terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Uma questão de segurança...

Laranjeiro (às 9h da manhã de 29-01-2010)

Por mais cuidado que os os transeuntes possam ter, no meio desta confusão os deslizes/descuidos/atrapalhações acontecem... e, depois, em caso de acidente, como já foram vários os que aconteceram (e com gravidade... mortes até!) de quem é a responsabilidade?

16 comentários:

Paula disse...

De quem projectou isto e não "pensou" convenientemente nos utilitários deste meio de transporte... uma realidade cruel!

Anónimo disse...

A CIDADE DORMITÓRIO CAIRÁ PARA SEMPRE NOS ERROS DA POLÍTICA DE EXTREMA-ESQUERDA. COM BE, CDU E PEV NO PODER NÃO IREMOS A LADO NENHUM. PS SEMPRE

Anónimo disse...

Desculpe lá, D. Ermelinda, mas não consigo descortinar nas suas fotos qualquer tipo de confusão. Até me parece bem o contrário, bastante organização.

Também sou daqueles que pensa que é necessário introduzir mecanismos de segurança adicionais no sistema do Metro Sul do Tejo. Não tenho dúvidas sobre isso. Agora não exageremos. O que nos mostra não ilustra qualquer tipo de "confusão", nem é esta a realidade que suscitou, até ao momento, qualquer dos acidentes (lamentáveis) ocorridos com o MST.

Por outro lado, para ambos os comentadores que me antecedem: quem projectou "isto" foi o Governo do Partido Socialista de António Guterres. Quem conduziu o processo que levou à concessão a privados de uma coisa que deveria ser gerida pelo estado e pelos municípios, foi o ex-ministro João Cravinho. Portanto, se nesta matéria alguma política está errada, e não nos leva a lado nenhum, é precisamente a política do PS, partido que está enterrado até à orelhas nos erros cometidos neste processo.

Percebo a tentativa de branqueamento do anónimo que aqui vem gritar "PS SEMPRE". Mas a história é a história, e quem "mandou" que fosse como é foi o PS. Pela mão de António Guterres e João Cravinho.

Por isso, com o PS sempre é que não iremos, de facto, a lado nenhum. Ou melhor, iremos mas é sempre para pior. Muito pior! Como comprovam os acontecimentos mais recentes ...

EMALMADA disse...

Por acaso nunca vimos nem ouvimos a presidente da Câmara de então a defender nos foruns MST, este MST, este traçado e esta implantação no concelho e tecer elogios aos governantes que lhe proporcionaram as asneiras que ela nunca defendeu, que sempre denunciou e repudiou.
Por isso e só por isso ela, a Câmara e o PCP estão inocentes em todo o processo.
A culpa de todos os males até se deve só aos almadenses que nunca quiseram participar nas discussões com oipinões iguais às da presidente.

Que grande lata!
Estes tipos do PCP querem-nos tomar por parolos.

Só por acaso, erros políticos e compadrios das oposições no concelho, que também colaboraram com a presidente da Câmara nos erros do projecto, a presidente ainda é a mesma e a mesma pessoa...coincidências e incidências nos erros e asneiras como sempre no carnavalesco município de Almada.

Siga a banda, o corso e a marcha.
Os almadenses são o bombo da festa.
As palhaçadas ficam a cargo dos autarcas que estão a destruir a cidade.

Anónimo disse...

Por acaso ... ao Em Almada apenas respondo que se a demagogia e a mentira fossem música, o Em Almada era a orquestra completa. Não vale a pena dizer mais nada.

Anónimo disse...

Já tinha verificado que a zona em questão é de facto perigosa porque junta num espaço pequeno muita gente, autocarros, carros e um comboio.
Daí os acidentes que se têm verificado.
Numa época em que se combate (e bem) o centralismo do Terreiro do Paço, eis que aparece alguém a defender o referido centralismo.
O poder local existe para poder rectificar opções erradas que nos são impostas pelo poder central.
Não foi isso que aconteceu, bem pelo contrário, pois foi o poder local a defender coisas verdadeiramente inimagináveis.
No que respeita ao poder central o anónimo das 23h04 é óbviamente um saudoso...enfim...saudades...

