de condições de conforto é um desejo burguês? Então um conforto mínimo não faz parte do mínimo exigível para um órgão daquela natureza reunir com dignidade? Ou devem todos penitenciar-se mesmo que isso lhes cause problemas de saúde? Ou a saúde não é um bem defensável? Se calhar não, deve ser um qualquer desígnio burguês!! E olhe que não fui a única afectada… e se mais não foram, foi sorte deles, pois mesmo na sua bancada houve muitos que nem tiveram coragem de tirar o sobretudo.

É de facto “lindo” ver a maioria dos deputados municipais encolhidos, esfregando as mãos geladas, transidos de frio… em nome dos princípios da esquerda falsamente moralista da CDU. Mas, se calhar era eu que estava a ver mal e todos estavam, de facto, satisfeitos e risonhos, em mangas de camisa.

E por falar em conforto burguês, aposto que na sua casa deve obedecer aos mesmos princípios que defende para o funcionamento da Assembleia Municipal. Nada de ar condicionado, portanto. Embrulhado nuns cobertores… que cenário lindo!!

E, já agora, chegou à Assembleia Municipal de transportes públicos, não foi? Não! Bem me parecia… para lá se dirigiu no conforto do seu carro (que por ser o seu, já não é um bem capitalista nem burguês… bem, se fosse uma carroça, talvez eu até o apoiasse), gastando gasolina, poluindo o ar. Mas tudo bem, por uma questão de solidariedade com o Povo, não ligou o ar condicionado. Menino prendado, sim senhora!

Exigir conforto é um luxo? Claro! O Povo pode e deve viver em condições miseráveis… assim se dobram as vontades e se vê a fibra de quem os defende. Porque, caso contrário, como poderá a elite dos iluminados vanguardista dizer que defende o Povo?

O associativismo não pode ter salas confortáveis. Evidentemente que não! E os seus dirigentes devem seguir nas suas vidas privadas o exemplo espartano que querem aplicar nas associações que gerem. Rigor e contenção, a bem do Povo.

Abaixo o ar condicionado!

Minda disse...

“Belo” Anónimo (parte 4):

A Assembleia Municipal de Almada tem, de facto, instalações próprias. Onde se encontra o gabinete do Presidente, as salas das comissões permanentes e um espaço comum aos partidos. O plenário não tem onde reunir. Por isso digo, e repito, que a Assembleia Municipal é uma “sem abrigo”.

Mas, sejamos coerentes. Será eu este rigor e exigência espartana se aplica, também, à Câmara Municipal? Será que a senhora Presidente e os vereadores fazem reuniões públicas itinerantes sempre com a “casa às costas” para aplicar o mesmo princípio do órgão deliberativo?

E, já agora, será que o gabinete da senhora Presidente e dos vereadores da CDU é desprovido de toda a espécie de conforto burguês?

Evidentemente que não! Nesse caso, este executivo não é de esquerda! Só pode ser a conclusão lógica a retirar depois do que o “belo” anónimo aqui nos disse.

Mas, ora aí está a explicação da razão pela qual a CMA, apesar de ser CDU, parece agir em contrário com tudo o que o PCP defende na Assembleia da República, nomeadamente no que concerne aos direitos dos seus trabalhadores… afinal agora compreendo muita coisa: o PCP local, refiro-me ao poder instalado nos órgãos autárquicos do concelho, não é de esquerda porque se deixou tentar pelos bens de consumo burgueses.

Está tudo dito.

Minda disse...

“Belo” Anónimo (parte 4):

Defender uma sede para a Assembleia Municipal poder reunir em permanência é contrário aos ideias de esquerda? E contra a participação cidadã? Mas desde quando?

Quer-me o senhor, convencer que pelo facto de a AMA ter um salão condigno, com condições de trabalho para os deputados trabalharem e o público assistir, é contrário à democracia participativa?

Deve mesmo estar completamente louco.