Minda disse...

Paula:

O traçado do MST está cheio destas "originalidades"... consequência de quem projectou no gabinete e nem se dignou adequar o desenho à realidade, e de quem acompanhou a obra e deixou que tudo assim continuasse...

Minda disse...

Anónimo de dia 2, 22:45h

Política de extrema esquerda? Cidade dormitório? Mas está a falar de que realidade autárquica? E com o PS vamos a algum lado?

Minda disse...

EmALmada:

Exactamente... siga a banda, o corso e a marcha, que esta gente quer é "música e fardamentos novos" (e fogo de artifício, acrescento eu).

Minda disse...

Anónimo de dia 3, das 10:41h

É um facto que não aparece na imagem ninguém a ser atropelado ("cruzes credo"!!), mas tanta gente num espaço tão diminuto, com uma estrada de um lado e o MST a circular no outro, qualquer desiquilíbrio na "hora errada" pode ser fatal.

eye of a tiger disse...

O MST regista, em vários locais da sua passagem, zonas de alto risco.

E a verdade, que nem deve ser questionada, é que quem fez "o boneco" do traçado do eléctrico não previu (ou não quis prever) as situações.
E quem aprovou não tem, seguramente, qualquer consideração pelos seus parceiros de vida.

Ora Tóma! disse...

Sr. Anónimo de 2 de Fevereiro de 2010 23:04
Deu de novo á costa?
Vou repetir um comentário que já lhe fiz anteriormente, mas faz sentido repeti-lo onde quer que apareça:
Vamos lá a chamar os bois pelos nomes: o sr. é nem mais nem menos que Bruno Dias, militante do PCP, Deputado da República e Deputado Municipal na Assembleia Municipal de Almada.
Isto não teria nada de mal, não fosse o sr. andar a espalhar aleivosias, parvoíces e trafulhices em nome da Câmara Municipal de Almada e da sua Presidente, bem como do PCP, que se lhe passaram procuração para esse fim, ficaram pessimamente representados.
Talvez fosse melhor falar em nome pessoal e não enlamear uma instituição(CMA) e um Partido(PCP).
Deixe-se de cobardias e dê a cara.

Anónimo disse...

Mas alguém tem dúvidas sobre a autoria do traçado do MST?
Claro que a responsabilidade do traçado é uníca e exclusivamente do poder autárquico.
É sempre assim e nesta Autarquia não poderia ser de outro modo: já czarina deixava que alguém viesse dar palpites no seu território!
Quanto à viabilização da obra: de facto o governo Guterres teve grande responsabilidade, quando o Cravinho era Ministro das Obras Públicas e a Ana Paula Vitorino, a sua Chefe de Gabinete, mas eu já ouvi a Czarina dizer que "o seu a seu dono... quem assinou foi o Ferreira do Amaral!!!"
Ora toma que comem todos... até o BE que sempre aplaudiu tudo na Assembleia Municipal... e o CDS que queria um modo de transporte "limpo" e "amigo do ambiente"...

Minda disse...

Eye of a tiger:

Concordo, inteiramente, consigo. Que mais há a acrescentar? Talvez apenas que me custa a compreender que, detectados os erros (graves), sejam tão intransigentes no que respeita à sua correcção...

Minda disse...

Ora Tóma:

Então? Além da mensagem que deixaste não podias ter dado, também, a tua opinião sobre o conteúdo do artigo? Vá lá... Fico à espera.

Minda disse...

Anónimo de dia 4 de Fevereiro, das 15:17h

Dúvidas? Eu continuo a ter imensas... isto porque muita coisa ficou por explicar (no traçado, nos encargos, nas contrapartidas, etc. etc. etc).

Related Posts with Thumbnails