E quem lhe disse que pelo facto de ter uma sede fixa, isso impediria que, de vez em quando, se fizessem sessões noutros locais? Assim se faz na Assembleia de Freguesia de Cacilhas, e noutras por esse país fora, e a democracia nada perdeu com isso.

E por falar em Cacilhas: o seu Partido não deveria ter autorizado que aquela autarquia fizesse obras nas instalações da Junta melhorando, também, as condições da sala da Assembleia de Freguesia e, ainda por cima, com o apoio da Câmara Municipal… há que ter coerência, amigo! E mais exemplos haveria neste concelho para dar, e muitos mais ao nível do país. Por isso, antes de falar, tenha tento nessa cabecinha que parece que é coisa que lhe falta.

Já pensou, por exemplo, no que se pouparia em esforço de organização, administração e logística se a Assembleia Municipal tivesse uma sede própria? Já pensou, por exemplo, o que se ganharia ao nível da habituação se os cidadãos soubessem que a Assembleia Municipal reunia naquele lugar exacto? Ou ainda não reparou que o que leva as pessoas à Assembleia Municipal são os assuntos do seu interesse e que elas vão onde for preciso?

Cito-lhe apenas alguns casos: sobre a Mata dos Medos, os moradores da Charneca vieram a Almada. Assim como os habitantes dos bairros sociais do Feijó e Laranjeiro se deslocaram a Almada. E tantos outros exemplos de moradores que vêm das suas terras até à Assembleia Municipal, tal como vão às reuniões da Câmara Municipal (que se fazem sempre no mesmo local) vindos de todas as freguesias do concelho, sempre que têm problemas a expor e querem ouvir a posição dos autarcas.

Por isso, reduzir a questão da participação dos cidadãos à itinerância da Assembleia Municipal, para explicar a razão pela qual deve ser a única no país que não tem sítio para o órgão deliberativo reunir, é apresentar uma perspectiva redutora do que é, afinal, a cidadania.

E vir com essa bandeira quando em Almada a CDU se nega a aplicar o conceito de orçamento participativo, tem, de facto, a sua graça.

Muito mais haveria para falar sobre o conceito de participação e de como a CDU o pratica, nomeadamente no que concerne à defesa do princípio do arquivo aberto na Administração Pública e da transparência na gestão autárquica. Mas fico-me por aqui.

Portanto: oportunista de esquerda será o senhor e todos os que no seu Partido e fora dele pensam como o senhor. Ponha a mão na consciência!

Minda disse...

V.P:

Por acaso gostaria de saber o que tem, agora, a dizer, depois de ler as minhas respostas aos comentários do “espectacular” e “belo” Anónimo que você tanto apreciou.

Espero, pois, que não perca o pio.

E obrigada pelas melhores.

Minda disse...

Observador:

A opção de descentralizar as sessões da Assembleia Municipal, com a qual não estou contra (mas não por sistema e como forma única de reunir o plenário), pode ser até acertada mas como forma extraordinária e em casos específicos que se justifique fundamentadamente.

Em trinta e cinco anos de Democracia já se verificou que a participação das pessoas não é indiferente aos assuntos agendados e que, seja qual for o local, desde que existam interesses próprios, o que move os cidadãos é a possibilidade de os tratar e não o funcionamento regular do órgão.

Ou seja, independentemente do local, quando os cidadãos têm assuntos que querem tratar eles deslocam-se até onde a Assembleia estiver. Como aliás o fazem em relação ás reuniões do órgão executivo, as quais, que eu saiba, nunca foram descentralizadas.

E se pensarmos bem, se calhar a maior parte das Assembleias onde houve intensa participação dos cidadãos nem sequer foi por esse órgão deliberativo se ter deslocado à sua freguesia. Dei alguns exemplos no comentário anterior mas podem-se arranjar mais, basta ler as actas, coisa que não me apetece agora fazer.

Obrigada, amigo pelos teus comentários.

Minda disse...

Ao “belo” Anónimo, ou “Anónimo Belo”:

Só mais um pequeno pormenor, quiçá de nada, para si:

Sobre o movimento associativo em Almada, bem que gostaria de nos contasse que tem você feito por ele (para lá de considerar que deve não deve ter salas com ar condicionado e outros luxos burgueses).

Que cargos desempenha (não precisa de se desmascarar para o efeito), que actividades desenvolve, enfim… diga-nos lá, faça-nos esse favor.

Esclareça os “feios” como eu que participam activamente nas associações locais, que investem dinheiro próprio na divulgação de eventos e na prossecução das actividades para que as mesmas não acabem, que ocupam parte do seu tempo livre a organizar acções públicas (algumas até em parceria com a Câmara, escolas, juntas de freguesia, outras associações e particulares) mas que, porque apreciamos o conforto burguês de uma sala com o mínimo de condições dignas de funcionamento para um órgão autárquico passámos já não podemos ser nem de esquerda nem defensores do associativismo local.

Estamos, pois, à espera que se digne apresentar-nos quais têm sido os seus valorosos préstimos em prol do movimento associativo.

Eu, do pouco que tenho feito, é um facto, considerando o muito que há para fazer, tem sido repartido pela SCALA – Sociedade Cultural de Artes e Letras de Almada (onde desempenho funções como Presidente da Assembleia Geral), o FAROL – Associação de Cidadania de Cacilhas (onde sou Secretária da Direcção) e os Poetas Almadenses , cuja actividade coordeno.

E o senhor?

Anónimo disse...

Cara Minda,
" Quem semeia ventos colhe tempestades",V.P

Anónimo disse...

Iria dizer que são quatro partes, mas na verdade são logo seis! Ainda que duas delas com o número quatro, e uma sem número.

Tantas partes, D. Ermelinda! Não se canse, mulher! Está doente, não foi o que disse? Não tem tempo nem oportunidade - por ter família e outras coisas em que pensar durante o fim de semana e precisamente por estar doente - para relatar o que se passou na Assembleia (mas fiquei muito mais descansado com a sua promessa, pode crer que estou muito mais sereno depois da sua promessa de que irá comentar ...e até já deixou um "cheirinho" sobre a "qualidade" dos comentários que irá fazer ...), mas a mim dedica-me seis "partes"!!!!

E logo seis partes todas elas longas! Longas, mas na verdade para não dizer rigorosamente nada! Pelo menos nada de interessante.

Você é um "deserto" completo, já reparou? Vem aqui em tantas "partes" para, no essencial, se limitar a tentar afirmar que sabe mais do que eu e que é melhor do que eu. Nada mais! E fica tão satisfeita com o seu desempenho, que ainda lhe sobra tempo e soberba para desafiar terceiros ...

Mas afinal estou errado; mais alguma coisa você diz: diz que é uma "extraordinária" activista do Movimento Associativo (ainda que, com falsa modéstia que se percebe a léguas de distância, afirme que faz pouco ...)! Ficamos a saber que é dirigente de três associções deste nosso Concelho. Óptimo. Não pense é que pelo facto de me sentir satisfeito pela sua profunda actividade associativa, lhe responda às perguntas que, sobre esta matéria, me faz a mim. Ficava a saber tanto como eu, e você, de facto, não merece (nesta como em todas as outras matérias) saber tanto como eu! E não sabe, pode ter a certeza absoluta que não sabe ...

Finalmente, vai mesmo aqui um pequeníssimo reparo para o Observador: você acha que tem que me perguntar alguma coisa para eu comentar livremente o que quer que sej que você aqui publique?

Minda disse...

V.P.:

O povo é sábio.
"Cá se fazem cá se pagam".

Boas Festas.

Minda disse...

Bem-aventurados os que são um “oásis de conhecimento” e com a sua partilha de sabedoria tornam menos cru o deserto de ideias que grassa à sua volta.

Admiro, sinceramente, a loquacidade do seu discurso tão esclarecido e a perspicácia da sua análise clarividente que vai ao ponto de conseguir dizer tudo sem dizer nada.

Cada frase encerra uma profunda explicação sobre os conteúdos que se digna versar e nós, “feios” e “ignorantes” só temos de O venerar pela qualidade das suas reflexões.

Nós, os outros que nada dizemos e nada sabemos, e eu em particular, agradeço-lhe imenso o vir aqui incomodar-se a demonstrar quão brilhantes e sagazes são as suas opiniões.

E, ainda por cima é tão modesto, mas tão modesto, que prefere ser anónimo para não colher os louros de tão admirável atitude de cobardia.

Resta-me desejar-lhe que mantenha esse seu comportamento louvável (que seria de nós sem o seu exemplo) e continue a passear-se pela blogosfera enquanto participa nas sessões da Assembleia Municipal pois é para isso, de facto, que o erário público serve.

Obrigada por existir. Obrigada por ser como é.

Resta-me desejar-lhe, a si à sua família, Boas Festas.

Observador disse...

Parece-me que o estimado anónimo me fez uma pergunta.
Vou lá atrás conferir. Um momento, volto já...
_____________

Pronto, conferi. E não é verdade que o estimado anónimo, o tal que continua a passar do anonimato (pensa ele) me fez mesmo uma pergunta???
Tranquilamente (desculpa Paulo Bento), lhe digo que só me dirige a palavra quem eu quero e quando questionado para tal.
Pense como quiser (tem esse direito) mas não se sinta com direitos que na realidade não possui.

Valeu?

Anónimo disse...

Quanto ao anónimo que por aí anda (se ainda não emigrou para a Coreia do Norte), registo com agrado a "trabalheira" que dá a organização duma A.M.
É capaz de dar uma grande "trabalheira"...para quem não está habituado, não é...

Anónimo disse...

A D. Ermelinda continua sem nada dizer. O Observador, nada diz igualmente (neste caso, porque só se dirige a ele quem ele quer!!!! Ah, ah, ah, ah).

Estes quatro ah são o meu riso. Que é o que você, Observador, me faz. Então só lhe dirige a palavra quem você quer? Só lhe faz perguntas quem você quer? Não me parece. Mesmo nada! Afinal até foi lá atrás ver se eu lhe tinha feito uma pergunta para voltar e ... reponder! Viu, caro Observador, que mesmo que você não queira eu lhe dirijo mesmo a palavra? E que pode você contra isso? Pode alguma coisa? Ou é você quem possui desvios psíquicos, afinal?

Observador disse...

Estimado anónimo

Sabe o que posso fazer em relação a si?
Recomendar-lhe uma consulta do foro psiquiátrico.
Constato que você é uma pessoa doente.
Para além da teimosia em ser ... isso mesmo, não consegue evitar o insulto grátis.
Não me queixo porque, também aqui, só me ofende quem eu quero.
E você não tem classe para me beliscar.

Sabe, se alguma atenção lhe vou dando, é porque sempre me afligiram os "sem abrigo".

Anónimo disse...

Caros e caras
melhor que qualquer telenovela da Tvi ou revista cor de rosa é mesmo ler neste blog os seus comentários "figadais" que em nada nos esclarecem ou indique uma real discussão mas somente um conjunto de ataques; continuem...

VPA

Ora Tóma! disse...

Caros "jovem e belo" Anónimo e Observador

È engraçado ver-vos a tergiversar argumentos aqui no Infinitos.
Um escondendo-se atrás do Anonimo/ato.
O outro aproveitando a não censura usada blog, ao mesmo tempo que faz “censura prévia” aos comentários que aparecem no seu blog Reflexos. Digo-o com todo o á-vontade, porque fui atingido pela sua "censura prévia" num comentário ao seu artigo “ORÇAMENTO DA CMA - PSD VOTA CONTRA DEPOIS DA CDU NÃO TER ACOLHIDO PROPOSTAS” (http://reflexosnexos.blogspot.com/2009/12/orcamento-da-cma-psd-vota-contra-depois.html),
em que eu o aconselhava a consultar este mesmo blog para ficar esclarecido (artigos “A Política da Bengala” (14/12/2009 e “O embaraço equivocado do PS” (15/12/2009).
Foi uma atitude que fez-me lembrar a de Cavaco Silva quando disse que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas, pois o artigo punha em causa o que tinha escrito no seu blog.
Quanto ao Anónimo, veja lá se utiliza melhor o tempo que os contribuintes lhe pagam (+ de 60€ por sessão da AMA) e se trata melhor o seu fígado para deixar de fazer figuras tristes aqui neste blog, que tem uma visibilidade muito maior do que imagina e desejava.

Observador disse...

Caro "Ora Toma"

É verdade que recebi um mail seu.
Talvez por lapso, não percebi que fosse para o blogue.
E como não me deu o privilégio de se identificar (com endereço electrónico, por exemplo) fiquei impossibilitado de lhe responder como era meu desejo.

No que me toca, pode e deve deixar esse ar de sarcasmo.
Sei reconhecer os erros (meus e alheios).
Não duvide que terei o maior prazer em conversar consigo.

Cumprimentos e um Natal feliz.

Anónimo disse...

Quem é você, Ora Toma, para me dar conselhos sobre o que devo ou não fazer, principalmente em matéria de "más figuras"? Já se olhou bem ao espelho?

Depois o que eu mais desejo - sinceramente - é que este blog tenha uma amplíssima audiência. De facto, você acerta ao dizer que eu penso que não tem. É o que penso. Mas erra redondamente quando diz que será isso que eu desejo. Bem pelo contrário, Ora Toma. Bem pelo contrário.

Gostaria que muito mais gente lesse o que você, a D. Ermelinda e o Observador (já agora eu também) por aqui escrevem. Mas duvido muito, muitíssimo, que haja assim tanta gente a ler ...

Anónimo disse...

Caro Observador,

Explique-me lá essa de como é que reconhece os erros dos outros. Gostava que me explicasse ...

Ah, é verdade, já me esquecia. Você não aceita que eu lhe ditrija a palavra ...

Observador disse...

Exactamente, estimado anónimo.

Não permito mesmo.
E se o fizer, deito o lixo no lixo.

Anónimo disse...

Estranho, caro Observador, porque é que não deitou, desta vez, o "lixo" no lixo?????

Observador disse...

Porque só faço o que quero e quando quero.
E não acha, estimado anónimo, que esta sua insistência já cheira mal?

Você é de tal qualidade que nem respeita as épocas.
Entende-se. Quem é infeliz é-o todo o ano.

ex. pcp disse...

Bom ano para todos os visitantes deste blog excepto para os reacionários da Maria Emilia, e companhia, Maias, carreiras, os chupistas. Já agora quantos milhares de euros esta senhora emilia gastou com os postais de boas festas. Só na minha residencia recebi três.Todos eles com palavrinhas mansas. Fora com a burguesa emilia de sousa- Deus queira que esta reacionária desapareça de almada, vá viver da fortuna que tem- e aos comunistas almadenses que abram os olhos.a última um tal que se faz passar de comunista O Joaquim Marreiros, que´veio da lisnave, estudou sempre durante o tempo de serviço até foi tirar um curso a évora e está a um ano de ir para a reforma dourada, anda a ver se passa para director para mamar em 2010, 4000 euros de reforma, vá trabalhar seu calão- Já agora a filha deste macabuzio já está a trabalhar na câmara. Volta cunhal para acabares com estes falsos comunistas

Anónimo disse...

Essa criatura que ataca a Ermelinda, que defende a Câmara(Não CDU) é mais um dos calões que se colam ao partido comunista e passam a vida profissional a não trabalhar e a mamar 4000 euros por mês. São estas criaturas asquerosas, que estragam o desenvolvimento do país- Este senhor(J.G.) vá trabalhar vá produzir, torne-se útil para a sociedade. Levanto uma questão para todos. Em almada não existe o PCP, existe a CDU organizada e comandada pela MES, e pelos oportunistas da CDU, não do PCP. Tomei conhecimento que um tal pseudocomunista, reformado da lisnave, veio para a câmara, ganhar como coordenador do´desporto, entretanto reformou-se da Câmara e como tinha comprado uma grande quinta em poiares, veio ganhar a recibos verdes quelquer coisa como 300 contos a organizar uns jogos. São estas criaturas os comunas almadenses. Isto é recebia três vencimentos, por mês. E quantos desempregados e outros a passarem fome. já agora o bom escrivante fale sobre isto ou é também um dos tais burgueses ditos comunistas almadedense, ops do PEV ou da ID.

Minda disse...

Observador:

Amigo, não ligues a estas parvoeiras do Anónimo moralista que se julga superior a todos os que aqui vêm mas daqui não arreda pé.

Sabes que já descobrimos quem é o dito cujo? No seu afã de vaidade e na ânsia de dizer mal acabou cometendo uns deslizes que lhe tiraram a máscara…
Não lhe ligues que não vale a pena. Quando te disser quem ele é, vais dar umas boas gargalhadas. E lá diz o ditado: quem ri por último ri sempre melhor.

Ahahahahahaah.

Minda disse...

Anónimo (o tal que é o mais “belo”, “inteligente” e sagaz cá das redondezas):

Espero que alguém da família lhe tenha oferecido um pouco de bom senso (não digo o Menino Jesus, porque como bom comunista deve ser ateu, e decerto não acredita e no Pai Natal - uma criação do capitalismo americano) e quiçá uma samarra, mais condizente com as ideias que defende já que o sobretudo que usou na Assembleia Municipal tinha um ar demasiado burguês e ficava desajustado no frio operário que se fazia sentir naquela sala.

Quanto às audiências deste blogue, aqui nunca foram feitas conjecturas sobre a dimensão da sua amplitude. O “Ora Toma!” apenas referiu que há mais gente do que aquela que julga a ler este espaço… não deturpe as palavras dos outros. Se quer destilar veneno vá despejá-lo para outras bandas.

Um Ano Novo Próspero cheio de felicidade é o que lhe desejo, sinceramente…

Minda disse...

Ora Toma!:

Terminaste com um óptimo conselho ao nosso querido e “belo”anónimo – o tal que é deputado municipal: tratar melhor do fígado para não fazer figuras tristes.

E são tão vergonhosas mesmo que nem sequer tem coragem de assumir a sua verdadeira identidade. No fundo, ele sabe bem que atitudes cobardes desta natureza são condenáveis…

Minda disse...

Ex PCP:

Não seja assim. Um bom Ano Novo deseja-se a todos… Porque cá se fazem, cá se pagam.

Quanto às acusações que faz, peço-lhe que tenha moderação. Este espaço não se destina a esse tipo de conversas.

Minda disse...

Anónimo de 26-12, 1:37

Disse uma grande verdade que em Almada o PCP não é o PCP… é o partido da MÊS, pois ela domina tudo e todos. E o PCP verga-se à sua vontade por questões eleitoralistas. Vamos lá ver como é que a coisa será no próximo mandato…

Quanto ao resto, tenha cuidado com o que diz. Ataques pessoais… só com provas muito fortes.

Anónimo disse...

Já decrobriu quem eu sou, D. Ermelinda? Ou já "descobrimos" (você e mais alguém, certamente, no plural ...).

E o Observador vai dar uma enorme gargalhada quando você lhe disser, D. Ermelinda? Ah vai? Hi, hi, hi, hi, hi! Eu já dei! E porque é que não lhe diz já aqui, publicamente? Está a reservar essa notícia verdadeiramente bombástica para as suas relações de amizade que não passam por este blog? Vá lá, compartilhe a sua (vossa) descoberta com o Observador, mas também connosco todos. Também gostamos muito de gargalhar, acredite.

De resto, como é época festiva, fico-me por aqui. Embora não me vá sem mais uma: de substancial, a D. Ermelinda anda à procura de saber quem eu sou. Registo o interesse. Se calhar ficará muito mais feliz depois de saber, quem sabe. Há gente assim.

No entanto, há dias a fio que eu espero comentários (aqui e no Diário ...) sobre a reunião da Assembleia Municipal. Nada! Primeiro estava doente; depois foi (ou deve ter ido) de férias de Natal. Agora ... preocupa-se em tentar saber quem eu sou... e com gargalhadas à mistura. Olhe, ainda me estou a rir. E muito. Mas é da sua triste figura.

Já agora, D. Ermelinda (esta é mesmo uma provocação). Em tempos acusei-a de sendo militante de um partido que dá pelo nome de Bloco de Esquerda, você não ter um bocadinho sequer de mentalidade de esquerda. Não leu isso? Ou ignorou, pura e simplesmente. Se não leu, leia agora; se ignorou, não ignore agora. É que os seus dislates relativamente à minha pessoa, esquecendo as questões reais que eu levanto, dão-me para isto, sabe? Sou assim, que hei-de fazer?

Observador disse...

Se alguma dúvida me restava, acabo de concluír que este anónimo todo-o-terreno é um pobre diabo que procura notoriedade através do disparate permanente.
Não darei qualquer gargalhada porque já sei, há algum tempo, quem é este anónimo coitado, pobre de espírito, talvez rico de conta bancária face ao pecúlio que lhe é permitido pela sua vida "ao lado dos desfavorecidos".
Considera necessário que alguém diga, aqui, o seu verdadeiro nome?
Não. Aqui não. Fá-lo-ia, não duvide, num blogue seu ou pessoalmente.
A D. Ermelinda não precisa, neste caso, dizer-me coisa nenhuma.
A sua forma de escrever e uma ou outra atitude "ao vivo" denunciaram-no.
Curioso, não é?
Não é em vão que se diz "mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo".

Temo, a sério, pela sua insanidade mental.
E também a sua falta de respeito pelo partido político onde o ilustre "cresceu para a vida".
Isso não se faz. É traição.
Aproveite o local onde pode, aqui e além, pôr-se em bicos de pés.
Depois, olhe em volta e tente perceber se alguém lhe presta atenção.

Anónimo disse...

D. Ermelinda e o Observador começam, verdadeiramente, a ficar nervosos!!!!

D. Ermelinda porque, ao contrário do que são os seus propósitos aqui confessados pela própria, elegeu como última causa sua descobrir a minha identidade. Esqueceu o resto, só a preocupa saber quem sou. Sei perfeitamente porque é que você assim actua, D. Ermelinda.

Mas como já lhe disse uma vez, e voltarei a repetir tantas quantas você quiser, se lhe dissesse o que sei, você ficava a saber tanto como eu. E você não só não sabe tanto como eu (nem eu quero que saiba ...) como não merece saber tanto como eu! Disso pode ter a certeza absoluta.

O Observador porque, ele sim, deve ter profundos distúrbios psicológicos. Primeiro diz que se eu lhe dirigir a palavra "deita o lixo no lixo". Depois diz que só "deita o lixo no lixo" quando quer (e certamente lhe apetece). Agora dá-me a resposta que todos vocês (serão assim muitos??????) podem ler neste espaço.

Pois é. D. Ermelinda e o Observador começam a ficar verdadeiramente nervosos. E as gargalhadas sou eu quem as vai dando. Coisas da vida ...

Entretanto, D. Ermelinda (você merece uma palavra final neste comentário, afinal sempre é a "dona" deste blog ...), continua sem me responder aos meus dois últimos desafios "a sério": que é feito dos comentários sabedores sobre o que se passou na Assembleia Municipal? Daqui a nada ... nada! Qualquer comentário seu será entendido, no mínimo, como esquizofrenia!

E a sua reacção ao ter-lhe dito (já duas vezes) que embora milite e seja eleita por um partido que ostenta no nome a palavra Esquerda (Bloco de Esquerda), você de Esquerda nada tenha? Porquê este silêncio sobre coisas verdadeiramente sérias? Porquê desviar a atenção para a procura da minha identidade? Areia para os olhos das pessoas que por aqui passam (por poucas que sejam, sempre serão algumas ...)?

Observador disse...

O eterno cobarde, perdão, anónimo, conseguiu um trabalho a sério.
Entretém-se a contar os leitores/comentadores deste blogue.
Bravo!
Efectivamente, "dar-lhe troco" seria uma tarefa desnecessária, não fosse o facto de gostar de me entreter com paranóicos.
Assim, como você faz questão de por aqui ir aparecendo e despejando bílis (daí o péssimo cheiro que exala), torna-se interessante.
Entretenho-me a confirmar a sua cultura ZERO e a sua vontade em tentar (não mais que isso) irritar quem está num patamar muito superior a si.
Calma, não se enerve.
Limite-se a escrever.
Você escreve bem (?), pelo que dá gosto lê-lo.
Parece que estou a ver a sua triste figura...
Pobrezinho de espírito, agarrado ao PC (político e tecnológico), tentando escrever algo que se aproveite.
O que até agora não conseguiu.
Não desista. A sério. Porque se você desistir, este blogue que em sua opinião tem pouquíssimos leitores, vai perder brilho.
Continue portanto. Mas não se esqueça de tomar os comprimidos.

Minda disse...

Observador:

Mas tu estás a responder a quem? Anda por aí alguém que eu não me tenha dado conta? Refiro-me a gente que mereça a nossa consideração... não! não dou por nada!

**

Observador disse...

De facto, Minda, momentaneamente pareceu-me ver (ler) aqui alguém.

Enganei-me.

Peço desculpa...

**

Minda disse...

Observador:

Não tens de pedir desculpa... Compreendo-te, perfeitamente.

Até eu me enganei e fui atrás de uma mera "ilusão de óptica".

A indiferença ainda é o melhor remédio.

Anónimo disse...

Minda è verdade que o PS apresentou uma proposta na Junta de freguesia de Almada para a abertura ao transito no eixo canal e o BLOCO votou contra,gustaria de ter mais informação,porque me parece que com este modelo estacidade esta completamente morta.

Minda disse...

Anónimo (de dia 29-12, 17:58)

AInda não falei com a minha camarada Ana Lúcia que está na Assembleia de Freguesia de Almada e desconheço o teor da proposta de que fala.

Mas posso adiantar que o BE considera que a solução para o problema do comércio local (se é que era esse o objectivo da proposta) não passa pela reabertura ao trânsito do eixo central da cidade mas sim pela implementação de várias outras medidas, conforme indicamos no nosso programa eleitoral, o qual pode consultar no seguinte endereço:
http://sites.google.com/site/almadablocoprog/programa-concelhio.

Ora Tóma! disse...

Sr Anónimo(anti Minda),
Vamos lá a chamar os bois pelos nomes: o sr. é nem mais nem menos que Bruno Dias, militante do PCP, Deputado da República e Deputado Municipal na Assembleia Municipal de Almada.
Isto não teria nada de mal, não fosse o sr. andar a espalhar aleivosias, parvoíces e trafulhices em nome da Câmara Municipal de Almada e da sua Presidente, bem como do PCP, que se lhe passaram procuração para esse fim, ficaram pessimamente representados.
Talvez fosse melhor falar em nome pessoal e não enlamear uma instituição(CMA) e um Partido(PCP).
Deixe-se de cobardias e dê a cara.

Related Posts with Thumbnails